Industrial, clássico ou minimalista? Descubra qual o estilo de decoração que mais combina com você e mãos à obra!

Se você pretende começar um projeto para a renovação de sua sala de estar, provavelmente deve ter esbarrado entre artigos, revistas e tutoriais em vídeo com uma grande quantidade de estilos de decoração diferentes. Cada um desses estilos reserva características exclusivas e não são exatamente uma unanimidade já que o que funciona para outras pessoas pode não funcionar para o seu ambiente ou não combinar com o seu próprio estilo de vida.

Hoje você irá descobrir um pouco mais sobre três dos estilos mais utilizados em alguns dos bairros mais sofisticados de São Paulo como Itaim Bibi, Pinheiros e Vila Madalena. São eles: industrial, minimalista e clássico. Descubra um pouco mais sobre cada um deles a seguir.

O CHARME EM FORMA BRUTA DO ESTILO INDUSTRIAL

“Criado” meio que de forma espontânea durante os anos 50 e 60 em bairros de Nova Iorque, o estilo industrial nasceu da necessidade de habitar antigas fábricas desativadas no período pós-segunda guerra. Dessa forma, os moradores desses lares improvisados conviviam diariamente com tubulações aparentes, paredes sem acabamento e grandes janelas que providenciavam bastante iluminação natural durante o dia. 

Para uma sala moderna e decorada nesse estilo não é preciso realizar muitas intervenções no ambiente. Finalizar o piso com cimento queimado e uma das paredes com tijolo aparente, integrar ambientes para dar mais espaço a um cômodo (não dividir a sala de jantar da sala de estar é uma opção!), além da instalação de spots de luz pendentes para simular uma autêntica ambientação industrial. Em contraste com os tons de cinza, destaques em madeira como o acabamento de um sofá ou uma mesa de jantar e a presença de plantas para dar vida ao ambiente são detalhes bem vindos!

O LAYOUT CONSCIENTE DO MINIMALISMO

Para o movimento minimalista, iniciado na década de 60, tudo que não possui funcionalidade prática deve dar lugar ao que realmente faz diferença no seu dia. Mais do que uma abordagem para decoração de ambientes, trata-se de um estilo de vida

Muitas pessoas confundem um ambiente com a presença de poucos objetos com minimalismo. Não é totalmente verdade – mas também não é totalmente mentira. O importante ao trazer a essência dessa abordagem para sua sala de estar é fazer o possível para que tudo que contém nesse espaço seja funcional – sofá, rack e mesa de centro, por exemplo – ou traga alegria para a sua vida como um objeto de decoração marcante e com uma história especial ou um retrato de família. Pensando nisso, traga para a sua sala opções de móveis com linhas mais retas e sem estampas, sempre em tons neutros como branco, cinza, gelo e bege.

A IMPONÊNCIA DO ESTILO CLÁSSICO EM UMA SALA

Old Palm Golf Club por Rogers Design Group

Inspirado nos palácios e casarões dos séculos XVIII e XIX, o estilo clássico possui uma abordagem um pouco diferente da modernidade citada nos estilos anteriores. Como as classes mais altas da sociedade viam a necessidade de demonstrar sua riqueza para seus pares, o estilo clássico segue essa linha com acabamentos imponentes, cores nobres e muitos objetos de decoração.

Com móveis cujo diferencial é a riqueza nos detalhes trabalhados, iluminação proveniente de lustres complexos e abajures, além de molduras, vasos, quadros com moldura chanfrada e porcelanas o estilo clássico precisa ser dosado quando você quiser realizar um projeto com essa abordagem. Para cada traço mais marcante, responda com um ponto delicado com o objetivo de manter o equilíbrio do ambiente. Para as cores das paredes, as mais utilizadas são o champanhe, o creme, o branco e o castanho para atenuar objetos e móveis em tons de dourado, bronze, vinho e azul marinho.

O mais importante antes de mudar um ambiente inteiro é idealizar e definir bem um projeto. Organize-se antes de qualquer renovação para que toda a sua jornada seja leve e satisfatória. Sucesso!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários