Expostas no Palácio de Buckingham no começo de 2018, as criações do projeto Commonwealth Fashion Exchange agora podem ser vistas pela internet.

No começo de 2018, algumas notícias relacionadas à família real estamparam diversos sites de moda. Mas o que uma coisa tem a ver com a outra? Calma, não se trata de saber qual marca foi usada por quem nem quanto custou cada peça.

É que neste ano, durante a semana de moda de Londres, o Palácio de Buckingham sediou uma exposição com criações feitas por designers dos 53 países membros da Commonwealth, uma espécie de liga entre o Reino Unido e países um dia colonizados pelo império britânico.

O projeto Commonwealth Fashion Exchange foi encabeçado por Livia Firth, fundadora da Eco-Age, uma consultoria de moda sustentável. A ocasião contou com a recepção da duquesa Kate Middleton e serviu para estreitar os laços entre as nações e celebrar criações ligadas à sustentabilidade, feitas por artesãos de cada país.

COMMOMWEALTH FASHION EXCHANGE: A EXPOSIÇÃO

A novidade é que agora essa exposição feita no palácio real pode ser vista por milhares de pessoas, via internet. Graças ao Google Arts & Culture, uma plataforma do Google que permite a visita virtual a diversas galerias de arte pelo mundo, também será possível conhecer mais detalhes sobre o projeto eco-fashion.

No site criado para o evento, com interface totalmente interativa, é possível explorar as histórias por trás de cada peça criada para o Fashion Exchange. Algumas foram elaboradas a partir de parcerias entre países, enquanto outras celebram a riqueza específica de cada nação. Para representar o Reino Unido, foram convidadas a estilista Stella McCartney e a marca Burberry.

Seja como for, ao navegar pelo site, vamos conhecendo mais sobre como cada lugar se relaciona com a moda e quem são os designers por trás de todo o trabalho. Além disso, é possível explorar outras curiosidades de bastidores, como uma entrevista com Hamish Bowles, curador da exposição, assistir a vídeos e ficar por dentro de cada detalhe dos processos criativos.

As artesãs ‘Kūki ‘Airani Creative Māmās’, das Ilhas Cook

A designer Karen Walker representou a Nova Zelândia e trabalhou em parceria com as artesãs ‘Kūki ‘Airani Creative Māmās’ para criar visuais sob medida para o projeto Commonwealth Fashion Exchange. Karen criou um vestido feito de de lã italiana coberto de flores bordadas. As flores são icônicas na ilha das Māmās e incluem gardênia, jasmim, orquídea, hibisco, entre outras. 

Com o apoio de Swarovski, The Woolmark Company e Matchesfashion, o evento contou com 31 looks finais, expostos em manequins biodegradáveis feitos pela tradicional empresa italiana Bonaveri, que chegou à criação de um polímero constituído em 72% de cana-de-açúcar e também à uma tinta feita 100% de origem vegetal, dos quais são feitos seus manequins, diminuindo assim, seu impacto no meio ambiente.

O designer Theodore Elyett das Bahamas trabalhou em parceria com a artesã Catherine Rocheford de Barbados para criar um vestido que representa a flora e a fauna das ilhas. O corpete de algodão é estampado com folhas e palmeiras, enquanto a saia retrata conchas, tartarugas e a areia nativa da região, representando a preciosa vida aquática e o ambiente de Barbados, Bahamas e ilhas vizinhas. A saia fluida reflete as águas e é bordada com cristais upcycled Swarovski.

Incrível né? Explore mais sobre o Commonwealth Fashion Exchange aqui.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários