Em cada cidade que vai, Amanda Browder conta com a ajuda da comunidade local para arrecadar material e costurar a peça final

Amanda Browder é uma artista têxtil que mora no Brooklyn, em Nova Iorque. Ela tem trabalhado com comunidades das cidades por onde passa com o intuito de transformar prédios conhecidos e dar a eles uma nova roupa – literalmente. Usando metros e metros de tecidos coloridos e vibrantes doados por fábricas, Amanda costura grandes panos com os quais cobre as construções.

Tudo é feito com a ajuda de voluntários locais que ajudam a costurar os pedaços de tecido para dar forma a enormes painéis de patchwork. Depois de prontos, os panos envolvem torres de relógio, forram elevados, passarelas e cobrem paredes inteiras com uma explosão de cores e texturas.

O objetivo é dar a quem passa pelas ruas uma nova visão em relação a prédios que já são conhecidos. “Eu sou apaixonada pela natureza transformadora dos materiais e em como a noção de familiar cria uma relação abstrata com lugares. Influenciada pela experiência psicodélica, sou levada a reinventar as cores da Pop-Art explorando percepções esculturais”, diz a artista em uma manifesto em seu site. 

Amanda Browder é graduada em arte e tem dois mestrados em esculturas e instalações artísticas. Recentemente teve a oportunidade de expôr seu trabalho, batizado de Caleidoscópio, na ArtPrize, uma respeitada mostra artística organizada em Grand Rapids, Michigan. A cada ano, apenas cinco artistas são convidados a expor seus trabalhos dentro de um tema específico.

A participação comunitária é essencial para que as instalações externas tenham sucesso. Por onde vai, a artista busca engajar voluntários para cortar, organizar, alfinetar e costurar pedaços de tecido diferentes. Ela também aceita que os voluntários doem algum tecido que tenham, sempre com o lema de quanto mais diferente e colorido, melhor.

Para quem olha de longe, pode até achar que trata-se de um grafite. A surpresa então é quando o espectador chega mais perto e percebe na verdade trata-se de um enorme pano. A experiência então fica ainda mais incrível e sensorial, quando as pessoas tocam no tecido e percebem as diferentes texturas que compõem a peça como um todo.

Gostou? Acompanhe mais sobre a artista Amanda Browder pelo seu Instagram ou site.

Via.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários