Nascida na cidade de Nova York, Hillary Waters se inspira na natureza para criar seus bordados. Ela utiliza materiais orgânicos e botânicos como tela para receber suas criações, por meio de técnicas de bordado livre.

A estadunidense vive atualmente na cidade de Richmond, capital da Virgínia, e transforma folhas, flores, galhos e penas que encontra pela cidade em arte. Por meio de linha, agulha, um estilete de precisão e muita delicadeza, as figuras que se formam nessas superfícies criam padrões geométricos ou reproduzem desenhos de folhas e flores.

Aos 30 anos de idade, ela se considera uma pessoa tranquila e que adora estar ao ar livre, sobretudo no verão. A criação das peças frágeis vai de encontro com o desejo da artista de estabelecer uma ligação direta da natureza ao toque humano. E também chamar a atenção das pessoas pra esses materiais que normalmente passam despercebidos.

Ela revelou ao DesignBoom que um dos motivos por ter escolhido as folhagens foi pelo fato delas serem biodegradáveis. Além disso, ao invés de comprar linhas novas ela reaproveita novelos antigos de sua avó.

Apesar de ter a natureza como sua principal referência, ela também busca inspiração na internet, em sites e blogs sobre design, tipografia, fotografia, desenho e colagem, por exemplo.

Hillary revelou ao The Yellow Sparrow que coleciona diversos tipos de objetos, como gravetos, penas e chaves antigas, e que seu espaço de trabalho é repleto de arte e de livros que a inspiram: “Eu me sinto muito inspirada quando estou perto de pessoas criativas que estão imersas no que estão fazendo, mas eu faço a maior parte do meu trabalho quando estou sozinha, que é como eu trabalho melhor, conclui.

A artista expôs pela primeira vez em 2010, e desde então já exibiu seu trabalho em diferentes países, como Turquia, Catar, Inglaterra e Eslováquia, por exemplo. De 2009 a 2015 estudou Bordado, Design Têxtil e Estudos de Materiais em universidades dos Estados Unidos e do Reino Unido. Também já foi professora assistente e instrutora em faculdades no seu país de origem, na Itália e Turquia. Atualmente, Hillary Waters é professora assistente e chefe da área de têxteis no departamento de estudos de artesanato/materiais em uma universidade da cidade de Richmond.

RELAÇÃO DE HILLARY WATERS COM A NATUREZA

O interesse pelo mundo natural faz parte da vida de Hillary desde a infância. Em entrevista ao Art the Science ela contou que sua criatividade foi estimulada desde pequena. Seja desenhando, bordando, costurando vestidos para bonecas ou brincando com argila, ela sempre gostou de fazer trabalhos manuais.

Durante a adolescência ela frequentou um acampamento dedicado ao ensino sobre o meio ambiente, onde ela se encontrou. Dali em diante já sabia que estudaria ciências ou arte. E aos 18 anos, a partir da sua graduação em Bordado, ela passou a integrar ambas as áreas através do manuseio das folhas.

Hillary tem o desejo de reviver a conexão humana com a natureza, e pra isso ela estudou processo têxteis tradicionais e processos de gravura para aplica-los aos materiais orgânicos: “Esses bordados e projetos botânicos nascem do meu desejo de iluminar essa conexão e da minha curiosidade sobre a sobreposição da simbologia espiritual/religiosa e da geometria sagrada, com os padrões que existem na natureza. Agora, mais do que nunca, parece fundamental inspirar uma perspectiva alterada sobre a maneira como vemos o mundo natural; explorar e apreciar o que é tantas vezes esquecido e perceber o potencial de existência em equilíbrio com a natureza, diz ela.

Além disso, sua prática artística serve para dar manutenção à técnica da costura e do bordado, que tem recebido cada vez mais ênfase na arte contemporânea. Através desses processos manuais ela acrescenta um caráter histórico na sua obra.

Waters se atraiu pelas folhagens também por conta da sua similaridade com as superfícies têxteis. Mas apesar de preferir os objetos encontrados no meio ambiente, ela não descarta a possibilidade de trabalhar com outros materiais: “Eu amo técnicas e processos simples e estou sempre pronta para aprender novas maneiras de usar o que tenho, conclui.

A escolha das cores também é muito bem pensada. E para dar ênfase ao objetivo de integração dos seus bordados com a natureza ela prefere trabalhar como fibras em tons terrosos ou esverdeados, que se aproximam das cores das suas “telas naturais”. Ela conta que a escolha da paleta deve se equilibrar com a natureza, sem superar a beleza que já existe nas folhas.

Ela, sobretudo, é uma amante do planeta e sua arte nos conecta com os elementos e organismos que estão aqui presentes: “Eu me sinto muito grata por estar neste planeta, fazendo arte sobre os incríveis organismos aqui e nossa conexão com eles”, conclui.

Assista abaixo um vídeo com entrevista da artista. É possível ativar legendas em português.

Se quiser acompanhar o trabalho de Hillary Waters, acesse o site e o perfil da artista no instagram.

Affonso atua como artista visual e ilustrador e tem dificuldade em ficar parado. Amante dos trabalhos manuais desde pequeno, ele se dedica ao bordado manual como expressão artística e acredita que com criatividade é possível transformar o espaço e as pessoas ao seu redor.

Affonso Malagutti – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários