Anéis, brincos, pulseiras, colares que chamam a atenção por onde passam. Não à toa. As peças exclusivas expressam a simbiose entre arte e comportamento, em harmonia com o urbano e a natureza. A ideia é do artista Diego Mazmanian, que criou a sua marca Je Te Kiff em 2013 com o objetivo de ser uma ferramenta de expressão daquilo em que ele acredita.

Diego cria todas as peças à mão, dentro do processo de slowfashion, ressignificando os materiais, e apresenta ao mundo seu design único e diferente. Os materiais, incluem resinas, prata e elementos encontrados na natureza, coletados e tratados de forma não predatória (exemplo: casca de árvores e folhas caídas, madeiras em decomposição).

Confira a entrevista exclusiva que fizemos com Diego e saiba mais sobre a marca e suas inspirações:

FTC: Diego, pode contar um pouco mais sobre você e como chegou até a marca Je Te Kiff? 

Meus pais sempre foram muito criativos: um metalúrgico aventureiro que me ensinou muito sobre ferramentas, e que é possível consertar as coisas antes de irem pro lixo, e uma mãe maravilhosa que sempre nos motivou, botando a melhor onda naquilo que projetamos e sonhamos. Cresci nesse ambiente.

Além disso, eu sempre gostei de criar, dar identidade às coisas, me comunicar com as pessoas. Com 14 anos conheci o skate, algo que pratico até hoje. Com o esporte aprendi muito, daí veio a música, arte e a moda.

Com 19, 20 anos tive uma marca de skate em sociedade com amigos da rua onde fabricávamos shapes, fazíamos tudo. Mas ai chegaram as marcas gringas com facilidades no pagamento e matéria prima superior e ficou impossível concorrer.

Passei por várias outras experiências, em empresas de iluminação, onde eu criava luminárias, lustres, abajur. Em 2013, com uma certa bagagem criativa, montei a Je Te Kiff. Influenciado por algumas marcas de streetwear comecei com vestuário.

FTC: O que significa Je Te Kiff?

Tenho ascendência armênia e sempre fui ligado a cultura árabe. Ao meu ver, conhecemos de verdade um novo idioma quando sabemos de suas gírias e dialetos populares. Je Te Kiff é uma expressão nascida em colônias árabes na França. Surgiu da necessidade de representar o ápice do prazer, sentido em antigos ritos e costumes.

Hoje em dia essa expressão transita por diferentes povos, culturas e ainda é relacionada ao gostar, ao amor, adoração, prazer em fazer ou realizar algo importante. Muito usada na França e vários países africanos para dizer “eu te amo”, “te quero” ou até mesmo que curtiu muito alguma coisa.

FTC: Hoje são diversos acessórios incríveis! Quais os materiais que utilizam atualmente nas peças?

Utilizo resina, prata e materiais encontrados na natureza, mas não de uma forma predatória. Exemplo: casca de árvores e folhas caídas, madeiras em decomposição.

Esses materiais são coletados, tratados, e só depois, ressignificados nas peças.

FTC: Fale um pouco sobre a inspiração da coleção Sirena.

A coleção Sirena (Sirena = sereia em espanhol) foi totalmente voltada para o universo das sereias, um tema que encanta pelo contexto onírico, místico e folclórico. A presença da madeira nas peças remete a força da natureza bruta, selvagem, porém bela. As cores foram pensadas nos tons do mar, com variações de verde e transparência.

Vejo essa questão das cores com grande importância: são elas que trazem muito da energia de cada coleção. Realizo muitos testes e combinações até chegar a tonalidade desejada.

Além dessas peças finais de cada coleção, sempre crio outras por encomenda. Os anéis Maria Ono e Talita (fotos acima), por exemplo, foram pensados juntamente com quem os encomendou, agregando suas preferências em materiais, cores e histórias.

Gosto de possibilitar essa troca, de aguçar a criatividade das pessoas, fazer com que se expressem também. As peças são produzidas à mão, deixando tudo ainda mais exclusivo.

FTC: As coleções foram criadas em parceria com a marca Mira La Nena. Como surgiu a colaboração?

A Je Te Kiff já existia, e como disse éramos mais focados em vestuário. Em 2014 fui viajar, pesquisar outras culturas, estudar, fazer uns cursos, e passei um ano na Argentina. Voltei em 2015 pra São Paulo e conheci a jornalista e pesquisadora de moda Mia Zanetti.

Falávamos muito sobre a moda e produtos criativos, depois de realizar cursos de confecção de joias e desenvolver algumas técnicas próprias, resolvemos juntos criar a Mira La Nena que em português significa “Olhe a moça”, com foco em acessórios de moda feitos para realçar a beleza da mulher.

As duas marcas criam as coleções em parceria, buscando inspirações em diversos países, desde a América Latina, o Oriente Médio até o Sudeste Asiático.

FTC: Depois da coleção Sirena, veio a Terra Latina. 

Sim, mulheres são uma grande inspiração para mim, com sua delicadeza, força e sensibilidade. Também me inspiro na cultura latina, urbana e contemporânea. Disso tudo criei uma mescla forte.

Ao mesmo tempo que queria falar de antigos costumes latinos, queria algo interessante para aquela pessoa moderna e antenada, que gosta de usar algo que conte uma história, mas que tivesse ao mesmo tempo um frescor contemporâneo.

Na coleção Terra Latina usamos cores vibrantes e desenhos que lembram penas e peles de animais. O bambu, muito forte em nossas matas, representa a flexibilidade latina.

O marfim sintético remete a uma época quando povos antigos se adornavam com ossos de suas caças. E a prata, uma de nossas riquezas minerais, também está presente nas peças.

FTC: O que dá mais prazer neste trabalho de criação e o que dá menos?

Gosto muito das pesquisas para construção das coleções, de ver as peças finalizadas e perceber que ficaram como queria, que assim, a possibilidade de dialogar com as pessoas é maior.

Curto demais ver as pessoas usando e levando os acessórios com elas como se fossem um amuleto, empoderando-se.

Acredito que todas as etapas tem seus prazeres, umas menos, outras mais, mas durante a fase de acabamento das peças, em que dedico muitas horas de energia, o processo se torna um pouco cansativo.

FTC: E agora, o que vem pela frente?

Estamos bem contentes, pois atravessamos as fronteiras. Nossas peças podem ser encontradas também em Paris, a marca Amazillia Selection é quem nos representa por lá.

Gostaríamos de expandir mais essa ideia e ver nossas criações e essa força latina aí pelo mundo.

FTC: Pode adiantar algo para nós?

O que posso adiantar é que a próxima coleção vem com uma inspiração mais minimalista. Aguarde!

Gostou? Para ver todos os modelos disponíveis, acesse o site da Je Te Kiff. Acompanhe também a marca no Facebook e Instagram.

A Mira La Nena também está no Facebook e no Instagram.

Imagens e créditos: Modelos: Maria Ono, Talita Oliveira, Luna Oliveira. Make: Tatiana Manfrin.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários