Se você também sonha em trabalhar de qualquer lugar do mundo – seja do sofá da sua casa ou em uma ilhazinha na Tailândia – com liberdade de horários, fazendo o que você acredita, do seu jeito e nos seus termos, essa é a MELHOR dica que poderíamos dar para quem quer se tornar um Freelancer incrível!

Por aqui, a gente está sempre falando sobre novas formas de trabalho, como se destacar no mercado, plataformas colaborativas e alternativas que podem ajudar a construir um futuro independente. Mas e se você pudesse aprender em um só lugar todos os passos para virar um freela completo e ainda contasse com exercícios práticos, textos, vídeos, acesso exclusivo a materiais, mentoria e ainda pudesse trocar experiência com outros freelancers que estão na mesma situação que você?

Foi pensando exatamente isso que Debbie Corrano e Felipe Pacheco, do site Pequenos Monstros, decidiram lançar o Passaporte Freela, um guia definitivo para a liberdade profissional. Debbie e Felipe saíram de seus empregos convencionais e viraram freelancers em 2013. Desde então eles tem trabalhado de vários lugares do mundo – desde que tenham internet!

O Passaporte Freela é um curso online para todos que queiram trabalhar de forma independente – em qualquer área. As aulas vão te ensinar a definir seu posicionamento como freelancer, como se tornar um profissional incrível, encontrar os clientes dos seus sonhos e também como se vender profissionalmente – tratando diretamente da parte de marketing do negócio.

Isso tudo além das dúvidas clássicas do universo do freela, desde como lidar com finanças, abrir sua própria empresa, burocracias e até melhores plataformas e formas de cobrar. O Passaporte Freela é um curso completo, com tudo que você precisa para se lançar e viver a vida da forma que você preferir.

E o melhor: Se você ainda não sabe se a vida de freelancer é para você, está cheio de dúvidas sobre as possibilidades de trabalhar de forma independente ou até o que você pode oferecer profissionalmente, a dupla criou um curso grátis para você resolver todas essas dúvidas rapidinho e ver se a vida de freela é pra você mesmo.

Para você entender um pouco mais sobre tudo, conversamos com eles sobre o Passaporte Freela. Confira entrevista:

PASSAPORTE FREELA

FTC: Quais os principais pontos que as pessoas aprendem no curso? 

No Passaporte Freela a gente trata de todos os passos pra você virar freela. Vamos desde exercícios que ajudam você a entender o que pode oferecer pensando nas habilidades que você já tem, como encontrar seu diferencial profissional e como mostrar isso para possíveis clientes, onde encontrar esses clientes, como desenvolver a sua plataforma pra mostrar seu trabalho e tudo pra você ser freelancer a longo prazo – lidando com dinheiro para ser um freela financeiramente estável, como fazer clientes chegarem até você, conseguindo clientes internacionais e que trabalhem com você a longo prazo etc.

No meio do curso temos entrevistas, referências de outras pessoas e muita informação que não vem apenas dos nossos 4 anos de experiência como freelancers e nômades, mas também de outras pessoas. Por exemplo, para falar sobre a burocracia necessária na hora que você vira freelancer e quer profissionalizar o seu negócio, falamos com uma contadora que trata desse tipo de coisa e tiramos todas as dúvidas que nós mesmos já tivemos no começo da carreira. O curso é incrível tanto pra quem tá começando agora e nunca fez um freela na vida até para alguém que já é freelancer, mas quer melhorar seu negócio, ganhar melhor e se estabilizar profissionalmente.

Estamos bem confiantes que o curso pode fazer a diferença na vida de pessoas de várias áreas diferentes. Por exemplo, temos uma aluna advogada que já tá com seus primeiros clientes e nem saiu do curso 2. Uma ilustradora que travou no primeiro curso porque só o que ela aprendeu já deu tão certo que já está cheia de encomendas e só consegue fazer as aulas no fim de semana. Dá um orgulho gigante ver que o curso realmente está funcionando para pessoas de todas as áreas diferentes e de uma forma muito única!

FTC: Para vocês, qual a melhor coisa de ser freelancer e a pior? 

A melhor coisa é, sem dúvidas, a liberdade. Trabalhamos de qualquer lugar do mundo por causa do nosso estilo de trabalho, somos nossos próprios chefes e, quando precisamos de mais dinheiro, ao invés de pensarmos “como eu posso economizar?”, nós pensamos “como eu posso fechar mais um cliente e ganhar mais?”. É uma mudança de ponto de vista enorme que poucas pessoas pensam, mas faz muita diferença na vida.

A pior coisa de ser freelancer é que você é uma empresa de uma pessoa só, e às vezes isso pesa muito. Ao invés de estar produzindo o que você ama fazer e sabe fazer muito bem, tem dias que você vai ficar resolvendo problemas burocráticos, negociando com clientes, mandando propostas, fazendo contas de ganhos e gastos e coisas assim. Isso pode até ser resolvido quando você já está mais estabelecido, tendo a ajuda de alguém como nós temos hoje, mas ainda assim você será sempre a principal pessoa da sua empresa – tanto na parte de colocar a mão na massa como na estrutura em si.

FTC: Pode contar pra gente um pouco de como surgiu a ideia do Passaporte Freela?

A ideia do Passaporte Freela começou depois que começamos a receber dezenas de mensagens de pessoas que queriam se tornar freelancers, mas não tinham a menor ideia de como começar. Muita gente falava, especificamente, sobre como conseguir freelas em sites de freelancer – que a gente costuma usar bastante para contratar freelas. Como a demanda de emails ficou muito maior do que poderíamos responder, decidimos selecionar algumas pessoas que eram nossos leitores e queriam ser freelancers e fazer um teste.

Pegamos gente de áreas completamente diferentes, desenvolvemos uma metodologia enorme e fomos acompanhando essas pessoas semanalmente, com conversas individuais e em grupo, até elas se estabelecerem profissionalmente como freelas. Enquanto fazíamos esse estudo, percebemos que a maioria das questões que eles tinham eram as mesmas, mesmo para áreas diferentes. Também vimos que a metodologia que criamos não precisava ser focada apenas em sites de freelancers, mas em ser um freelancer incrível em qualquer lugar.

Foi assim que decidimos expandir essa pesquisa e criar o Passaporte Freela. Passamos quase um ano fazendo testes usando essa metodologia, conversando com outros freelancers, estudando muito e criando todo o material que está disponível lá no curso. Desde o lançamento final, começamos a adicionar materiais extras quase diariamente, gravar conversas com outros freelas e profissionais que tem algo a ensinar e sempre adicionamos coisas novas na plataforma – tudo disponível para quem tem acesso a curso completo.

FTC: Qual tem sido o maior aprendizado desde que decidiram ser freelancer?

Acredito que entre as várias coisas que precisamos aprender, organizar nosso tempo foi – e ainda é – nosso maior desafio. Saber a hora que trabalhamos melhor, onde produzimos melhor e, principalmente, a hora de parar de trabalhar, são coisas bem complicadas de se gerir quando você trabalha de forma independente.

Ser freelancer também nos fez aprender muito sobre como lidar com uma empresa, contratar fornecedores, lidar com pessoas, criar propostas, fazer contratos e muitas outras coisas que qualquer empreendedor precisa aprender na marra. Essa é outra vantagem do Passaporte Freela: como já passamos por todas essas fases, conseguimos dar o caminho das pedras sem você precisar desvendar esse mistério sozinho. Em áreas mais específicas, entrevistamos outros especialistas e adicionamos no curso também.

FTC: Quais são as 5 coisas que um freela não consegue viver sem?

– Posicionamento profissional

– Organização

– Confiança e investimento no próprio trabalho

– Curiosidade e próatividade para aprender

– Estabilidade emocional – porque trabalhar sozinho é incrível, mas não é fácil!

Por aqui nós já testamos o Passaporte Freela e estamos AMANDO as aulas online! A plataforma do curso é facílima de usar e super intuitiva, além de ter um design super bonito! O conteúdo é dinâmico, as aulas são rápidas, bem diferentes de outros cursos. Os exercícios te levam a refletir sobre o seu processo profissional e questionar a carreira!

Quando você decide tomar as rédeas do seu próprio trabalho – e se jogar no mundo sozinho, sem chefe, sem horários, sem bateção de cartão, sem documento você é o único responsável pelo seu futuro. Então fica aqui o convite pra você vir com a gente transformar o seu trabalho – porque eu sei que você quer.

Se interessou? Saiba mais sobre o Passaporte Freela e faça sua inscrição aqui.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários