Raramente pensamos no design dos objetos que usamos todos os dias. No trabalho, por exemplo, você não fica questionando a origem da caneta esferográfica ou da cafeteira quando está com a xícara na mão aguardando a sua bebida ficar pronta. 

O fato é que esses objetos do dia a dia foram meticulosamente projetados para funcionar tão bem que você nunca precisou notá-losé disso que se trata o bom design. Esses objetos resistiram ao teste do tempo, foram facilmente adotados pela grande maioria da população em todo o mundo e, são tão fáceis de usar que já fazem parte da nossa rotina.

Pensando nisso, reservamos um momento para apreciar tanto os designs clássicos – que não mudaram muito desde a sua invenção – até os que foram fundamentais para elevar o design em si. Conheça um pouco mais sobre a história dessas peças que continuam firmes e fortes após tantos lançamentos no mercado e viraram ícones do design mundial:

1 – COPO AMERICANO

Em 1947, a marca de utensílios de vidro Nadir Figueiredo criava o ‘copo americano‘. Atualmente a peça tem mais de 70 anos no mercado. O produto está presente em padarias, bares, restaurantes, é até utilizado como referência de medida para receitas. Em 2009, tornou-se objeto de coleção do MoMA, o Museu de Arte Moderna de Nova York.

O produto nacional, tem o nome ‘americano’ porque faz alusão as máquinas importadas que produziram suas primeiras unidades na época. O processo de fabricação rendia aproximadamente mil copos a cada 8 horas. Hoje, com as máquinas brasileiras, são feitos 440 unidades por minuto

2 – POST IT

Em 1968, enquanto tentava desenvolver um adesivo super forte, o Dr. Spenser Silver acidentalmente criou algo que era praticamente o oposto – um adesivo que poderia ser aplicado, removido e reaplicado novamente, sem danificar os objetos. Ele tentou comercializar o adesivo de “baixa aderência” para a 3M sem sucesso. 

Em 1974, Art Fry ouviu Silver falando sobre sua invenção e rapidamente percebeu o uso; ele então aplicou a aderência ao papel e assim estava criando o bloquinho de Post-It que tanto conhecemos no dia a dia! 

3 – BATEDEIRA (COZINHA)

A ideia do mixer foi desenvolvida por Herbert Johnson, funcionário da The Herbart Corporation. A primeira versão da máquina foi usada em navios de guerra da Marinha. Já a primeira versão doméstica foi lançada pela marca Kitchen-Aid em 1918, que permanece sendo referência quando falamos em eletrodomésticos na confeitaria. 

4- GRAMPEADOR

A Swingline foi uma empresa fundada em 1925 na cidade de Nova York por Jack Linsky. Em 1939, a empresa criou um grampeador que definiria o padrão para o produto de escritório. O design tinha uma abertura na parte superior que permitia ao usuário inserir facilmente uma nova faixa de grampos

O grampeador Swingline também se tornou um objeto cotidiano icônico nas telas, aparecendo em programas de TV como The IT Crowd, Scrubs e The Simpsons e, principalmente, no filme Office Space.

5 – COTONETE

Ao colar bolas de algodão nas pontas de um palito, Leo Gerstenzang inventou o cotonete em 1920. Gerstenzang originalmente nomeou seu design de “Baby Gays” (pois é!), mas o nome posteriormente mudou para ser comercializado como “Q-Tip” (o Q significa qualidade). Hoje, os cotonetes estão em todos os países do mundo! 

6 – TÊNIS CONVERSE

O tênis com o qual estamos familiarizados hoje vem do design da US Rubber Company para os sapatos Keds. Esses sapatos com sola de borracha e tampo de lona foram produzidos em massa até 1917. Nesse mesmo ano, Marguis Converse produziu o primeiro tênis feito para o basquete, o Converse All Star.

Em 1923, Chuck Taylor, um jogador de basquete de Indiana, endossou o sapato e o nome foi alterado para Chuck Taylor All-Stars. O resto é história! 

7 – CANETA ESFEROGRÁFICA BIC

Lazlo e Gyorgy Biro apresentaram o design de uma caneta na Feira Internacional de Budapeste em 1931. No entanto, as “penas” Biro, como eram conhecidas, traziam problemas como vazamento de tinta, desempenho ruim e preço não acessível. Nessa época, muitas variações na caneta esferográfica haviam sido patenteadas, mas nenhuma delas era viáveis comercialmente. Os irmãos húngaros então, alteraram seu design em 1938 e em 1943 se mudaram para a Argentina, onde formaram as Biro Pens da Argentina

O projeto foi licenciado para os britânicos e, em 1945, Marcel Bich, um barão francês, comprou a patente, que logo se tornou o principal produto de sua empresa Bic, colocando imediatamente suas máquinas para trabalhar em escala industrial. Em 1950 surgia a Bic Cristal como a conhecemos

O desenho simples e funcional fez sucesso em todo o mundo e mudou os hábitos de escrita de milhões de consumidores

8 – BAND AID

Imagem: Coleção Moma

Em 1917, Earle Dickson trabalhava na Johnson & Johnson e tinha uma esposa muito desajeitada na cozinha. Isso ajudou Dickson a criar um dos curativos mais vendidos de todos os tempos.

As vendas foram inicialmente lentas; foram apenas US $ 3.000 em Band-Aids no primeiro ano, mas depois que a Johnson & Johnson (1921) decidiu dar Band-Aids gratuitamente às tropas de escoteiros como publicidade, as vendas começaram a aumentar. Atualmente, a empresa fatura com o produto mais de US$100 bilhões.

9 – GARRAFA TÉRMICA

O químico e físico Sir James Dewar inventou o frasco a vácuo em 1892. O frasco consistia em duas partes que tinha ar entre elas para manter os líquidos quentes ou frios por mais tempo.

Infelizmente, Dewar nunca patenteou sua invenção e uma empresa alemã, Thermos GmbH, acabou fabricando-a em 1904, posteriormente patenteando o design e deixando Dewar sem direitos sobre o produto. A garrafa térmica hoje é um clássico mundial

10 – GARRAFA DE COCA COLA

 

Apesar das latinhas terem tomado conta do mundo, a imagem que melhor define a Coca-Cola é de sua garrafa de vidro com o logo da empresa, criada no século 19. Tudo começou em 1915, quando o advogado da empresa, Harold Hirsch, organizou um concurso de design para encontrar a garrafa ideal. Oito empresas foram convidadas a criar. A vencedora foi a Root Glass Company, de Indiana. 

O design era inspirado na ilustração de uma fava de cacau achada em uma enciclopédia, que acabou se mostrando um pouco curvilíneo demais. As garrafas viviam caindo e rolando na linha de montagem. Em 1916, ela “emagreceu”, e se tornou a garrafa padrão da Coca-Cola quatro anos depois. Em 1928, a venda em garrafas superou a venda a granel. Essa foi a garrafa que foi para a guerra em 1941 e conquistou o mundo. 

Em 100 anos de história, a única mudança significativa aconteceu em 1957, quando substituíram o logo no vidro por apenas o escrito em letras brancas, modernizando a embalagem. 

Fonte: Complex, BRAVO! – 100 Objetos Essenciais do Design Mundial, Casa e Jardim, BBC

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários