Muita gente achou que com a internet as poesias seriam esquecidas. Mas daí surgiram pela timeline a arte de colocar os sentimentos em formas de palavras, dando destaque aos que chamamos hoje de Instapoetas (Instapoets). E assim, passamos a consumir um pouco mais de literatura e receber gentileza em nossos feeds.

O que antes ficava apenas no papel foi parar no Instagram. Os versos hoje se espalham pelo mundo todo e muitos desses artistas fazem tanto sucesso que lançam até livros. Os temas ganham mais notoriedade ainda quando falam sobre o amor, a violência, relacionamentos, autoconhecimento, feminismo, saudade, o cotidiano, entre outros assuntos comuns – tanto para mim quanto para você.

Em tempos difíceis, a poesia se faz necessária. Os textos curtos, rápidos, diretos e servem como doses instantâneas de reflexão, inspiração. Muitos até parecem confissão. Listamos aqui alguns desses Instapoetas que são incríveis para seguir e para você apreciar, caso ainda não conheça. Confira:

1 – RUPI KAUR

Rupi Kaur é uma poeta indiana que mora no Canadá. O sucesso de sua obra se deve principalmente pela delicadeza da autora. Seus poemas são francos e diretos, falam aquilo que muitas vezes não conseguimos exprimir. A maioria deles são relacionados a temas íntimos das mulheres, como relacionamentos, abusos, decepções, amores, cura, autoestima e feminilidade. Rupi tem seus livros traduzidos para o português e ficou na lista dos mais vendidos durante muitas semanas. Quer saber mais sobre a artista? Já falamos mais sobre ela aqui!

Para seguir: @rupikaur_

2 – RYANE LEÃO

Ryane Leão escreve poesias sobre “mulheres infinitas” (como ela mesmo diz). Professora e ativista, Ryane também espalha suas palavras em lambe-lambes e recita seus poemas em saraus e slams. Seu livro “Tudo nela brilha e queima” (Editora Planeta) traz histórias pra inspirar outras mulheres a contarem as delas. A poeta também possui uma uma escola chamada Black to Black. Lá, ensina inglês para mulheres negras com foco em cultura afro e feminismo negro.

Para seguir: @ondejazzmeucoracao

3 – JOÃO DOEDERLEIN

João Doederlein explora novos significados e definições para as palavras além do dicionário. O seu “O Livro dos Ressignificados” (2017) foi lançado pela editora Paralela. Além disso, João também cria poesias que exploram temas como amor, saudade, ansiedades da vida moderna e as dificuldades da vida adulta.

Para seguir: @akapoeta

4 – ZACK MAGIEZI

O publicitário Zack Magiezi ficou bastante famoso pela rede com a sua série “Notas sobre ela”. Mas, o poeta também compartilha poemas curtos datilografados, que exploram principalmente temas relacionados a outros sentimentos. Zack é autor dos livros “Estranherismo” (2016) e, claro, “Notas sobre ela” (2017), ambos publicados pela Bertrand Brasil.

Para seguir: @zackmagiezi

5 – VERENA SMIT

Verena Smit tem o poder de transformar palavras dando novos significados à elas através de trocadilhos poéticos. Verena nasceu em São Paulo, é artista visual, formada em cinema e em fotografia. Ela já participou de exposições em Nova York, Lisboa e São Paulo e já lançou o livro “Eu Você” pela Editora Paralela.

Para seguir: @verenasmit

6 – SAULO PESSATO

Saulo Pessato intercala textos curtos com vídeos em que declama versos próprios. Autor de “Poesia Reclamada no Jardim das Borboletas” (2016), Saulo também lançou o livro “Verso entre Virilhas” (2018), pela Editora Laranja Original. Saulo costuma dizer que é intérprete de lirismos e que nem sempre sua poesia é bonitinha. Seus temas são variados.

Para seguir: @saulo_pessato

7 – GERMANA ZANETTINI 

A jornalista, tradutora e poeta Germana Zanettini criou a série “Poesia na Pele”, na qual explora e usa o próprio corpo para expressar seus versos. Germana também é autora de “Eletrocardiodrama” (2017), livro lançado pela Editora Laranja Original. “A série ‘Poesia na Pele’ foi um trabalho experimental, mas que rendeu bastante exposição e ajudou a me assumir como poeta, revelando partes de mim a que ninguém tinha acesso – meu corpo e meus escritos. É mais uma forma de sentir e de transmitir sensações”, comenta.

Para seguir: @ge.zanettini

8 – EULÍRICAS

Para ela, tudo pode ser lido. A poesia existe em todas as coisas, por isso a vontade de publicá-las também em objetos, lugares e momentos. Estamos falando de Camila Lordelo, a mente e o coração por trás do projeto eulíricas, que tem como objetivo, espalhar palavras e amor através da “poesia nas coisas”. Camila dá vida para poemas e sensíveis peças como colares, fotos, porta joias, pratos, quadros e outras ‘coisas’ que sua imaginação encontrar. Saiba mais sobre o trabalho da artista aqui.

Para seguir: @euliricas

9 – AMANDA LOVELACE

A americana Amanda Lovelace sempre gostou de histórias de contos de fadas. Ao crescer, foi natural se formar em literatura inglesa e se especializar em sociologia. Porém, as histórias de contos de fadas foram transformadas em poemas curtos e contam sobre momentos de abuso, perda, inspiração, autoaceitação, amor-próprio, relacionamentos, sobretudo sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Amanda compartilha linguagem direta, em forma de poesia, e temática contemporânea. No Brasil, a Editora Leya lançou dois de seus livros com os títulos de “A princesa salva a si mesma neste livro” e “A bruxa não vai para a fogueira neste livro”.

Para seguir: @ladybookmad

10 – LUCÃO

O publicitário Lucas Candão é quem está por trás de bonitos poemas que falam sobre amor, autoconhecimento e saudade. Lucão é escritor de dois livros, “Telegrama” e “É Cada Coisa Que Escrevo Pra Dizer Que Te Amo”lançado em 2015. Fundo branco e letra de mão são a marca registrada da prosa do autor carioca – e a felicidade dos seguidores e fãs no Instagram – que sempre reconhecem seus versos quando ele publica algo novo.

Para seguir: @lucaoescritor

E você? Tem indicações de Instapoetas para nos dar? Conte nos comentários!

Imagem de capa: Sandrachile – Unsplash.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários