O chiclete passou a ser declarado como lixo somente em 2005 e já é considerado o segundo tipo mais comum de resíduo de rua – perdendo apenas para as pontas de cigarro. Pensando nisso, pesquisadores criaram o Chizca , um chiclé orgânico biodegradável fabricado a partir da seiva de uma árvore das selvas do México e da América Central. Essa goma não gruda no cabelo nem na roupa e vira pó seis semanas após o seu consumo. Todavia, o mercado ainda é dominado pela resina comum e seu descarte é um problema.

Bem, talvez você já tenha ouvido falar que a melhor maneira de se desfazer de um chiclete é jogá-lo no asfalto para se unir à pavimentação. Certo? Tudo bem. Mas, e se existisse uma maneira de reciclagem da goma de mascar que diminuísse a fabricação de outros materiais para produção de objetos?

Há 10 anos a designer britânica Anna Bullus se empenha nessa causa. Ao investigar as propriedades químicas do chiclete, ela descobriu que seu principal ingrediente é um polímero semelhante ao plástico, o poliisobutileno. Esta substância é obtida a partir de produtos petroquímicos que são refinados de combustíveis fósseis como o petróleo bruto. Assim, uma vez que são consumidas e devidamente processadas, as gomas de mascar podem se tornar um material muito útil e versátil.

A designer também criou uma versão de bolso para o descarte portátil, e posteriormente ser colocado nos cestos espalhados pela cidade. 

GUMDROP

Para reunir a goma de mascar e destiná-la ao seu propósito, Bullus elaborou um cesto de coleta rosa feito do próprio chiclete já reciclado e o intitulou de GUMDROP. Este recipiente foi instalado em vários pontos de Londres com uma mensagem explicando que as gomas de mascar coletadas serão usadas para criar novos objetos.

A Universidade de Winchester, Reino Unido, foi um dos primeiros lugares a instalar esses contêineres, seguido do Aeroporto Heathrow e de 25 estações ferroviárias da Great Western Railway. Em cada um desses casos, os GUMDROPs incentivaram a reciclagem da goma de mascar ao fornecerem um descarte correto, alteraram o comportamento das pessoas que adotaram a causa e permitiram uma economia no setor de limpeza das empresas citadas.

Os cestos de descarte de chicletes nas ruas da Inglaterra criados com nada menos que o próprio material reciclado! 

Unida a um centro de reciclagem no centro da Inglaterra, a designer cria os projetos de produtos sustentáveis. Inicialmente, as gomas são separadas de papéis e envoltórios. Depois, são amassadas e unidas a outros polímeros e plásticos reciclados – a proporção das misturas varia, mas Bullus afirma que cada objeto contém pelo menos 20% de goma de mascar usada. Logo, o composto é convertido em uma pasta que pode ser remodelada após resfriada.

PRODUTOS CRIADOS COM GUMDROP

Com este novo material, a designer já elaborou galochas, copos, réguas, pentes, lápis, potes, talheres, palhetas e solas de sapato. A tecnologia foi também intitulada GUM-TEC. Confira abaixo:

A tecnologia e o nome do material que temos como resultado chama-se GUM-TEC! 

Os produtos estão à venda no site oficial da Gumdrop!

Via.

Marjorie Simões é designer de interiores e artista visual. Curiosa, observadora e pesquisadora, adora aprender coisas distintas para depois conectá-las. Valoriza os trabalhos manuais, a cultura vernacular, a economia criativa e a produção/consumo sustentável. Acredita no poder das cores e tem leves faniquitos quando entra em ambientes beges.

Marjorie Simões – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários