A artista de origem italiana Francesca Cramer utiliza basicamente linha e agulha nas suas intervenções em imagens antigas. Mas apesar da simplicidade dos materiais, a técnica agrega cores e texturas inusitadas às suas obras, promovendo um novo olhar sobre as mesmas.

SOBRE FRANCESCA CRAMER

Francesca vive atualmente no Reino Unido, e foi lá, na própria rua onde mora, que ela descobriu uma loja de antiguidades que vendia cartões postais antigos. E foi o ar “vintage” desses cartões que despertou seu interesse, tornando-os a base do seu trabalho artístico, que teve início em 2015.

As técnicas que ela utiliza são o ponto cruz e o bordado livre, e ora ela utiliza a linha para esconder, ora para ressaltar alguns aspectos das imagens. Ela encara essas intervenções como uma maneira de criar uma relação entre o passado e o presente: É uma conversa entre você agora – sua paixão por histórias, por cores – e algo que já existia e que já tinha uma história, mas que de alguma forma se perdeu, conta Francesca.

O contraste que o bordado gera nas representações do passado é um ponto-chave na sua obra, e Francesca acredita que através da técnica ela acrescenta uma nova história, um novo capítulo às imagens: “É uma espécie de conversa com o passado nas imagens, como levantar uma camada de poeira e deixar a cor passar, acrescentando outro capítulo, ela diz.

Além dos postais, ela também intervém em fotografias e em outros tipos de gravuras. Apesar de ter começado sua obra com os postais encontrados na loja de antiguidades local, Francesca conta que já expandiu sua busca por esses materiais. Atualmente ela visita feiras de objetos antigos e também adquire os itens através da internet.

Uma curiosidade sobre o conteúdo dos cartões postais é que ela nunca descobriu uma história de amor contada através das correspondências: Eu não sei se é uma coisa britânica, mas normalmente eles escrevem sobre o clima, ela conta.

A italiana ainda acrescenta que escolheu o papel não somente pela atração que as imagens geraram nela, mas também porque ele tem uma superfície que representa um maior desafio, que a deixa mais intrigada a criar.

Você pode conhecer mais trabalhos de Francesa Cramer através do site da artista e também acompanhar a sua conta no Instagram.

Via/Via.

Affonso é arquiteto e urbanista e tem dificuldade em ficar parado. Amante dos trabalhos manuais desde pequeno, criou sua loja online, a Caixote dos Milagres, em 2015. Por lá ele comercializa bordados que confecciona a partir de suas próprias ilustrações. Affonso adora artes, decoração e qualquer projeto de “faça-você-mesmo”. Acredita que com criatividade é possível transformar o espaço e as pessoas ao seu redor.

Affonso Malagutti – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários