Além de ter uma produção sustentável, a Indianes também ajuda comunidades da Colômbia que vivem do plantio de banana

É inegável que a tecnologia aliada à pesquisa é capaz de produzir grandes feitos de impacto positivo para a vida humana, quando usada para o bem. Um desses casos é quando inovações tecnológicas são traduzidas para o ramo da moda, permitindo uma produção mais sustentável, que reutiliza, recicla e cria produtos a partir de materiais inusitados.

Foi assim que um startup catalã começou a fazer pesquisas sobre o uso das fibras de bananeira e chegou ao seu objetivo final: criar sapatos ecológicos a partir dessa matéria-prima. Com sede em Barcelona, a empresa Indianes, fundada por Diana Feliu e Iván Rojas é mais uma que se alia a quem já pensa em uma moda mais consciente.

A FIBRA DE BANANEIRA

A região da Cordilheira dos Andes, na Colômbia, possui uma história com tradicionais comunidades agrícolas que vivem da plantação de banana. Tais comunidades estão familiarizadas com a fibra da bananeira, já que é um material que surge a partir dos resíduos da plantação da banana.

A fibra, que não precisa de água ou solo para ser cultivada, é extraída naturalmente das árvores de banana, quando estas são cortadas para dar espaço para uma nova safra da fruta. Depois de viver um período de crise devido a grupos armados, a região está se fortalecendo novamente a cada dia.

Atualmente, a comunidade indígena e artesã conta com 60 agricultores artesãos, muitas sendo mulheres e chefes de família. É dessa forma que a Indianes consegue ajudar a comunidade a ganhar uma renda extra a partir da coleta e venda das fibras da bananeira, que posteriormente serão transformadas em calçados.

COMO SURGIU A INDIANES

Rojas e Feliu, fundadores da Indianes e formados em design industrial, começaram a empresa como um projeto que se desenvolveu em 2017 na incubadora da Escola Universitária Elisava de Barcelona, ​​onde estudaram. Após analisarem a estrutura da fibra da banana, pensaram em desenvolver com ela um calçado, já que o material original apresenta alta resistência.

Além das fibras, os sapatos, biodegradáveis, são costurados e as solas, por exemplo, são coladas a partir de materiais adesivos à base de água. Toda a produção do calçado é pensada de maneira a ser o mais natural possível. O tempo de decomposição de um sapato é estimado em dois anos, quando descartado de maneira correta.

A empresa também foi uma das convidadas para participar do Fórum Europeu de Biotecnologia Industrial e Bioeconomia (EFIB) em 2019, ao lado de outros nomes como Pinãtex, da qual já falamos por aqui e que produz acessórios a partir de um tecido ecológico feito com a casca do abacaxi.

OUTROS MATERIAIS

Depois de muito sucesso, a Indianes expandiu também os materiais em que trabalha e hoje, além da fibra de bananeira, usa a fibra do cânhamo e um tecido feito de garrafas pet recicladas.

Curtiu? Saiba mais sobre a Indianes pelo Instagram da marca.

Via.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários