Futuur é um jogo de previsão social onde os jogadores competem para prever eventos futuros em categorias como política, finanças, esportes, ciência e entretenimento

O ser humano está sempre em busca de algo que possa ganhar. Basta olhar à volta para observar quantas pessoas já jogaram na loteria. Pode ser que até você tenha tentado alguma vez.

Porém, esse hábito não é nem um pouco recente. Segundo pesquisadores, a humanidade participa de apostas esportivas desde as épocas primitivas. Acredita-se que, em tempos remotos, as pessoas tinham brincadeiras mais simples, como atirar pedras.

Depois, no Egito Antigo, foi inventado o dado. A criação desse objeto permitiu que diversos jogos de tabuleiro fossem desenvolvidos. Séculos mais tarde foi a vez da China com as cartas, mas somente em 1300 aproximadamente elas chegaram à Europa para os árabes. A partir de então as disputas começaram a se popularizar.

POR QUE É MAIS FÁCIL FAZER PREVISÕES HOJE?

Como se percebe, o desenvolvimento de jogos e brincadeiras levou anos – e até séculos – para acontecer. A princípio era mais uma forma de passar o tempo, mas as pessoas foram descobrindo que podiam usar dinheiro para desafiar os adversários e, claro, tentar ganhar algo em troca.

A sociedade teve diversos momentos com os jogos. Houve períodos em que várias modalidades foram proibidas. No Brasil, o cassino, por exemplo, passou a não ser permitido na década de 1940, assim como outras apostas.

Atualmente, porém, é possível dar palpites de uma forma simples, lícita e sem sair de casa: pela internet. E agora existe uma plataforma que abre às apostas diversos assuntos além de esportes – incluindo política, ciência, negócios e entretenimento  e que tem como meta prover melhores previsões em todas essas áreas através da “inteligência coletiva” dos apostadores: o Futuur.

No mercado de previsões desde 2018, o aplicativo social agora permite que os usuários ganhem dinheiro de verdade com os prognósticos. Funciona de maneira semelhante a uma Bolsa de Valores. Os usuários fazem uma aposta do que acreditam que irá acontecer e, para isso, adquirem “ações”.

Da mesma forma que ocorre no mercado de capitais, quando muitas pessoas adquirem um ativo, ele sobe de valor. Ganha quem escolhe uma aposta que “sobe” com o público. Por exemplo: o indivíduo acredita que determinado candidato será o presidente dos Estados Unidos. Para isso, ele compra o palpite pelo preço X. Caso mais pessoas pensem igual e o valor passe a ser 2X, o jogador pode vender a posição e ganhar com a diferença.

Mark Zuckerberg vai renunciar como CEO do Facebook? O próximo agente de 007 será uma mulher? Os humanos pousarão em Marte no final de 2024? O Futuur combina previsão com gamificação onde sua reputação está em jogo. Quanto mais pessoas participarem, melhores são as previsões

Um dos aspectos interessantes é que a Futuur permite fazer diferentes tipos de apostas online. O site conta com várias categorias, como: taxa de câmbio, crescimento do PIB da China, diretoria de grandes empresas, ciência, esportes e muito mais.

Atualmente, a plataforma conta com 15 mil usuários. Porém, a expectativa é que esse número aumente, pois a partir deste ano os jogadores podem utilizar Bitcoins para fazer as apostas. Antes, o site utilizava uma moeda fictícia, chamada de Ooms.

Dessa forma, além de garantir diversão para quem gosta de opinar sobre os mais diversos assuntos, ainda é possível ganhar dinheiro de verdade – caso as apostas se confirmem. Como a Futuur utiliza notícias do mundo real para propor as previsões, é interessante que os usuários estejam de olho no noticiário.

O aplicativo é construído sobre os princípios de um “mercado de previsão”, uma forma cientificamente validada de usar a inteligência coletiva para melhor prever eventos futuros

Vale considerar:

  • Opinião de outros jogadores que utilizam a plataforma em que deseja jogar;
  • Se o sistema é seguro;
  • Como é feito o pagamento caso o jogador ganhe.

 

Como visto, apostar e criar previsões é um hábito que mudou muito desde que a humanidade percebeu que poderia ganhar algo ao expressar um palpite. Sabe aquele ditado “quem foi que pediu a sua opinião”? Agora, mesmo que ninguém peça, as pessoas podem usar um pouco da intuição para se divertir e ganhar dinheiro. Quem sabe não dá certo, né?

O público-alvo do Futuur são analistas políticos, jornalistas, acadêmicos, nerds esportivos, viciados em dados e preditores apaixonados. Para baixá-lo, busque pelo App no Android, iOS e na web.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários