FTCMAG Traveluv 10 bares e clubes de jazz para ouvir boa música em Nova York
Traveluv

10 bares e clubes de jazz para ouvir boa música em Nova York

Aproveite noites ao ritmo de jazz em Nova York, gênero musical nascido no sul dos Estados Unidos e que hoje segue como um dos mais populares do mundo;

Embora sua origem seja o sul dos Estados Unidos, o jazz também chegou a Nova York e ali se consolidou a partir do começo do século 20, por meio de pianistas que tocavam ritmos como ragtime e boogie woogie. O estilo característico do jazz nova-iorquino, chamado high brow (mais estilizado e universal), teve início com a orquestra de Fletcher Henderson, na qual tocavam todos os grandes nomes da década de 1920.

New York style, que deu impulso para as lendárias big bands que surgiriam mais tarde, foi a corrente principal para o desenvolvimento do ritmo no final da década de 1920. A escola de Nova York se destacou especialmente pela grande figura de Duke Ellington (1899-1974), que, vindo de Washington D.C., alcançou grande fama com suas sessões no Cotton Club, no Harlem.  

Para sua próxima viagem à Big Apple, a lista a seguir, compilada pela New York City Tourism + Conventions, traz bares, clubes e restaurantes nova-iorquinos, que celebram o espírito e as lendas do jazz, garantindo uma noite cheia de boa música e diversão.

1. Dizzy’s Club 

Dizzy’s Club, parte do Jazz at Lincoln Center: apresentações com vista privilegiada do horizonte de Manhattan (Crédito: Dizzy’s Club/Divulgação)

O Dizzy’s Club ocupa o 5º andar do Shops at Columbus Circle, possui uma vista deslumbrante do Central Park e do horizonte de Manhattan. Não bastasse o cenário de primeira, o local faz parte do complexo Jazz at Lincoln Center, ao lado do lindo anfiteatro Appel Room. Em um ambiente acolhedor e delicioso cardápio sazonal, a programação conta com shows de músicos promissores.

Para chegar ao Frederick P. Rose Hall, onde a mágica acontece, vá até o Shops at Columbus Circle e entre na 58th Street, 60th Street ou Columbus Circle. Pegue os elevadores perto da entrada da 60th Street até o 5º andar, onde ficam o Rose Theatre, o Appel Room, o Dizzy’s Club e o Irene Diamond Education Center.  

Dizzy’s Club: Frederick P. Rose Hall, parte do Jazz at Lincoln Center, 5º andar, Manhattan  

2. Smoke Jazz Club

Localizado no cruzamento da 106th Street com a Broadway – também conhecido como “Duke Ellington Boulevard” – o Smoke Jazz Club é um dos principais locais de música ao vivo da cidade. Conhecido por oferecer uma programação de alto nível com artistas lendários, incorpora o espírito do Harlem com uma decoração elegante e forte programação mainstream.

O local se destaca também por sua acústica perfeita e culinária norte-americana clássica. São duas salas adjacentes: uma dedicada aos shows, com mesas à luz de velas, luxuosas cortinas e banquetas de veludo vermelho, paredes de tijolos aparentes, lustres antigos e fotografias icônicas de jazz; e uma segunda sala conectada a um bar e café históricos.  

Smoke Jazz Club: 2.751 Broadway, Manhattan  

3. Manderley Bar

Manderley Bar: o espaço aconchegante e intimista oferece ótimos coquetéis elaborados. (Crédito: The McKittrick Hotel/Divulgação)

Inspirado na era do jazz, o Manderley Bar, parte do The McKittrick Hotel, apresenta shows intimistas ao vivo de sua banda residente, The Nightingales, que transporta os visitantes com suas melodias animadas, dinâmicas e irresistíveis.

Os coquetéis exclusivos servidos no lounge incluem o Manderley Renewal (bourbon, licor de cassis, limão e angostura), o Green Beast (absinto, flor de sabugueiro e frutas cítricas), o Old McKittrick (mezcal e overproof rum, que é um rum com mais do que os 40% de teor alcóolico típicos da bebida, além de cachaça, xerez e bitters) e o popular Sleep No More, que leva vodca, flor de sabugueiro, flores de ervilha, frutas cítricas e cidra. 

Manderley Bar: The McKittrick Hotel, 532 W 27th Street, Manhattan  

4. Patrick’s Place 

Há mais de 30 anos, o jamaicano Patrick, que dá nome à casa, abriu, em Manhattan, sua 1ª hamburgueria que trazia sabores da Jamaica. Percebendo o crescente interesse dos moradores da região, ele e seu sócio inauguraram o Patrick’s Place.

O espaço no Harlem oferece uma experiência gastronômica jamaicana autêntica, descontraída e amigável, que combina ainda jazz ao vivo e música rítmica caribenha. Um dos destaques é o prato especial da casa, o Patrick’s Platter, entrada que inclui camarão, asinhas de frango ao estilo Jerk (carne marinada em uma mistura de temperos, tal qual feito na Jamaica) e palitos de mussarela, cenoura e aipo com molho especial.  

Patrick’s Place: 2.835 Frederick Douglass Boulevard, entre 8th Avenue e 151st Street, Manhattan  

5. The Jazz Club

O bar subterrâneo do Aman New York é descolado e sofisticado, com ótimas bebidas. (Crédito: Aman Hotel/Divulgação)

O The Jazz Club traz para a região de Midtown a atmosfera dos speakease. Num ambiente intimista, ‘escondido’ no hotel boutique Aman, as apresentações que rolam à noite passeiam por diferentes vertentes do jazz, junto de uma variedade de outros gêneros musicais derivados, enquanto sets de DJs evocam a energia da celebração e a nostalgia dos tempos passados.

O conceito nova-iorquino da casa, reinventado pela Aman, ainda conta com uma carta de bebidas que presta homenagem à multiculturalidade da cidade, com coquetéis inovadores, os melhores vinhos e destilados, além de um cardápio que passeia por sabores de todo o mundo.  

The Jazz Club: 9 West 56th Street (entrada privativa do Aman New York Hotel), Manhattan  

6. The Porch

Em Sugar Hill, no Harlem, o The Porch, que oferece o programa Artist-in-Residence, apresenta e apoia músicos locais aclamados e dá continuidade à orgulhosa história do Jazz on St. Nick.

De quarta a domingo rola o excelente combo gastronomia, bebida e sessões emocionantes versadas na tradição do jazz, que integram também estilos musicais como neo soul, R&B, blues e hip-hop.  

The Porch: 750A St. Nicholas Avenue, Manhattan  

7. The Flatiron Room  

Para quem curte whisky, esse é o lugar. A cultura do The Flatiron Room tem base nas bebidas destiladas. (Crédito: The Flatiron Room/Divulgação)

O The Flatiron Room possui duas unidades na cidade que mantém o mesmo princípio: espaços onde as pessoas se reúnam e tenham seus cinco sentidos aguçados enquanto aproveitam a comida, bebida e apresentações ao vivo.

A seleção de vinhos e destilados é diversificada, enquanto garrafas de scotch, bourbon, tequila, mezcal, rum e brandy revestem as paredes do bar. Como o objetivo da programação musical é aprimorar a experiência, as apresentações variam de bandas de blues a DJ tocando acid jazz em vinil. Para planejar a noite que melhor dá match com seu estilo, confira a agenda da casa.

The Flatiron Room: Unidade NoMad: 37 West 26th Street, entre a Broadway e a 6th Avenue  / Unidade Murray Hill: 9 East 37th Street, entre a Madison Avenue e a Quinta Avenida  

8. Gotham Restaurant

Em novembro de 2021, o Gotham reabriu sob nova direção desde 1984. Depois de fechar por 18 meses durante a pandemia, a casa retornou atualizada. Os novos proprietários trouxeram para o empreendimento uma vibe mais verde e consciente.

O restaurante é decorado com muitos livros, música e arte para complementar a experiência gastronômica de alto nível. A programação artística, do show noturno de jazz ao jantar exclusivo com vinhos, torna o espaço vibrante e em constante evolução quanto a própria cidade de Nova York. 

Gotham Restaurant: 12 East 12th Street, Manhattan  

9. The Django

The Django é um bar retrô de jazz com decor inspirada nos clubes franceses, dentro do Roxy Hotel em Tribeca, Manhattan. (Crédito: The Django/Divulgação)

Entre no The Django e você terá a sensação de estar em outro país. O clube de jazz subterrâneo, com seus tetos abobadados e paredes de tijolos aparentes, foi modelado com base nos clubes de Paris. O local possui dois bares, uma sala de jantar aberta e um palco para apresentações ao vivo, além de um sistema de som Meyer de última geração.

O The Django se tornou um lugar para músicos e público chamarem de lar, já que oferece oportunidades para estrelas em ascensão, artistas experientes e visitantes animados aproveitarem a variedade de músicas de jazz todas as noites da semana, complementadas por uma seleção de coquetéis artesanais, preparados por uma premiada mixologista. As apresentações começam às 19 horas. 

The Django: 2 Avenue of the Americas, junto ao The Roxy Hotel

10) BrownstoneJAZZ

Imagine voltar no tempo e ouvir bandas de jazz ao vivo em uma casa vitoriana restaurada do século 19, situada na região histórica do bairro de Bedford-Stuyvesant, no Brooklyn. O BrownstoneJAZZ, que apresenta shows intimistas e completos de jazz, com piano, baixo, bateria e outros instrumentos acústicos, tem a vibe exatamente assim.

Delícias como peixe frito ao estilo sulista e sessões de microfone aberto contribuem para a experiência na casa, que abre de sexta a domingo em dois turnos, à tarde e à noite. 

BrownstoneJAZZ: 107 Macon Street, Brooklyn  

Sair da versão mobile