Projeto Suprachromacy de estúdio em Londres questiona a respeito da nossa percepção das cores em nosso planeta. 

Você já pensou que uma planta pode ter outras cores além daquela aparente a olho nu? Não, você não leu errado. Sim, a maioria das plantas são verdinhas, mas elas têm outros tons também. Em um projeto especial, Marcus Wendt, diretor criativo do estúdio Field, em Londres, viajou até a Ilha de Lanzarote (Arquipélago das Canárias) para fotografar plantas da região em imagens macro e o resultado é surpreendente.

No projeto, batizado de Suprachromacy, Wendt usou a técnica da fotografia infravermelho, que consegue capturar a luz refletida por fontes de calor, como os seres vivos. Esse comprimento de onda não é capturado pelos olhos humanos e exige um equipamento especial que consegue isolar-los.

Assim, cactos e outras espécies que absorvem luz se transformam em outros seres incríveis, vibrantes e cheios de cores. Espinhos, ramos e corpos brilham em diferentes tons como azul, laranja e amarelo intensos. Com tantas nuances exuberantes, as imagens parecem até mesmo que saíram do fundo do mar, de recifes de corais diversificados.

As fotografias macro expandem a nossa percepção da realidade. Com essa descoberta, Wendt questiona a respeito da natureza das cores e se elas são uma propriedade ou uma sensação, parte de um objeto ou do próprio espectador, como uma emoção individual? O fotógrafo se inspira nos estudos de Isaac Newton.

Uma frase em particular do cientista parece fazer muito sentido para o projeto: “Os raios (de luz) em si não são coloridos. Não há nada neles além de uma certa força e disposição para provocar uma sensação desta ou daquela cor”. Newton é muito conhecido, entre outros feitos, por suas descobertas a respeito do comportamento dos raios de luz e das cores.

Para Wendt, o projeto traz uma nova visão sobre como enxergamos as cores. “Para nós, esses espectros de cores meio alienígenas despertam ideias a respeito de quanta profundeza está escondida por trás da cor verde. Também podemos ver como uma planta pode se parecer em um planeta onde o sol poderia ter uma cor diferente”, diz.

Além do Suprachromacy, o estúdio Field também desenvolve outros projetos ligados à fotografia, vídeo, design, movimento e experimentação. Parcerias com marcas não ficam de fora do portfólio, incluindo Nike – em que corredores em uma esteira viam os reflexos de seus movimentos projetados em um painel interativo, que davam a sensação de estar no fluxo da corrida – e Adidas, em uma campanha em parceria com a estilista Stella McCartney.

SUPRACHROMACY E AS CORES DA FOTOGRAFIA INFRAVERMELHA 

 

Gostou? Acompanhe outros projetos do estúdio Field pelo site, Instagram ou Behance.

Via.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários