Simples e elegante, atemporal, confortável, minimalista e feminina. Uma marca slow fashion, de fabricação 100% nacional e justa, traz roupas que utilizam apenas matérias-primas/tecidos orgânicos e tingimentos naturais. Conheça a Brisa! 

Após trabalhar por anos em empresas de fast fashion no Rio Grande do Sul e em uma fábrica que produzia roupas para essas redes, Tatiana Stein via que algo precisava mudar. Desde essa época, ela se sentia muito responsável por tudo o que ali criava. Eram roupas, produtos que seguiam tendências, escolha de matéria-prima, serigrafia e aviamentos que tinham que ser negociados, tudo para chegar em um preço de custo cada vez mais baixo. A mão de obra, claro, nem sempre era valorizada.

“Percebi que esse sentimento era muito meu, já que questionava as minhas colegas do setor e ninguém sentia o mesmo.” Após muitos estudos, pesquisas e leituras sobre slow fashion, decidiu seguir o oposto daquilo. “Era o ano de 2015, quando fui demitida e resolvi tirar um ‘tempo sabático’.”

Na época, Tatiana morava em um sítio que estava sendo construído e criado com base na permacultura, onde ali se plantava orgânicos, criava áreas de agrofloresta e quase não gerava lixo (apenas embalagens impossíveis de ser reutilizadas), pois todo lixo orgânico ia para composteira, junto de papeis e jornais.

Lá, ela assumiu alguns trabalhos rotineiros, do qual um deles era revirar a composteira e peneirar o composto para espalhar nas hortas. Foi nesse revirar, entre materiais orgânicos, que viu que havia uma lã sintética que nunca se decompunha. Mais uma vez, ela se deu conta da responsabilidade que é consumir poliéster, do tempo que esse material fica no mundo, seja em rios, mares ou na terra.

Tatiana começou a se informar não só do processo inicial, de como eram feitos e dos impactos que geravam, mas também do tempo que cada coisa permanecia como lixo. Nesse momento, resolveu unir um sonho a uma vontade de mudar o mundo, através de uma moda mais consciente, com materiais orgânicos, de baixo impacto ambiental ou recicláveis. Nascia a Brisa.

Hoje, a marca sustentável de alfaiataria, slow fashion, de fabricação 100% nacional e justa, traz roupas que utilizam apenas matéria-prima/tecidos orgânicos ou reciclados, além de utilizar tingimentos naturais e técnicas manuais.

Conversamos com ela para saber um pouco mais sobre suas inspirações e sobre a Brisa neste cenário atual. Confira:

FTC: Há quanto tempo cria as peças e quais materiais são mais utilizados? 

A marca surgiu efetivamente em setembro de 2016, que foi quando o primeiro produto tomou forma. Antes disso, eu vinha pesquisando materiais e fazendo cursos de tingimentos naturais. Hoje utilizo na Brisa apenas tecidos de produção nacional, com cultivos sustentáveis e orgânicos, ou recicláveis.

Tento me informar ao máximo sobre o processo de produção dos tecidos para poder passar isso de forma clara para os nossos consumidores. Tento também manter um bom relacionamento com os mesmos e com os fornecedores, conversar como pessoa e não só como empresa, além de sempre ter o cuidado de enviar foto dos produtos depois de prontos.

FTC: A gente já falou bastante aqui sobre o lowsumerism, sobre marcas veganas, slow fashion e a conscientização do consumidor. Onde e como vocês se encaixam nisso? 

A Brisa é uma marca slow fashion, voltada para o consumo consciente, que respeita o tempo da natureza e utiliza ao máximo o que ela tem de bom para nos oferecer. O nome vem da união da natureza com a leveza, do eterno com o feminino. Acreditamos muito no atemporal, no confortável e desejamos que tudo seja eterno enquanto dure. E se o eterno tiver data marcada, o fim do produto fica por conta da marca, para que seja dado um fim correto a ele.

Acreditamos no justo desde a plantação da matéria prima ao preço final e na transparência em todos os processos e pessoas que os envolvem. Por isso, a conscientização do consumidor é um item fundamental.

A questão do orgânico vai muito além dos benefícios, pois na plantação sem pesticidas ou agrotóxicos, não se danifica o solo, o ar, a água (os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d’água e poluem rios e lagos), os animais e as pessoas.

FTC: A criação dos armários-cápsulas parece que veio para ficar. Vocês tem peças totalmente inspiradas nisso. Qual as dicas que vocês dariam para quem quer iniciar esse processo?

A gente tem sempre mania de dizer que nunca tem roupa suficiente, mas no fundo o que realmente precisamos (e muitas vezes tempos) são de peças clássicas e básicas que se conversem entre si, por isso o primeiro passo é rever tudo aquilo que se manteve no seu gosto pessoal por anos e explorar com outras peças e cores.

No nosso armário cápsula, temos um mix de produto básicos e necessários, que se mesclados nas cores atuais é possível utilizar as peças por muito tempo. São t-shirts, regatas, blazer alongado e minimalista, short, calça, camisa over e vestido.

FTC: Qual foi primeira peça da Brisa e o que ela hoje representa para vocês? 

A primeira peça desenvolvida e pensada foi a t-shirt. Ela é super básica com decote canoa, bolsinho na frente e abertura com botão de casca coco nas costas. Hoje ela é nossa peça mais essencial, pois além de ser fácil de usar, ela engloba tudo o que a marca é: simples e elegante, atemporal, confortável, minimalista e feminina.

FTC: Com o que vocês se inspiram? 

Para criar, eu me inspiro em dois itens importantes para a marca: primeiro é a mulher Brisa, que é uma pessoa simples, elegante, sincera, justa, verdadeira, confiante e otimista. Em segundo, me inspiro no tempo da natureza, no momento certo e natural para que tudo aconteça.

Acredito que unindo os dois itens a marca passa a existir de uma forma mais leve.

FTC: Uma frase que define o conceito da Brisa;

“De quanta natureza precisamos para manter o nosso estilo de vida?” – Frase que vem do livro ‘Moda Ética para um Futuro Sustentável’. Acredito que esse questionamento sempre vale para tudo e para todos!

A Brisa possui uma loja virtual que conta com roupas incríveis. As peças também estão disponíveis para compra no Coletivo 828 em Porto Alegre (Rua Visconde do Rio Branco, 828). Gostou? Acompanhe as atualizações da marca no Facebook e no Instagram!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários