Cada vez mais pessoas procuram imprimir seus estilos em suas casas e buscam inspirações em livros, programas de tv e internet, e Maurício Arruda é mestre nessas conexões

Decoração é um tema que atrai não apenas os profissionais que trabalham com o assunto, mas também aqueles que não têm formação na área e gostam de cuidar da casa. As novidades estão aí a todo tempo e é difícil resistir à satisfação de mudar um móvel de lugar aqui, pendurar um quadro ali, pintar uma parede e ver tudo ganhar forma de acordo com a nossa cara.

Entre milhares de opções na internet que oferecem inspirações infinitas, programas de decoração na televisão ou canais no Youtube também ganharam cada vez mais espaço. Se você gosta do tema, já deve ter assistido ao Decora, no canal GNT. Depois de Bel Lobo e Marcelo Rosenbaum, quem está hoje à frente do programa é o arquiteto Maurício Arruda.

Maurício esteve presente na inauguração da nova loja da Tok&Stok em Ribeirão Preto e também fez uma noite de autógrafos de seu livro Decora. Nós fomos conferir de perto sua palestra sobre Design Democrático e todas as dicas e inspirações que ele trouxe para o evento.

SOBRE MAURÍCIO ARRUDA

Nascido em Londrina, no Paraná, Maurício Arruda começou o caminho profissional no curso de Administração, mas largou depois do primeiro ano. Seguindo o conselho de um professor, foi conhecer o departamento de arquitetura da universidade e ali se encontrou entre os desenhos colados em cartolinas pelos corredores do prédio.

O Decora, conta, chegou em sua vida após um período de dez anos atuando como professor. Aliás, essa experiência foi para ele uma das mais ricas e transformadoras. Ele conta que considera ter três formações: a primeira de arquiteto, a segunda com o seu mestrado – onde entrou em contato com o tema da sustentabilidade – e a terceira veio com o ofício de professor, onde ele diz que aprendeu muito ensinando.

Além de ter sido objeto central de seu mestrado, a sustentabilidade é um termo que Maurício traz na conversa para explicar um pouco sobre como ela se relaciona com o design. Para ele, nossa busca por um estilo de vida mais consciente representa algo mais a longo prazo, como a nossa preocupação com o futuro e as próximas gerações. “A sustentabilidade não é um produto que você passa no caixa e leva para casa”, diz.

A consciência também aparece na hora do consumo, segundo ele. Hoje o que muitas pessoas buscam é um significado naquilo que estão comprando, ao invés de comprar por comprar. Assim, leva-se em consideração fatores como versatilidade de uma peça, o que ela diz para quem a compra e a sua qualidade. Esta, explica o arquiteto, não tem a ver com durabilidade, mas está mais relacionada com a capacidade de certo objeto caminhar conosco ao longo da nossa história.

LIVRO DECORA COM MAURÍCIO ARRUDA

Falando do livro, Maurício Arruda discorre a respeito dos três tipos de casa que ele descreve e faz as pessoas pensarem em qual tipo é a sua. A Casa Ninho funciona como um refúgio para aquelas pessoas que buscam encontrar em seu lar o tempo real da vida, em contraposição ao tempo corrido do dia a dia. São aqueles que se dedicam a cuidar de plantas, a cozinhar a própria comida, aproveitar os cômodos – todas atividades que demandam tempo e nenhuma pressa. 

Há também a Casa Aberta, que é aquela que está sempre recebendo. Existe nela uma dinâmica bonita de confiança, onde todos os convidados se sentem livres para circular. Nesse tipo de casa, quem recebe nem sempre consegue servir todos os convidados, por exemplo, então há liberdade para pegar o copo no armário ou fazer o próprio prato. E nem toda casa aberta significa espaços grandes, mas que todo espaço, mesmo pequeno, será capaz de receber quantas pessoas for necessário.

Por fim, a Casa Memória é aquela que representa a história de seus moradores. Sejam com lembranças de viagem ou móveis e colchas herdados da família, por onde se olhar há ago para contar, uma memória. E não precisa ter tudo combinando não, a graça desse tipo de casa é justamente a mistura de elementos tão únicos, que fazem da casa um lar singular.    

Ao refletir sobre o Decora, Maurício diz que o programa o ajudou a enxergar a parte mais bonita de sua profissão e que ele estava perdendo. Ele explica que em seus primeiros projetos ele queria demonstrar tudo o que sabia e sempre perguntava para as pessoas qual era o estilo delas. Com o tempo, foi percebendo que na maior parte das vezes não existe um estilo, mas estilos que se encontram em um mesmo lar.

Assim, sua maior alegria hoje está em perguntar para as pessoas o que elas gostariam de sentir quando vissem sua casa. A partir daí, ele une elementos que vão alcançar o resultado final e atender às necessidades dos moradores. Em todos os projetos ele demonstra carinho e diz que desafia seus clientes a pensarem sobre o legado que querem deixar em cada cômodo para suas famílias.

Para saber mais, acesse o site de Maurício Arruda aqui. Seu livro, Decora com Maurício Arruda, está a venda nas livrarias de todo o país.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários