No mesmo espaço você pode trabalhar, utilizar uma cozinha compartilhada equipada ou até mesmo receber pessoas no Cospace para aulas e workshops. Conheça a Beelong! 

Foi-se o tempo em que as pessoas só consumiam sem pensar nas consequências. Segundo estudos, muitos jovens estão trocando o “consumir” pelo “experimentar”, como mostra esse artigo publicado do FFW.

E na contra-mão do consumo exacerbado, descobrimos que a economia compartilhada e consumo sustentável passa a fazer cada vez mais parte do dia a dia das pessoas, tanto no exterior quanto no Brasil. 

Pelas principais capitais, já existem diversos modelos de negócios capazes de atender as necessidades de quem busca por isso de uma maneira menos nociva. Mas e as cidades menores? 

Foi pensando nisso que as irmãs Vanessa e Taciana Bebiano resolveram empreender e mudaram totalmente de profissão criando a Beelong, um espaço único que oferece em um ambiente colaborativo, bens, serviços em uma super infraestrutura para fomentar o empreendedorismo e inspirar o consumo consciente

COMO SURGIU A BEELONG

Vanessa é ortodontista, mas nunca teve consultório próprio. Ao longo do tempo foi percebendo que não era feliz na profissão, apesar de ganhar bem. Junto com sua irmã, Taciana, que também sentia a mesma coisa, e que é veterinária, começaram a procurar outras formas de negócios em feiras de franquias

As duas, depois de muita conversa, pediram demissão de onde trabalhavam. Já estavam super por dentro do conceito de economia compartilhada, estudavam bastante sobre o assunto e começaram a aplicar a ideia em sua vida. Assim, começaram a criar um conceito e uma ideia de um negócio próprio para trazerem à Ribeirão Preto, baseadas em uma negociação de uma franquia que durou 4 anos e não deu certo.

Quando a ideia não vingou, as irmãs não desistiram e vieram de SP para Ribeirão Preto em busca de um espaço bacana e da marca própria. Depois de muito estudo, nascia a Beelong.

“A Beelong hoje é um núcleo, um centro de economia compartilhada, que tem como objetivo também mostrar essa ideia para as pessoas. Dentro da casa, é possível conhecer um pouco mais sobre esses processos coletivos e sustentáveis no dia a dia e levar um pouco desse conhecimento para sua casa”, conta Vanessa. 

Vanessa diz que a casa hoje é muito procurada para eventos. “E pensar que isso era o que menos a gente esperava!”. “Achávamos que muita gente chegaria aqui pelo coworking, pela cozinha, mas conforme as pessoas vão nos conhecendo, elas tem vindo muito também para cursos, workshops. Já rolou de mindfullness, prática de cozinha, do café a cerveja, etc. No coworking, temos 2 salas corporativas que já estão alugadas. O público é bem diversificado: fotógrafos, arquitetos. O que a gente ouve muito é que o ambiente agrega, A própria casa é bem legal, tem cenários abertos, tudo isso é bem bacana!”

A ECONOMIA COMPARTILHADA

Para as irmãs, não dá mais para insistir mais em modelos obsoletos, o melhor é enxergar as oportunidades que a economia do compartilhamento traz:

“A gente voltar às origens, comer como nossos avós comiam, parar de consumir tanta roupa ao invés de comprar, reformar… Eu tenho visto cada vez mais esse movimento”, diz Vanessa – “E para mim, ter acesso e não posse, não tem mais volta. Não é tendência, a ideia veio para ficar e questionar as relações de consumo, comida, coletivo. Eu acredito muito que não tem como ser de outra forma, o planeta está ai. A minha esperança é que as pessoas percebam que isso se sustenta e se paga. As pessoas tem despertado para querer saber mais sobre isso e a Beelong está aqui para ajudar”.

E PARA O FUTURO?

Vanessa tem colocado em xeque o modo como entendemos mercados e a economia.

“Tenho algumas páginas no Instagram que gosto muito como: Comida Invisível, Menos um lixo, Modefica, Fashion Revolution. Nelas, tenho tentado aprender cada vez mais da onde vem as coisas, isso é bem legal. Também estamos conversando com o Sebrae para ser fornecedores para pequenos produtores, então é bem bacana, isso é me inspira muito também. Quero abrir as portas para eventos sociais, inclusivos e coletivos”. 

“Nosso desejo é expandir mesmo como uma colmeia, é polinizar. Quem sabe deixar de ser um pequeno centro de economia compartilhada e se tornar algo a mais! Expandir essa ideia mesmo, pela comunidade”. 

A BEELONG

COWORKING

Na Beelong, é possível alugar o espaço por dia, por hora, por exemplo, seguindo o conceito dos coworkings que já conhecemos. O ambiente de trabalho compartilhado e democrático foi pensado tanto para profissionais autônomos, freelancers, microempresas e startups que buscam um espaço integrado, funcional e agradável para desenvolver projetos, empreender, estabelecer novas relações de trabalho e colaborar. 

COKITCHEN

Já a CoKitchen é um espaço gastronômico para todos os níveis de cozinheiros: amadores, chefs profissionais, alunos de gastronomia e todos os profissionais do ramo que buscam uma infraestrutura de uma cozinha equipada mas não querem, ou não podem, ter uma própria. Seja para cozinhar para fora, estudar novos pratos, testar receitas, fazer cursos de culinária, produzir um vídeo para um canal culinário, promover um evento gastronômico ou simplesmente para dar vazão a sua paixão pela cozinha. 

COSPACE

A Beelong conta também com espaços de convivência que pretendem expandir os relacionamentos e possibilitam a realização de eventos, aulas, cursos, workshops, e outras oportunidades de networking na casa. 

EM BREVE: BLIMO – CLOSET FORA DE CASA

A Blimo é algo totalmente novo e traz em parceria com a Beelong um programa de assinatura de roupas que te permite pegar peças de marcas bacanas, de acordo com seu plano. É ideal para quem curte tendências mas não tem grana para renovar sempre seu closet, ou para quem não quer consumir desenfreadamente mas quer estar sempre antenado.

A ideia é ter sempre roupas novas, mas de forma consciente e sem doer no bolso. Uma oportunidade de viver de forma mais consciente, integrada a essa nova realidade de economia compartilhada. Você usa, devolve, pega outra peça. 

A Beelong chegou em Ribeirão como uma iniciativa inédita para os interessados em repensar consumo, questionar modelos de organização social e econômica e investigar os verdadeiros valores contemporâneos. 

Bóra olhar para um futuro mais coletivo? Seja no exterior, nas capitais, ou na nossa cidade?

 

Pra saber mais, acesse o site da Beelong e acompanhe no Facebook e Instagram!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários