O que gostamos mais do que cores, estampas, gente bacana e novidades? Tudo isso junto de um som massa! A banda Abacaxepa, já com 3 anos de idade explora nossos sentidos com uma mistura de sons, propaga a diversidade tanto na cidade do asfalto como na beira-mar e deslumbra com o visual cheio de tons.

Conheça mais sobre Bruna Alimonda (vocal), Carol Cavesso (vocal), Fernando Sheila (baixo), Ivan Santarém (guitarra), Juliano Veríssimo (bateria), Rodrigo Mancusi (vocal) e Vinícius Furquim (teclado e vocal), Junão Ferreira (produção técnica), Rodolfo Lacerda (produção executiva). Se prepare por que o show vai começar!

Via: Abacaxepa

ABACAXEPA – O INÍCIO

A banda surgiu em 2016 na graduação de teatro da Escola Superior de Artes Célia Helena. A amizade mostrou a afinidade musical, além dos interesses da faculdade e assim, juntos após as aulas, sempre ensaiando e frente a oportunidade de se apresentarem no EPA (Encontro de Propostas Artísticas), evento feito na faculdade. O primeiro show acontecia e surgia a banda Abacaxepa!

No começo eram covers, interpretações de outros artistas para hoje já terem seu primeiro EP, singles, sessões de fotos, entrevistas, clipes, um álbum autoral para ser lançado em 2019, viagens e claro, muita música boa e colorida!

O grupo já se apresentou em diversos espaços como: Auditório Ibirapuera, Festival Forró da Lua cheia, Mundo Pensante, Casa das Caldeiras, Teatro Oficina, Avenida Paulista, Oficina Uzyna Uzona, Espaço Parlapatões, Sesc Santana, Unibes Cultural, Cinemateca brasileira e mais uma série de espaços culturais importantes para a cidade.

Banda de música popular, brasileira por natureza, com traços tropicalistas na performance e na sonoridade, iniciou no ano de 2017 a jornada do trabalho autoral, lançando dois singles: “Pimenta” e “O dia que Maria levantou“. As influências musicais vão do sudeste ao nordeste, do urbano ao rural, do rock ao samba.

De Caetano Veloso a Raul Seixas, a banda tem como referências os artistas do movimento tropicalista e artistas atuais que seguem com um trabalho sincero e presente, como as Bahias e a Cozinha Mineira e Anelis Assumpção.

Via: Abacaxepa / Julio Leão Fotografia

Foto: Fabio Stamato/ Abacaxepa em parceria com BoleroFreak fazendo apresentação na Avenida Paulista de domingo

Tocando Baião Escocês na Unibes Cultural

Ama clipes? Confira o casal que viajou o mundo produzindo vídeos para 80 bandas diferentes!

A ESTÉTICA DA ABACAXEPA: ROUPAS E CORES

Entrevistamos um dos vocalistas da banda, Rodrigo Mancusi que nos contou mais sobre as cores, trajetória, conquistas e sonhos da Abacaxepa, confira:

FTC: Vocês sempre estão muito coloridos e com muitas estampas diferenciadas. Acreditam que isso aumenta a visibilidade de vocês?

Abacaxepa: Sim porque é uma estética pensada junto com a nossa música e acredito que tudo nesse sentido que seja forte, e chame a atenção justamente por ser bem pensado é digerido com esse intuito. Atualmente estamos finalizando nosso álbum e escolhendo toda a estética. Então vamos acabar fugindo um pouco do estampado, o diferente que trazíamos antes.

Estamos indo para algo mais liso, com outras cores mas sempre com nosso estilo buscando não-binearidade de roupas. Acreditamos que nosso som já significa muita coisa e já é muita informação, até porque somos 7 músicos. Agora buscaremos um novo lugar na estética.

Confira mais sobre o mundo das cores visitando a fábrica da pantone

FTC: Vocês tentam passar alguma mensagem a partir do que vocês vestem?

Abacaxepa: Sim, temos mensagens. Mas como já dito antes, a Abacaxepa nasceu de uma brincadeira e não tinha a intenção de se tornar uma coisa profissional, então foi muito natural. Não foi como se tivéssemos pensado que tipo de público queríamos atingir e nos vestimos de tal maneira para conseguir.

Nos preocupamos sempre com a performance, já que viemos do teatro e utilizamos isso como uma experiência artística, então nossas roupas têm um pouco dessa brincadeira e as questões de gênero, que não nos importamos com qual o gênero que é dito para aquela roupa, com os homens usando vestido, mulheres de blusa fechada e gravata. São essas as mensagens que buscamos mostrar.

Fabio Stamato Fotografia

Apresentação no Auditório do Parque Ibirapuera

Via Abacaxepa

Veja as tendências de cores em todo o mundo a partir dessa pesquisa

Fabio Stamato Fotografia

Fabio Stamato Fotografia

TRAJETÓRIA

FTC: Como vocês veem o que vocês já conquistaram até agora?

Abacaxepa: Estamos muito felizes e realizados com o que construímos até aqui. São três anos de banda, mas nesse trabalho autoral temos um ano, com a nova formação de banda e no nosso primeiro EP autoral lançado. E nesse 1 ano já fizemos muita coisa, tocamos em muitos lugares, fizemos shows em São Paulo em casas que nunca imaginaríamos que em tão pouco tempo conseguiríamos como o Auditório Ibirapuera, super renomado, projetado pelo Oscar Niemeyer, dentro do Parque Ibirapuera.

Então estamos agora com outro álbum pronto, fizemos muita coisa que normalmente demoram-se anos para construir. Acreditamos que assim poderemos realizar mais coisas ainda, viajar bastante, muitos shows pelo Brasil e mostrar o nosso som, fazendo com que ele chegue em muitos lugares.

FTC: Quais são as projeções de vocês para os próximos anos?

Abacaxepa: Estamos para lançar nosso álbum “Caroço”, que vai sair em todas as plataformas digitais, com clipe, singles para dar uma esquentada e esperamos que esse álbum chegue em muitos lugares, presencialmente ou não, nas casas, ouvindo no transporte público e com os shows ao vivo. Esperamos que seja uma experiência muito legítima e muito gostosa, e nossa pretensão é trabalhar, trabalhar e trabalhar… Sempre mudando, sempre buscando a melhora, o aperfeiçoamento, junto a conjuntura política e social que vivemos.

Ouça a música mais recente da banda: Remédio Pra Gente Grande!

POR QUE ABACAXEPA?

Abacaxepa: Como precisávamos de um nome para nos inscrever no festival da Célia Helena, um dia antes da data final estávamos em uma festa e a única iluminação do lugar era uma jarra de abacaxi com uma luz dentro. Então unimos o abacaxi com o EPA (Encontro de Propostas Artísticas, da Escola Superior de Artes Célia Helena) e formou Abacaxepa.

E isso acabou se resignificando porque xepa significa o final da feira, onde as coisas ficam mais baratas, apenas o que sobrou. Então junta-se o abacaxi, da fruta tropical com isso. Às vezes nós brincamos que somos o abacaxi no final da feira que ninguém quis.

Apresentação no Auditório do Parque Ibirapuera | Fotografia: Fabio Stamato

Música “Menina Praga”, do EP homônimo da banda 

Fotografia de Flora Negri

Fotografia: Fabio Stamato 

Fotografia: Fabio Stamato | Apresentação na Avenida Paulista em parceria com grupo Bolerofreak

Para 2019, a banda traz ao público o seu primeiro álbum: “Caroço”. Gravado no Estúdio YB, em São Paulo, e com o lançamento confirmado para o fim desse primeiro semestre também pelo selo da YB. Serão dez músicas, todas autorais, entre inéditas e outras que o público já conhece, como “Piracema“.

Primeiro single do álbum Caroço: Piracema

Curtiu? Para seguir a Abacaxepa e ficar sabendo de novas músicas, shows e clipes, siga a banda no Youtube: Abacaxepa, Instagram: @Abacaxepa e Spotify: Abacaxepa.

Tereza Teixera é estudante de Arquitetura e Urbanismo com muito prazer e está sempre procurando aprender mais sobre um pouco de tudo, principalmente sobre cenografia, criatividade, inovação, filosofia, negócios e novas formas de viver. Regida sob novos desafios e convivência constante com a arte.

Tereza Teixeira – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários