Grande parte das práticas da produção de moda da atualidade prejudica o meio-ambiente e as pessoas. Então, nos perguntamos: como consumir – e fazer – moda de forma consciente? Na contramão de grandes marcas que produzem roupas a partir do trabalho precarizado, há outras que optaram pela mão de obra local e artesanal. Que trocaram o descartável pela fabricação de roupas feitas para durar. A produção em série pela desacelerada. Assim é a Botânica, um estúdio criativo de slowfashion do sul do Brasil.

Cada projeto é pensado de maneira a impactar o mínimo possível o ambiente. É utilizada matéria-prima sustentável, como o algodão orgânico, fibras recicladas – de materiais como garrafas pet – e biodegradáveis.

Amanda Jaqueline, fundadora e designer da Botânica, conversou com o FTC e contou que as coleções não seguem regras e modismos. “Nossas peças são fruto do amor, respeito e de um olhar intuitivo sobre o mundo, produto e moda. Investimos em pesquisa de novos materiais, novos processos e em pessoas. Queremos plantar uma sementinha no coração de cada um e espalhar muita positividade e coisas boas por aí”.

Filha de artesã, o universo criativo sempre fez parte da vida de Amanda, que desde muito cedo praticava o “faça você mesmo”, a reciclagem e upcycling. A paixão por moda despertou naturalmente: já aos 13 anos criava suas roupas, que mandava fazer na costureira perto de sua casa. Depois disso, fez vários cursos na área, que a levaram a decisão de se graduar em Design de Moda.

Em empresas, Amanda começou a trabalhar como assistente e chegou ao posto de estilista, mas sentia dificuldades em encontrar marcas autênticas, em que ela pudesse acreditar. Então, resolveu criar ela mesma a sua, ao costurar as roupas. “Quando me deparava com a realidade, me sentia vivendo em um sonho. E foi em busca desse sonho e dessa verdade que nasceu a Botânica.”

De acordo com Amanda, o design das peças não segue regras e perfis que as tornaria obsoletas em pouco tempo. Fazemos produtos para durar, amar e repassar”. A designer acredita que estamos vivenciando um momento que está promovendo um novo olhar sobre o mundo da moda: mais responsável, com história, paixão e conhecimento, com várias marcas com propósito emergindo.

Confira entrevista com ela e conheça um pouco mais da Botânica!

SOU BOTÂNICA

“A Botânica é sonhadora, criativa e slowfashion. O nome provém das flores, que sempre me inspiraram e me fazem sentir livre e em completa harmonia. E foi dessa relação com os elementos da natureza, de cuidar do que é nosso, da originalidade das espécies, pois existem várias rosas no mundo mas nenhuma é igual a outra, que brotou a marca.”

FTC: A gente já falou bastante aqui sobre o lowsumerism, sobre marcas slowfashion e a conscientização do consumidor. Onde vocês se encaixam nisso? 

Temos uma preocupação muito grande com o ciclo da roupa, por isso procuramos trabalhar com matéria prima menos agressiva ao meio ambiente, além de mão de obra local e artesanal, nossa produção é desacelerada e o design não segue regras e perfis que o tornariam obsoleto em pouco tempo. Fazemos produtos para durar, amar e repassar.

FTC: Qual foi primeira peça que criaram e o que ela hoje representa para vocês? 

A primeira peça foi uma t-shirt branca de algodão orgânico, tinha tudo para ser uma peça despretensiosa, mas hoje é uma das peças mais queridas pelos nossos clientes. Ela representa simplicidade e conquista, pois após o resultado positivo que atingimos com ela ampliamos o mix de produto.

FTC: Vocês não tem coleções definidas, as roupas são atemporais. Quais os principais diferenciais da marca? 

As nossas coleções não seguem regras, modismos e um padrão pré-definido. Investimos em pesquisas de novas matérias, baixo impacto ambiental, no local e artesanal, no comércio justo, na mão de obra humanizada, produção desacelerada e feita com amor. A Botânica é sobre novos processos e pessoas.

FTC: Pode falar um pouco mais sobre as matérias-primas?

Trabalhamos com tecidos orgânicos, biodegradáveis e reciclados de garrafa pet. Quando criamos um produto sempre nos questionamos: com que matéria prima vamos fazer? Que impacto ela representa? Onde vamos encontrá-la? Está de acordo com a nossa capacidade produtiva?

Nem sempre conseguimos trabalhar só com orgânicos, biodegradáveis e reciclados, já que existe uma porcentagem de cerca de 16% de têxteis derivados de outras indústrias, onde compramos os fins de rolo, tecidos em estoque sem uso, e para alguns projetos utilizamos roupas vintage. Nossa principal preocupação é fazer um produto de qualidade, com história e menor impacto ambiental.

FTC: Com o que você se inspira? 

Sou muito sonhadora e intuitiva, por isso a inspiração acontece no seu tempo, pode vim de um filme, viagem, música, aventura gastronômica… Sou muito suscetível! (hehehe) Geralmente deixo as pequenas surpresas do dia a dia me envolverem, pois acredito que a inspiração é a soma de emoções e sensações.

FTC: Pode contar pra gente um pouco do processo criativo da marca?

Meu processo criativo é fluído, vou colecionando elementos como palavras, rabiscos, imagens que transmitam um sentimento bom e algo que eu queira passar para o mundo através de um produto. Acredito que todo esse processo criativo só vale a pena se for feito de forma leve, orgânica e apaixonante, por isso respeito o “time” de cada etapa.

“Para mim, a beleza não tem cor, humor, localização, valor ou receita. A beleza vem de dentro. Transcende. Quero que as pessoas floresçam a sua beleza única.”

FTC: E agora o que vem pela frente?

Estamos vivenciando um novo olhar sobre o mundo e a moda, um olhar de pessoas mais responsáveis, com história, paixão e conhecimento. Várias marcas com propósito estão emergindo e se dando as mãos e é nisso que acreditamos! Juntos somos fortes, podemos transformar o mundo, cuidar do que é nosso e respeitar as individualidades.

Sob esse olhar de união e transformação fizemos um estudo aprofundado de novas técnicas e elegemos o tingimento natural para ser o próximo protagonista da futura coleção!

Gostou? Confira todas as peças da Botânica e compre no site do estúdio. Acompanhe as novidades da marca também pelo Instagram, Facebook e Pinterest.

Stephanie D’Ornelas é jornalista, curitibana e gosta de embelezar a vida com fotografia, arte e cores. Coleciona cartões postais e adora conhecer novos lugares, pessoas e diferentes modos de vida.

Stephanie D’ornelas – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários