Victoria Rose Richards usa uma combinação de linhas retas, estreitas e nós franceses exuberantes para imitar o padrão rural de terrenos e campos cultivados divididos por cercas vivas e bosques. Richards, que tem 21 anos e mora em South West Devon, no Reino Unido, se inspira nas belezas naturais que a cerca. “Minha arte é influenciada pelo meu amor ao meio ambiente e à conservação, que desenvolvi durante o curso de biologia que concluí este ano”, disse Victoria Rose Richards ao site Colossal.

A artista conta que ao longo da vida também administra a dor crônica e a síndrome de Asperger. Victoria Rose Richards começou a bordar durante a faculdade como uma maneira de elevar o ânimo e envolver sua mente entre as aulas e os estudos.

Sou uma pessoa propensa a um humor depressivo e percebi na universidade no ano passado que um dos principais gatilhos para isso é o tédio. Sempre tive uma queda pela arte e decidi fazer alguns para preencher os espaços vazios entre os estudos – eu já havia tentado muitos tipos ao longo da minha vida e nunca realmente encontrei um meio de arte pelo qual pudesse me apaixonar. Então, vi algumas lindas paisagens de bordados de outros artistas online por acaso, e percebi que nunca tinha tentado isso antes! Escolhi alguns azuis e verdes agradáveis da lata velha de bordar da minha avó em outubro de 2018 e fiz minha primeira tentativa, e não estou entediada desde então!

AS CORES EM SEUS BORDADOS

O nome que ela escolheu para divulgar sua arte no Instagram, chromato_mania reflete a ênfase que dá para as cores saturadas em seus bordados.

Eu vejo as cores como um ponto focal importante em meus bordados – as cores em particular podem invocar uma variedade de emoções! Acho que enfatizo as cores por duas razões, uma delas que torna as coisas mais otimistas – na verdade, eu penso no meu estilo de arte como ‘otimista’! Gosto de fazer dias chuvosos e noites escuras parecerem brilhantes e emocionantes!

“Acho também que a síndrome de Asperger desempenha um papel. Tenho sensibilidade sensorial devido ao meu autismo e o mundo é de alta definição ao meu redor – ruídos pequenos são muito altos, cores são muito brilhantes, pequenos toques são avassaladores e estressantes. Para mim, acho que faz sentido talvez que eu também enfatize coisas como a cor na minha arte, pois me parece natural “.

Quanto às peças aéreas (vista de cima) das paisagens, as visões são inspiradas nas montanhas e pastoreios onde ela mora, colinas e longas estradas. Quando questionada se você poderia encontrá-las em um mapa, Victoria diz que é mais um processo criativo.

Minhas peças aéreas não são fiéis à vida ou replicações de lugares reais – eu tentei fazer isso em uma delas recentemente e não gostei nada, ela remove o elemento imaginação e eu só quero poder fazer o que eu quiser! Ocasionalmente, uso o Google Earth para obter inspiração, porém, para formas“, explica o processo.

Victoria Rose Richards está constantemente aprendendo novas técnicas para ampliar suas texturas e padrões. Você pode acompanhar seus bordados no Instagram.

Via.

Marjorie Simões é designer de interiores e artista visual. Curiosa, observadora e pesquisadora, adora aprender coisas distintas para depois conectá-las. Valoriza os trabalhos manuais, a cultura vernacular, a economia criativa e a produção/consumo sustentável. Acredita no poder das cores e tem leves faniquitos quando entra em ambientes beges.

Marjorie Simões – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários