A designer Marianne de Groot criou a Marie Bee Bloom, uma máscara biodegradável que após ser plantada, se transforma em flores

As máscaras descartáveis contra o Covid-19 tornaram-se uma necessidade diária desde o início da pandemia em 2020. Um dos resultados negativos disso é a forma como esses objetos estão sendo descartados: feitas de fibras plásticas, são ainda mais propensas para quebrar-se em microplásticos, mais do que sacolinhas plásticas ou garrafas de água. O descarte irregular ainda polui o meio ambiente e afeta principalmente a vida marinha.

Para conter esse problema, a designer holandesa Marianne de Groot criou uma máscara biodegradável feita de camadas de papel de arroz e que contém uma mistura de sementes dos campos holandeses. As máscaras “Marie Bee Bloom” podem então serem plantadas depois de usadas e, se as condições permitirem, se transformarão em lindas flores! 

Todos os outros materiais usados por Marianne na máscara biodegradável Marie Bee Bloom também são ecologicamente corretos. Lã de ovelha pura substitui os elásticos para as presilhas de orelha, e um cordão como fecho feito de caixas de ovos vem perfurado na forma de pequenas flores, permitindo que o usuário ajuste a máscara em sua cabeça da melhor forma. Os laços também passam por um pequeno tubo embutido em cada lado da máscara, colados com amido de batata e água.

Durante a pandemia temos visto muitas inovações para reduzir o desperdício produzido pelas máscaras descartáveis ​​no último ano. Algumas ideias legais recém descobertas incluem máscaras feitas de algas marinhas e banquetas de plástico feitas de máscaras descartadas.

A máscara biodegradável Marie Bee Bloom está disponível para encomenda online e vêm em embalagens de cinco, dez e quinze, a partir de um preço de 15 €. Para saber mais, entre no site e acompanhe as inovações da designer no Instagram.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários