Liderado pelo estilista Gustavo Silvestre, o projeto Ponto Firme contou com a participação de ex-detentos na produção de peças que combinam crochê e resíduos têxteis desfiladas no São Paulo Fashion Week 2020.

O Ponto Firme é um projeto social que surgiu em 2015 e que oferece formação técnica em crochê para sentenciados da Penitenciária Desembargador Adriano Marrey, na cidade de Guarulhos, em São Paulo. E tem o objetivo de possibilitar novas perspectivas e criar chances de trabalho fora do encarceramento.

Neste ano, por conta da pandemia, as aulas na penitenciária foram suspensas, mas os egressos Anderson Figueiredo, Anderson Joaquim e Thiago Araújo representam o projeto, que participa pela terceira vez do SPFW, e mostram como a atividade continua impactando positivamente suas vidas e de suas respectivas famílias.

Fora do cenário de pandemia, o projeto oferece aos detentos aulas de três horas, duas vezes por semana, para que aprendam as técnicas do crochê. Eles confeccionam tapeçarias, toalhas, redes, almofadas, amigurumis, roupas, acessórios, joias e o que mais a criatividade permitir. Ao final de cada módulo, com duração de seis meses, os alunos recebem um certificado de conclusão, mas podem seguir com as aulas.

Cada doze horas de serviço valem um desconto de um dia na pena. O Ponto Firme começou com apenas onze alunos, mas já formou mais de 120 pessoas. Os trabalhos realizados por eles já foram expostos na SP-Arte, na Pinacoteca de São Paulo e até mesmo em Nova York.

“Além da sustentabilidade social, que já é uma característica forte do projeto Ponto Firme, podemos mostrar um outro viés que é o ‘antidesperdício’. Em uma colaboração inédita com a NK Store, estamos desenvolvendo uma coleção 100% upcycling, com resíduos têxteis e peças reaproveitadas da marca, misturados ao crochê trabalhado em diferentes composições e texturas, usando os fios da nossa já parceira Círculo S/A”, comenta Silvestre.

As roupas foram confeccionadas por cada um deles e pelo Gustavo em suas casas, e esse processo foi registrado em um vídeo que também conta com um fashion film, divulgado durante o SPFW, que aconteceu no início de novembro.

A edição comemorativa dos 25 anos de São Paulo Fashion Week 2020 foi apresentada em um formato digital, com transmissões ao vivo, desfiles em formato de vídeo e projeções pela cidade de São Paulo.

GUSTAVO SILVESTRE

Natural de Recife, em Pernambuco, Gustavo Silvestre se mudou para São Paulo no ano de 2002, e desde 2014 se dedica ao crochê. Segundo a Veja SP, ele começou a se dedicar à técnica através de um curso, já na capital paulista. A dona do espaço onde ele aprendeu a atividade foi quem o apresentou a oportunidade de exercer um trabalho voluntário na penitenciária em Guarulhos: “A ideia inicial era dar uma aula avulsa, mas isso não é permitido, por questões burocráticas. Então, criei o curso Ponto Firme”, diz Gustavo.

Quando ainda morava em Recife, o estilista prestou vestibular e passou em Arquitetura, mas percebeu que não queria seguir essa carreira. Depois disso ele ingressou em um curso técnico de desenho, e sua professora o ajudou a procurar um curso mais voltado à Moda. Ele passou então dois anos em Firenze, na Itália, estudando nessa área. Pouco depois de voltar pro Brasil, participou do evento de moda Brasília Shopping”, com o jornalista André Hidalgo, e venceu o concurso.

Depois da vitória, o estilista sentiu a cobrança por lançar uma coleção. Então ele abriu seu ateliê. Em seguida foi convidado por Hidalgo para desfilar na Casa de Criadores, em São Paulo. O estilista desfilou suas duas primeiras edições ainda morando em Recife, antes de se mudar pra São Paulo.

Gustavo disse ao Globo.com que seu amor pelo crochê, pelo bordado e pela renda vem da sua origem nordestina, da sua mãe, de sua avó. Sua família mantinha a tradição de fazer trabalhos têxteis manuais. A mãe de Gustavo fazia crochê, e inclusive uma das coleções do recifense teve inspiração em uma toalha feita por ela: “Adoro renda, trabalho manual. Gosto de imaginar o tempo que a pessoa gastou para fazer aquele trabalho”, conclui.

Aos 42 anos de idade, o estilista se identifica como um apaixonado pela cultura popular do Brasil, pela identidade e pelo trabalho manual do povo brasileiro: “Em São Paulo, sempre fui muito confrontado pelas minhas escolhas. Beleza de verdade é a identidade brasileira. Não quero reproduzir padrões europeus. São mais de 500 anos dessa história, vamos mudar. Estar aqui é um ato de resistência, um ato político”, disse ele à Revista Continente.

COLEÇÃO ECLIPSE + CONSTELAÇÕES E JANGADAS

A coleção intitulada “Eclipse + Constelações e Jangadas” foi inspirada nas relações de imagem esses elementos. O eclipse é uma referência à potência de dois astros, as suas luzes e também as suas sombras. A palavra eclipse também é usada em navegações e significa intervalo entre luz e escuridão, num farol de navegação.

A coleção pode ser entendida a partir desses conceitos. No intervalo entre luz e escuridão proposta pelo projeto cabem reflexão, autoconsciência, devaneios imaginativos, formas de pensar novas maneiras de estar no mundo. Nesse sentido, a “constelação” é vista como um conjunto de pessoas e parceiros que abraçaram o conceito desenvolvido pra coleção para que “uma pequena jangada possa navegar”.

“A mensagem que queremos passar é a construção de peças lindas, com muito significado, no meio desse caos que estamos vivendo. Mostramos roupas com ‘alma’, cujo processo de confecção fez a diferença na vida de várias famílias e também no meio ambiente, já que estamos empregando crochê em peças ressignificadas e resíduos têxteis”, completa Silvestre.

Uma novidade desse desfile é que as peças serão colocadas à venda nas lojas da NK Store. “Diferente das últimas coleções, que as roupas não podiam ser comercializadas por serem desenvolvidas pelos detentos e envolverem questões burocráticas e legais – O Ponto Firme é registrado pela Administração Penitenciária como um projeto educacional – agora é a grande oportunidade de as pessoas poderem adquirir uma peça feita pelo projeto, da coleção apresentada no São Paulo Fashion Week”, comemora Gustavo.

Confira a seguir o vídeo dos bastidores da coleção e o desfile completo, que tem a direção de Laura Artigas, direção de arte de Karlla Girotto e direção de fotografia de Danilo Sorrino:

Acompanhe os perfis do Projeto Ponto Firme no facebook e no instagram.

*Crédito das fotos: Danilo Sorrino

Affonso atua como artista visual e ilustrador e tem dificuldade em ficar parado. Amante dos trabalhos manuais desde pequeno, ele se dedica ao bordado manual como expressão artística e acredita que com criatividade é possível transformar o espaço e as pessoas ao seu redor.

Affonso Malagutti – já escreveu posts no FTCMAG.



Comentários