Produtividade, papel e simplicidade. A técnica de organização criada por um designer e chamada de Bullet Journal faz sucesso no mundo todo. Aprenda como começar o seu! 

Bullet Journal. Essa técnica de organização que se espalhou pelo mundo todo tem conquistado cada vez mais adeptos no Brasil. Se você anota em mil listinhas tudo o que tem que fazer no dia a dia, todo começo de ano compra uma agenda de papel para tentar cumprir horários, tarefas e compromissos do mês sem falhar, que tal dar uma olhada nessa ideia?

O Bullet Journal nada mais é do que uma ferramenta útil para você tornar a sua lista de compromissos mais prática e fácil, ajudando a evitar a procrastinação.

sistema organizacional é personalizável, ou seja, você pode adapta-lo como preferir e de acordo com a sua rotina. Ele pode ser sua lista de tarefas oficial, caderno e diário, calendário, planner, diário de gratidão, agenda de compromissos e eventos, mas provavelmente será tudo junto. Tem como intuito também ensiná-lo a fazer mais com menos. E aí, animou?

Como surgiu o Bullet Journal? 

O Bullet Journal como é conhecido hoje foi nomeado em 2015 por Ryder Carroll, um designer que percebeu que, assim como ele, outros profissionais que lidavam com tecnologia estavam cada vez mais voltados a usar papel para montar seus planejamentos, registrar ideias e coisas a fazer. Com isso, ele foi desenvolvendo seu método pessoal com legendas e tópicos até criar o que se conhece hoje.

O método de Ryder reune em um só lugar todos os aspectos do dia-a-dia: tarefas, lembretes, planos de uma próxima viagem, compromissos futuros, listas de filmes – e o que mais você quiser.

Atualmente há muita gente talentosa de vários países utilizando o sistema, demonstrando organização e muita criatividade. Isso porque qualquer pessoa com um caderno em mãos pode começa-lo.

Seu intuito? Segundo Ryder, “acompanhar o passado, organizar o presente e planejar o futuro”.

Como começar um Bullet Journal? 

Inicialmente, você precisará apenas de dois objetos essenciais: um caderno e uma caneta. Muitas pessoas acrescentam outros materiais nas páginas como canetas coloridas, adesivos, post its, washi tape. Isso vai de acordo com a sua vontade.

Uma outra boa ideia é usar os cadernos inacabados que sempre ficam parados em casa, evitando assim uma compra desnecessária.

Você tem o poder de direcioná-lo de acordo com suas necessidades (se é estudante, por exemplo, pode colocar os tópicos a serem estudados; se precisa limpar a casa, escreva a rotina do dia ou defina prazos, assim por diante).

Rappid Logging

Existe um idioma (sistema de legendas) em que o Bullet Journal é escrito. Tudo isso foi criado por Ryder para facilitar a divisão de tarefas, compromissos, importância das coisas – e para que você não abandone seu diário. Rapid Logging é o nome dado aos ícones, a legenda e marcadores das páginas.

Para iniciar, você deve saber o básico dessa legenda: marque uma bolinha (•) ou faça uma caixinha de “check” para as tarefas ( ), um círculo para compromissos e eventos (º) e use hífen (-) para notas, ideias ou informações importantes.

O designer ainda sugere o uso de um asterisco (*) para o que for prioridade e um ponto de exclamação (!) para aquilo que você tem que prestar atenção.

Nas tarefas realizadas, basta marcar um (✔️) de “check” quando ela for concluída, uma flecha para a direita (>) quando ela tiver sido adiada /realocada, (<) quando ela ganhar dia e horário novos e um (X) quando for cancelada.

Existem outros símbolos como forma de interação. Conforme for entendendo o processo, você poderá acrescentar novas ideias e ícones, que inclusive podem ser inventados por você!

Exemplo: 

28 de janeiro
* • Terminar a matéria sobre cores
X Buscar a Tereza no petshop
º Jantar na casa da Marcela
< Planejar férias
> Começar academia com a Camila (no mês que vem)

Além disso, Ryder sugere algumas seções básicas, que são:

Índice (Index)

A ideia é que as duas ou três primeiras páginas do seu Bullet Journal tragam um índice em que você possa adicionar informações às páginas conforme o uso. Aqui, você definirá quais itens farão parte da sua agenda e em quais páginas eles poderão ser encontrados. Além disso, quando você quiser procurar um mês, pode olhar no índice em que página esse mês está.

Listas de filmes, compras, eventos são alguns exemplos que você pode incluir para organizar a estrutura, facilitando a visualização durante a correria do dia a dia.

Fique tranquilo, você não precisa numerar todas as páginas do caderno de uma só vez, ok?

 

Log do mês (Monthly Log) 

Essa página é utilizada para o mês em que se está atualmente. Insira os números dos dias e as iniciais dos dias da semana ao lado dos números, como um calendário.

Em uma coluna, você coloca todos os dias do mês, e na outra você coloca a inicial do dia da semana (S – segunda, T – terça, etc).

Na página ao lado, crie uma lista com todas as tarefas que precisa fazer no mês em questão. Coloque um traço ou desenhe a caixinha na frente de cada uma delas. Dessa forma, você pode fazer uma marcação ao terminar cada tarefa.

Exemplo:

T 01 – Pagar cartão de crédito
Q 02 – Evento de tecnologia
Q 03 – Aniversário do Lucas
S 04 – Comprar presente do Guilherme

Log do dia (Daily Log) 

Aqui é onde você anota as tarefas que você tem para fazer naquele dia específico.

Insira em cada dia os compromissos com data e hora, ações pontuais (que realmente precisam ser feitas naquele dia) e informações que possam ser relevantes.

Log do futuro (Future Log) 

Separe algumas linhas para escrever datas importantes, feriados, eventos que já estão marcados com muita antecedência de cada mês do ano. Por exemplo, Carnaval (fevereiro), Natal (dezembro) e outras informações futuras relacionadas aos meses seguintes, assim, ao criar as páginas do mês novo, poderá redistribuir e se planejar.

Para finalizar, os sinais de ‘<’ e ‘>’, o que Ryder chama de migração.  Se você usou um deles para qualquer tarefa, você tem que atualizar o status da tarefa, colocando elas no Log do futuro ou no Log do mês, se for acontecer no mês de vigência.

Parece complicado, mas não é. O vídeo de Ryder explica calmamente:

Outras seções para adicionar em seu Bullet Journal

Além das seções básicas recomendadas pelo Ryder, você pode anotar:

  • Planos para viagem
  • Controle de hábitos/exercícios físicos/alimentação/água
  • Lista de livros, filmes, séries lidos – vistos/ para ler – serem vistos
  • Finanças
  • Limpeza da casa
  • Diário de gratidão
  • Organização do trabalho

Dica: deixe um espaço entre as páginas e as tarefas e sempre lembre-se de fazer as marcações no índice, para as coisas não ficarem perdidas na própria agenda.

O importante é você criar a sua técnica e adaptar ao que é bom para o seu dia a dia! 

Quer mais inspiração? Nosso board exclusivo em parceria com o Pinterest traz muitas ideias visuais e dicas! E aí, que tal começar o seu?

Imagens: Ryder CarrollBullet Journaling, Study with Inspo, Studio Uhs.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários