Noa Raviv é uma artista multidisciplinar que vive em Nova York e que usa uma grande variedade de mídias para pesquisar e refletir sobre o conceito de realidade na sociedade contemporânea.

Natural de Tel Aviv, em Israel, seu trabalho se destaca pela maneira como ela encara seu corpo e pela relação entre seus mundos interno e externo.

A TECNOLOGIA DE IMPRESSÃO EM 3D

O interesse da israelense pela tecnologia 3D surgiu após seus primeiros contatos com softwares de modelagem digital. A impressão em três dimensões possibilitou que as suas criações ganhassem volume e comunicassem conceitos ligados ao mundo real e ao virtual.

Israel, seu país de origem, possui um grande destaque no cenário das indústrias de inovação tecnológica. E pra criar as peças que compõe a coleção, Noa contou com a parceria do Stratasys, um dos maiores fabricantes de impressoras 3D do mundo.

“Os recursos tecnológicos da impressão 3D abrem novas portas para áreas de design anteriormente impossíveis com a moda artesanal, disse Noa Raviv para o Stratasys. “Através da minha coleção, pude explorar a tensão entre o real e o virtual, entre 2D e 3D, e isso me inspirou a criar imagens digitais imperfeitas e padrões de grade distorcidos que são impossíveis de produzir usando métodos convencionais, ela conclui.

COLEÇÃO HARD COPY

A artista lançou então a coleção Hard Copy em 2014, para a conclusão da sua graduação na Faculdade Shenkar de Engenharia e Design em Israel. “Onde estudei havia uma variedade incrivelmente ampla de aulas para escolher. Os cursos em software 3D, roupas de alfaiataria e bordados foram os meus favoritos, contou Noa para a The Wild Magazine.

O ponto de partida para a criação das peças foi a escultura grega clássica: “As esculturas gregas já representaram um ideal de beleza. Foram copiadas e reproduzidas muitas vezes ao longo da história até se tornarem uma repetição vazia de estilo e expressão. Vivemos em uma cultura onde tudo é replicado, então qual é o valor de um objeto original?” aponta o site da artista.

A segunda grande inspiração da coleção veio da modelagem em 3D. Ela criou deliberadamente imagens digitais com defeitos usando um software. Os objetos deformados foram criados por um comando que o software não pode executar. Esses objetos não podem ser impressos nem produzidos na realidade. Eles existem apenas no espaço virtual.

Segundo o The Design Pot, Noa interpretou aquelas grades deformadas, transformando-as em belas formas fluidas que criam uma espécie de ilusão de ótica. A tensão entre o real e o virtual, entre 2D e 3D é o resultado final”.

TÉCNICAS E MATERIAIS

Cada roupa apresenta uma “realidade alternativa” que existe dentro do mundo virtual. A grade, por exemplo, é uma das ferramentas usadas para dimensionar tamanho, escala e proporção em programas como o Illustrator e o AutoCAD.

Dentro do contexto da coleção, as linhas horizontais e verticais são representadas em preto e branco. Elas contrastam com as linhas na cor laranja que contornam os tecidos plissados, representando a ação de selecionar a borda de um volume ou superfície em softwares de modelagem.

Quanto ao material, Noa Raviv utilizou tecido plissado com uma técnica especial de coloração, além de tule, seda e organza em tons preto, branco e translúcido. Todos são aplicados em camadas, com babados e plissados ​​em formas volumosas. As saias brancas e translúcidas criam um fundo neutro para os volumes estampados.

Linhas em forma de grade são deformadas e esticadas em partes das peças para criar ilusões de ótica em todo o corpo, e peças impressas em 3D são costuradas nas roupas. “Ao todo, o 3D e o 2D são lindamente combinados em diferentes técnicas, segundo o The Design Pot.

DESAFIOS DA PROFISSÃO

Seu trabalho é plural, e dependeu de uma série de áreas do conhecimento para ser concluído. “Enquanto trabalhava na coleção, enfrentei muitos desafios. Desde o desenvolvimento de meus próprios tecidos até a criação de arquivos para impressão em 3D, trabalhei em muitas coisas relativamente novas para mim e nunca são fáceis, disse Noa Raviv para a The Wild Magazine.

A israelense encara o trabalho de design com leveza, e o compara a brincar em uma caixa de areia: “É muita bagunça e muita diversão. Ela ainda afirma que sua função é criar coisas bonitas, e que acredita que o design tem o poder de gerar mudanças e tornar o mundo em um lugar melhor para viver.

Em entrevista para a So Catchy, ao ser questionada sobre qual a chave do sucesso na Moda, ela respondeu: “É realmente uma pergunta difícil. Eu acredito que é essencial trabalhar duro, seguir seu próprio caminho e ser uma pessoa legal”.

Se quiser conhecer mais projetos de Noa Raviv, visite o site e o Instagram da artista.

Affonso é arquiteto e urbanista e tem dificuldade em ficar parado. Amante dos trabalhos manuais desde pequeno, criou sua loja online, a Caixote dos Milagres, em 2015. Por lá ele comercializa bordados que confecciona a partir de suas próprias ilustrações. Affonso adora artes, decoração e qualquer projeto de “faça-você-mesmo”. Acredita que com criatividade é possível transformar o espaço e as pessoas ao seu redor.

Affonso Malagutti – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários