Fascinado pela forma humana e expert em imitá-la e muitas vezes distorcê-la, à primeira vista as esculturas do australiano Sam Jinks despertam o interesse do espectador, e confundem os sentidos.

Com grande precisão fisiológica e anatômica, suas obras fazem-se fiéis a nossa condição e, quando expostas, incomodam, perturbam e espantam.

O homem suspenso é uma das obras mais assustadoras de Sam Jinks. Com a cabeça inclinada e o ar transcendente de concentração, ele nos recorda o sagrado arquétipo de Cristo na cruz;

Dos principais materiais utilizados, fibra de vidrosilicone, pigmentos, resina e cabelo humano. Suspensas no tempo, com todas as suas imperfeições, o artista esculpe veias aparentes, rugas, manchas da idade às linhas nas palmas das mãos e solas dos pés.

E assim suas criações celebram tanto a beleza quanto a vulnerabilidade e transitoriedade daquilo que há de mais humano.

A proximidade com as texturas humanas cria uma estranheza. As figuras oscilam em sua consciência entre ser arte e ser homem;

Discípulo de Ron Mueck, Sam trabalhou como designer de criaturas na indústria cinematográfica antes de dedicar-se integralmente à sua arte. Hoje, vive e trabalha em Melbourne, e suas principais exposições individuais incluem a Sétima Galeria, em Melbourne; a Galeria de Arte Benalla, em Victoria; e a Galeria Boutwell Draper, em Sydney.

Dê uma olhada no vídeo abaixo para um olhar mais atento sobre o processo criativo do artista:

Fascinante, não?! Você pode conferir mais trabalhos de Sam Jinks em seu site.

Via.

Jornalista de moda e lifestyle, Selena Escher trabalha com conteúdo. Capricorniana e pesquisadora constante, adora arte, conhecer novas culturas, viajar, comer bem, a década de 1920, música, assistir a filmes e sentir-se livre.

Selena Escher – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários