Algumas atividades ajudam a manter seu cérebro em forma. Ouvir música, aprender uma coisa nova,  fazer exercícios regulares de pensamento criativo, ser sociável e mais. Confira! 

Para mantê-la afiada, sua mente precisa de exercícios regulares de pensamento criativo, solução de problemas e foco intelectual. Alguns jogos de cartas e de videogame são uma boa forma de melhorar a memória. Com esses games, podemos desenvolver habilidades cerebrais gerais, como atenção, uso da linguagem e capacidade de decisão. Competir e se divertir são ótimas maneiras de permanecer mentalmente ativo, trabalhando positivamente diferentes aspectos.

Além de trazer melhoras no raciocínio lógico, planejamento e solução de problemas, esse tipo de entretenimento ajuda em tarefas mais amplas como a memória, atenção, matemática e outras habilidades. Tanto jogos de cartas como o poker, blackjack, truco ou buraco, como diversos títulos de videogame, desenvolvem paciência, disciplina, foco e concentração e ainda ajudam na melhora das funções cerebrais.

OS BENEFÍCIOS DOS JOGOS EM GERAL

Os jogos evitam o envelhecimento precoce, diminuindo o risco de desenvolver demência ou Alzheimer, já que a probabilidade de sofrer com essas doenças aumenta à medida que envelhecemos. Eles também retardam o declínio da memória desafiando o cérebro e desenvolvem habilidades matemáticas, já que muitas modalidades de cartas exigem atenção e em diversas oportunidades envolvem contas, o que ajuda a aprimorar habilidades básicas, como somar e multiplicar.

No entanto, se você quiser levar os efeitos positivos para o próximo nível e sentir uma descarga de adrenalina no processo, você deve experimentar jogar blackjack ou poker, que são mais dinâmicos e exigem um esforço maior do cérebro.

Já os videogames impactam diretamente nas regiões cerebrais que são responsáveis pela memória, orientação espacial, organizações de informação e habilidades motoras finas, trazendo assim uma série de benefícios.

Por exemplo, games em primeira pessoa podem melhorar sua percepção e decisões rápidas. Os líderes de equipe podem desenvolver habilidades táticas e gerenciamento de equipe. Jogos de estratégia ou de RPG podem melhorar seu pensamento crítico, desenvolver estratégias ou habilidades de gerenciamento e tomada de decisão.

COMO AS DIFERENTES PARTES DO CÉREBRO SÃO AFETADAS

O córtex pré-frontal é a parte do cérebro responsável pela tomada de decisões, comportamento social, personalidade e planejamento cognitivo. Faz sentido, então, que essa área do cérebro seja afetada ao jogar videogame que inclua planejamento antecipado e exija interação e usos de objetos em um mundo virtual.

O hipocampo direito desempenha um papel importante em como processamos e consolidamos informações, incluindo memória de curto e longo prazo. Finalmente, o cerebelo também é afetado, já que ele é a parte do cérebro que controla as habilidades motoras finas ou a atividade muscular.

PARA TODAS AS IDADES

Com a evolução dos videogames surgiram diversos títulos que são realmente bons para a cabeça em muitos níveis. Claro, devemos acrescentar que, como tudo, eles devem ser consumidos com moderação.

Os jogos também podem ensinar a resolução de problemas e estratégia, tornando-os ferramentas valiosas para crianças e adolescentes. Existem diferentes tipos que oferecem uma série de benefícios educacionais, como ensinar as crianças a usar objetos para explorar ambientes e resolver problemas, enquanto outros ajudam na resolução de conflitos em um nível mais “global”.

O jogo também ensina gerenciamento de recursos e planejamento em um nível básico, além de explicar esses conceitos aos usuários mais jovens. Aprender e desenvolver esses tipos de estratégias também pode ser diretamente aplicável à vida. Ao estar socialmente ativo e interagir com outros gamers, incentivamos o cérebro a manter-se engajado de várias maneiras e também a evitar o tédio, que pode levar as pessoas a terem algum transtorno na sociedade atual.

Por último, um benefício indireto é o fato de que vários videogames são baseados em eventos históricos reais e podem encorajar as crianças a descobrir mais sobre o mundo que veio antes delas por meio da pesquisa e da leitura. Aprender as habilidades necessárias para criar seu próprio jogo pode dar a crianças e adolescentes uma vantagem quando se trata de garantir um estágio dos sonhos ou um emprego lucrativo no futuro.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários