Pantone cor do ano 2017 Greenery

De repente você começa o ano com alguém te dizendo qual cor regerá os próximos 12 meses. É natural que se questione o porquê, da onde tiraram isso, o que é que você tem a ver com essa de usar uma cor só. Mas à medida que os meses começam e terminam, você percebe que aquela tonalidade pode fazer sentido.

É nesse patamar que a Pantone espera que a gente chegue ao perceber que nós, enquanto sociedade e indivíduos, temos expectativas e passamos por transformações. Foi assim com o Quartzo Rosa e o Serenidade, cores de 2016. A escolha representava uma indefinição entre os gêneros masculino e feminino, principalmente na moda. Ao mesmo tempo, havia um movimento em relação à igualdade de gêneros, liberdade de consumo no uso da cor como uma forma de expressão.

A geração não se preocupava em ser estereotipada ou julgada. E foi no ano passado mesmo que marcas passaram a investir no genderless, o sem gênero, isso na moda e na maquiagem também. Entendem como as cores se adiantam às nossas necessidades? Ou será que tentam acompanhá-las?

Pantone cor do ano 2017 Greenery

Desta vez, nossas demandas emocionais giram em torno do natural, da busca pela calmaria e pelo contato maior com a natureza e tudo que a envolve. Eis o porquê do Greenery ser a cor do ano de 2017, um verde mais amarelado e intenso. Existe um desejo, segundo avalia a Pantone, de sairmos um pouco do digital para vivermos o mundo real à nossa disposição. Essa necessidade pode estar associada à tensão a que estamos submetidos diariamente e por isso o verde surge como uma forma de voltarmos ao eixo e aliviar a todo esse estresse.

E é bem isso o que sentimos quando entramos em contato com a natureza, não é mesmo? Os problemas parecem se dissipar, o ar que respiramos nos revigora, saímos de parques e praias com a certeza de que deveríamos ter aquilo mais vezes em nossa rotina. De todo modo, o Greenery que tanto reflete nossas necessidades está mais presente em nossa realidade do que imaginamos.

Listamos abaixo alguns momentos do nosso dia a dia em que essa cor dá o ar da sua graça:

Na Política: Assinala a necessidade de abrir espaço para o diálogo 

A explicação de Blanca Liane Cernohorsky, representante da Pantone no Brasil, é que o Greenery remete ao que é natural. Politicamente, o impacto que se pretende com esse tom é que seja aberto espaço para o diálogo, já que explosões e violência não são tidos como naturais para os humanos.

Aqui a gente pode lembrar dos conflitos que envolvem Estados Unidos e Coréia do Norte, o interesse do Estado Islâmico em aterrorizar o Ocidente, ditaduras que deixam em crise países da América Latina… Sem contar a violência frequente que encontramos no Brasil – seja a física, a moral ou até mesmo a política.

Na Moda: Paleta de cores vai dos tons pastel aos intensos 

Foi no final do ano passado que a Pantone anunciou o Greenery como tom de 2017, mas não demorou muito para que a cor aparecesse nas passarelas durante as semanas de moda, como na coleção Kenzo e H&M (imagem acima). E o verde vem combinado de tons pastel aos mais intensos, passando também pelos metalizados e amarronzados.

A própria Pantone divulgou em seu site dez cartelas de cores em que podemos combinar ao verde intenso.

Na Decor: Paredes vivas, espaços verdes em casa, jardins suspensos 

O retorno à natureza, ter plantas ou um pedaço de um ambiente natural dentro de espaços fechados é algo forte na decoração. Se antes existia uma samambaia ou outra espécie dentro de casa, por exemplo, e o jardim era apenas aquele do lado de fora, há uns dois anos começamos a observar um movimento e tendência contrária.

Encontramos verde em um espaço no quintal, na sala, no corredor, até mesmo na churrasqueira para deixar a natureza mais perto da gente. E vale arrematar a decoração com as referências e materiais in natura que existem por aí, como a madeira, a cerâmica e o bambu.

Lifestyle: Consumo de sucos verdes e alimentação saudável 

Há pelo menos três anos surgiu a moda da ingestão dos sucos verdes e detox. Se alimentar melhor também tem sido um hábito cotado pelas pessoas, que aprenderam a valorizar sua saúde, ainda que no Brasil, por exemplo, 54,1% da população adulta esteja em sobrepeso e 20%, obesa.

Nesse período também ganharam força e importância, os profissionais que estimulam consumo de alimentos saudáveis, a dieta balanceada, um lifestyle mais natural e atividades que remetem ao assunto como yoga, meditação e até a prática do mindfullness

Você também pode completar essa lista, caso se lembre onde o Greenery está presente na sua vida.

Imagens: Pantone Institute, Shutterstock, Stock Photos, Kenzo e H&M.

Estela Marques é curiosa, jornalista e libriana. Comer melhor, dormir mais e ter um lifestyle menos ansioso são algumas metas de vida. Mas a principal delas é transformar em trabalho do horário comercial o que hoje está na esfera dos hobbies. Vai do MPB de Chico Buarque ao sertanejo de Wesley Safadão em um clique, mas séries investigativas continuam sendo um xodó. Escreve sobre moda e comportamento no blog Moça Criada.

Estela Marques – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários