A pandemia de COVID-19, o famoso e imperdoável Coronavírus, não será esquecida facilmente. Afinal, 2020 tem sido um ano diferente para muitos (se não todos). Pessoas deixaram de viajar, trabalham de casa, alguns dizem que as escolas jamais serão as mesmas e diversos novos hábitos foram criados. E um dos hábitos humanos e sociais que sofreu transformações foi o religioso. A pandemia fechou mesquitas e igrejas ao redor do mundo, mas com certeza isso não fez com que as pessoas parassem de ter fé e ACREDITAR.

Muito pelo contrário, as pesquisas no Google por orações, assim como o compartilhamento de reportagens, vídeos e pesquisas sobre temas relacionados aumentou de forma significativa desde março deste ano, de acordo com uma pesquisa feita pela University of Copenhagen.

Uma outra pesquisa, feita pelo Pew Research Center, conduzida em março, concluiu-se que mais de metade dos adultos norte-americanos dizem ter rezado (independente de sua fé) para que o Coronavírus pare de se espalhar pelo mundo. Considerando que muitos norte-americanos não se consideram “praticantes” ou religiosos fervorosos, é interessante notar que, quando o avião está caindo (metaforicamente falando), todos nós acreditamos em algo.

É do ser humano buscar uma ligação com o divino, seja ele representado pela figura de um Deus, por meio da religião ou, a fé não precisa, necessariamente, estar ligada à nenhuma doutrina. E a oração é um forte antídoto espiritual. São palavras de confiança que cada um deposita no que escolhe acreditar. Uma esperança como antídoto diante de um inimigo invisível.

A ERA DO STREAMING RELIGIOSO

O canal do Vaticano no YouTube fez uma live durante o domingo de Páscoa. Diversos padres e pastores e outros guias fizeram vídeos e lives no Instagram. O Dalai Lama meditou online e o site Pray.com nunca teve tantos acessos, segundo o Los Angeles Business Journal.

O Dalai Lama aliás, recentemente apareceu nas paradas da Billboard pela primeira vez. Seu álbum de estreia, Inner World, ficou em primeiro lugar na lista de álbuns New Age e em 8º no mundo. Foi lançado no seu aniversário, 6 de julho de 2020, e apresenta mantras e ensinamentos misturados à música.

O sentido de espiritualidade e a busca pela fé, independente da forma que ela se apresente, nunca apareceu tanto, no mundo digitalAplicativos de meditação e bem estar, como o Headspace, também aumentaram o número de downloads e de assinantes. O que também fez com que seu criador, Andy Puddicombe, criasse uma nova série, gratuita, chamada “Weathering the Storm” (tradução: “Resistindo à tempestade”), por exemplo.

Se a fé não estava instalada ou não tinha espaço nas redes sociais, esse é o seu momento. Em tempos de crise, é comum buscarmos pelo sentido da vida. A fé ajuda nisso. Errar pode ser humano, mas sobreviver à uma pandemia é divino.

DICAS ON-LINE DE COMO TER MAIS FÉ OU BUSCAR A ESPIRITUALIDADE

 

Jornalista, pós-graduanda em Práticas Contemplativas e Mindfulness pela PUC-Rio. Aquariana, viciada em café e podcast, acredita na humanidade mas tem fortes dúvidas sobre Deus.

Gabriela Pimenta – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários