Slow fashion, armário-cápsula, minimalismo, consumo consciente e a valorização do feminino são só alguns dos conceitos da Lina Dellic. A marca brasileira, que foi lançada recentemente, têm como objetivo, estabelecer um vínculo significante entre suas peças atemporais e consumidores através da produção local.

Você já pensou em como e por quem os tecidos, cortes e costuras das peças que vestem seu corpo foram produzidos? Quais as condições em que outro ser humano, semelhante a você, estava inserido ao confeccionar a roupa que você consome? Você acredita fielmente que está fazendo um ótimo negócio ao se deparar com o produto dos seus sonhos por um preço absurdamente barato?

Autenticidade, amor pelos detalhes, minimalismo, conscientização e confiança em se expressar através de um estilo próprio. Isso é pouco para conseguir descrever a imensidão de ideias criativas e sustentáveis que compõem a Lina Dellic.

Baseada em perspectivas sensíveis e fortalecedoras da natureza feminina, a marca brasileira de slow fashion busca a transparência em seus modos de produção, respeitando o tempo de criação de cada peça e estabelecendo um vínculo significante entre suas peças e consumidores.

Há um olhar cuidadoso, reflexivo e de qualidade. A proposta da marca é simplesmente maravilhosa, digna de se identificar instantaneamente.

Com uma paleta de cores mais sóbrias combinada a cortes geométricos, sofisticados e extremamente femininos, as coleções cumprem uma de suas principais intenções: a originalidade.

Nesta entrevista exclusiva para o FTC, a marca Lina Dellic é explicada por suas criadoras, de forma leve e simples. Confira algumas de suas peças e conheça a beleza dessas fortes mulheres inovadoras:

lina-dellic-nova-colecao

FTC: Contem um pouco sobre vocês e como chegaram até aqui.

A Lina Dellic é uma marca de moda e lifestyle feminina, slow e minimalista, que preza a união e a expressão das mulheres. Ela valoriza, acima de qualquer coisa, o ser humano, aquele que está por detrás de suas roupas. Suas coleções são em formato de armários-cápsula, e traduzem sua essência através de peças atemporais e de qualidade.

A história da Lina começou pra valer quando cruzou com a história do Loft, o estúdio de branding e design responsável pela criação da identidade, linguagem e comunicação da marca. A Gabi (Gabriela Bereta), desde 2014 já mantinha consigo firme a ideia de construir uma marca de moda, mas resolveu pedir uma ajuda à equipe do Loft para a elaboração de sua identidade. Foi numa dessas visitas que conheceu a Zags (Marina Zaguini), designer que já trabalhava por lá. Os trabalhos começaram, e foram dando tão certo que elas não quiseram mais se desgrudar. A Gabi e a Zags se tornaram sócias, enquanto o Loft e a Lina se uniram de vez.

Hoje somos, além da Gabi e da Zags, também a Bia, a Ana, Cecília, Jô, Lindinha, Maria de Lurdes, Lorena, Ana Paiva, Ângela e Larissa.

FTC: O que o nome ‘Lina Dellic’ representa?

Lina Dellic é o resultado da união entre o nome ‘Lina’ e uma representação do termo ‘delicada’. São várias as ‘Linas’ que nos são referência. Algumas mais próximas, outras, que nos inspiram de longe. Mas talvez a maior motivação, de fato, do nome da marca venha de sua própria origem.

O significado de ‘Lina’ diz respeito a uma pessoa otimista e afetuosa, de muitos talentos artísticos. Trata-se de um indivíduo criativo, detentor de um certo charme especial, bem humorado e de espírito jovem e irreverente. Quando falamos em ‘Lina’ estamos falando de alguém confiante e autêntico.

FTC: Há quanto tempo criam e quais mate-riais mais utilizam?

A Lina Dellic foi lançada em novembro de 2015. Mas o processo de construção da marca e criação de suas roupas se iniciou quase um ano antes. Investimos bastante tempo e energia nos trabalhos de pesquisa e planejamento, para então começarmos a desenhar as peças e irmos atrás das matérias-primas e fornecedores mais adequados. Hoje, dentre os materiais que mais utilizamos estão o algodão, a viscose, poliéster e seda.

FTC: A gente já falou bastante aqui sobre economia compartilhada, lowsumerism, sobre marcas veganas, slow fashion e a conscientização do consumidor. Onde e como vocês se encaixam nisso?

A marca surgiu da vontade, antes de qualquer outra coisa, de fazer algo que tivesse algum impacto positivo na vida das pessoas. Esse sempre foi o nosso propósito. Paralelo a isso, nos víamos cada vez mais instigadas pela moda como uma forma de expressão e pelo estilo como uma forma autêntica de se comunicar. Nos víamos instigadas também sobre seus processos, que cada vez geravam mais dúvidas, questionamentos e confusões na cabeça das pessoas. A partir daí é que fomos conhecendo mais a fundo a ideia do lowsumerism e adentrando o universo do slow fashion.

lina-dellic-2

A moda, então, se tornou uma paixão nossa, mas ela surgiu aqui quase como um pretexto. Percebemos que nosso eterno caso de amor sempre foi com nós mesmas. Queremos dizer, nós como seres humanos. Percebemos também que a consciência na hora de consumir era mais que necessária. E foi aí que identificamos qual seria nosso papel como marca.

A Lina já nasceu, portanto, agarrada na ideia do consumo consciente e informada sobre a necessidade de se valorizar com tanto amor cada etapa da produção de suas peças, e as pessoas que estão por detrás delas. Abraçou o movimento do slow fashion e se colocou a favor da plena transparência. Assumiu um compromisso sério com a valorização da produção local e do artesanal. Por fim, usou o minimalismo e o conceito de armário-cápsula como instrumentos de propagação do ‘menos em nome do mais’, e do ‘suficiente em nome do eficiente’.

FTC: A criação dos armário-cápsulas parece que veio para ficar. Vocês até tem peças totalmente inspiradas nisso. Qual as dicas que vocês dariam para quem quer iniciar esse processo?

Vai em frente! Aderir a um armário-cápsula parece algo bem difícil, nós sabemos. Mas garantimos: vale a pena encarar o desafio! A mudança de atitude incita mudanças positivas na rotina, na maneira de pensar e de se praticar consumo e moda. Tudo melhora: tempo, dinheiro, auto-estima e, coletivamente, vamos caminhando para melhorar toda uma sociedade.

Pra quem quer começar pra valer seu armário-cápsula, damos várias dicas no nosso universo. Na categoria ‘slow fashion’, explicamos melhor o conceito e contamos como ele surgiu, disponibilizamos um guia que nos auxilia a escolher o destino certo para nossas roupas velhas, além de um planejamento, com passo a passo, para colocar em prática toda essa ideia.

FTC: Qual foi primeira peça e o que ela hoje representa para vocês?

A Blusa Tempo foi nossa 1ª peça. E é até hoje nossa querida e o nosso apego. Uma T-shirt de tamanho único, toda branca e com uma dobrinha na manga. Ela tem um significado enorme pra gente, porque representa muito bem o que carregamos conosco por essência: o minimalismo, o suficiente em nome do belo e do eficiente, a qualidade e o cuidado que sustentam o slow fashion, e o desapego a padrões, tipos e formas predeterminados pela moda e pela sociedade.

FTC: Estão tocando algum projeto específico atualmente?

Paralelo ao lançamento de seus cápsulas, a Lina Dellic caminha na fase de planejamento de um projeto social que intenciona atuar como plataforma de apoio às pessoas com quem trabalha, como suas costureiras e famílias. Algo que tem como base a conscientização de que, por detrás das roupas que usamos, há seres humanos, e propagando, assim, a valorização de cada indivíduo que sustentam todas as etapas do processo de produção de moda.

Trata-se de um projeto fortemente influenciado pelos princípios do slow fashion e do consumo consciente. Por enquanto, infelizmente, ainda não podemos contar muito mais sobre ele!

FTC: Com o que vocês se inspiram?

Por aqui, há apaixonadas por fotografia e por boas leituras. Por viagens e novas culturas. Por esportes e natureza, e por boa música e qualquer forma de beleza. A arte nos inspira em suas mais diferentes formas de expressão. Pessoas também nos inspiram em suas mais diferentes formas de ser.

A inspiração está no olhar. Acreditamos que tudo é referência. Mas somente a maneira de enxergar é que é capaz de transformar. Gostamos daquilo que é autêntico, que ousa em certo aspecto. Isso é que nos inspira, aquilo que diferencia cada qual de cada um.

FTC: Uma frase que define a Lina Dellic:

“Queremos fazer bonito aquilo que nos faz bem.”

Cada peça é desenvolvida, do início ao fim, pela mesma costureira, prezando o trabalho artesanal.

A marca percebe o movimento ‘slow fashion’ e usa a simplicidade ao seu favor, criando peças minimalistas e atemporais.

Acompanhe a Lina Dellic pelo Instagram, Facebookou navegue pelo site/loja da marca para ficar por dentro de todas as criações!

Viciada em açúcar, Marina Gallegani é movida pelas forças da natureza e tem fome de liberdade. Jornalista, escritora e fotógrafa amadora, se entrega às cores da vida e sonha com viagens ao redor do mundo. Em constante reconstrução, acredita ser eterna e tem a certeza de que o sorvete é uma das fórmulas da felicidade.

Marina Gallegani – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários