Arte e pintura? Nós amamos! E graffiti com luz e água? Gostamos mais ainda! Se você ainda não conferiu o trabalho do francês Antonin Fourneau, essa é a hora. Depois de fazer pós-graduação de Arte interativa na Escola de design EnsAD Paris, Antonin se dedica a trabalhar com arte interativa e cultura popular. 

Via: Antonin Fourneau

Apesar da foto, Antonin é um cara do bem, que já criou trabalhos colaborativos, escreveu livro, ganhou prêmios, fez exposições e foca sua pesquisa principalmente em arte interativa para grandes grupos de pessoas. Traduzindo: o trabalho dele é incrível.

Desde 2012 o Water Light Graffiti é exposto no mundo inteiro. Atualmente ele é professor na EnsAD mas dá aulas e workshops pontuais em diversas faculdades como a CAFA-Beijinhg na China e a HEAD Genova na Itália.

Via: Water Light Graffiti

Abaixo você pode conferir um vídeo feito em parceria com o Artlab Digitalarti:

É muito bacana ver as pessoas interagindo e ocupando os espaços públicos. Principalmente de noite, considerado como mais perigoso para muita gente. Com o Water Light Graffiti, é o momento perfeito para se divertir.

A arte de rua, que surge como uma forma de ocupação do espaço público, seja para criticar um mal uso ou aprimorar um uso existente é a forma de comunicação de muitos artistas. Ao pegar essa arte e dar as pessoas a liberdade de criar, se atinge um patamar acima: o de comunidade.

WATER LIGHT GRAFFITI – COMO É FEITO?

Um tempo atrás nós falamos sobre o LED Graffiti, que ao invés de tinta produz luz! Você pode obter um resultado parecido se tiver uma câmera DLSR. Usando o efeito “BULB”, que é abrindo ao máximo a captação de luz. Quando você está em um lugar muito escuro e começa a movimentar a lanterna do seu celular por exemplo, a fotografia irá registrar o percurso que a lanterna fez, formando uma imagem. Esse estilo de foto é conhecido como lightpainting, ou figura da luz.

Lightpainting| Foto por: Mustafa Ezz – Via: Pexels

É diferente do que Antonin Fourneau faz, mas é outra possibilidade. São várias formas de se utilizar da luz como arte. Como Graffiti que resiste a água então, melhor ainda. E como isso funciona? As luzes usadas no painel de Antonin são sensíveis a água. Ou seja, acendem quando você passa um pano molhado, por exemplo. E essa é a mágica! Depois de um tempo os milhares de LEDs do painel absorvem essa água e está liberado para o próximo desenho!

Via: Water Light Graffiti

Você pode conferir todo tipo de graffiti na galeria do instagram da Instagrafite, a maior rede de arte de rua colaborativa do mundo!

Mais alguns vídeos para você apreciar o trabalho de Antonin:

VARIEDADES DO GRAFFITI

Gostou e quer criar seus próprios graffitis? Não precisa ser com luz não! Já existe uma máquina que te permite fazer graffites a partir de pontos – é só selecionar um arquivo pelo seu celular e acoplá-la na lata de tinta. E se você for mais da natureza, tem arte ecológica também! A Anna Garfoth faz graffiti com musgo pela cidade ao invés de utilizar spray.

Via: Water Light Graffiti

Para artes mais delicadas, relembre o trabalho da NeSpoon, que espalha a beleza das rendas pela cidade. Ou, se você quiser algo mais selvagem, vale lembrar do Cellograffiti do Evgeny Ches, que utiliza plástico filme como tela para seu trabalho, ao invés dos tradicionais muros.

Tereza Teixera é estudante de Arquitetura e Urbanismo com muito prazer e está sempre procurando aprender mais sobre um pouco de tudo, principalmente sobre cenografia, criatividade, inovação, filosofia, negócios e novas formas de viver. Regida sob novos desafios e convivência constante com a arte.

Tereza Teixeira – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários