Os Color Sticks e o glitter gel são produtos livres de substâncias nocivas para a saúde humana e para o meio ambiente. Conheça a proposta da Shock! 

O Rio de Janeiro é de fato uma cidade maravilhosa. Abençoada pela natureza e pelo mar, ela inspira com sua atmosfera praiana. E é nisso que muitas marcas e produtos se baseiam ao procurar reproduzir esse estilo de vida.

Levando um pouquinho desse clima do Rio, com o bônus de ser um produto brasileiro, a Shock nasceu em 2016. A empresa foi fundada por amigos que, além de quererem um produto diferenciado para curtir o sol, também se preocupam em espalhar uma mensagem de consciência ambiental e cuidado com a natureza.

A Shock é uma pequena empresa, que nasceu de um investimento incerto, mas que está crescendo cada dia mais, provando que a semente está dando bons frutos. A marca tem chamado atenção por seus Color Sticks – um protetor solar que é colorido, em tons neons.

A grande inspiração para as cores da marca vem dos anos 80 e 90, e dos primórdios da internet. Não à toa, a Shock é um sucesso no Instagram e suas fotos são sempre bem humoradas, misturando praia com fundos de galáxias, numa criação que lembram os memes.

Além dos Color Sticks, a Shock também tem bastões de brilho com proteção solar. São uma ótima alternativa para curtir festas e o carnaval, protegendo você e também a natureza. Isso porque eles não são feitos com plástico, mas a partir do pó de mica, um mineral.

Agora se você não curte brilhos e nem cores chamativas, a Shock também tem uma versão sem cor do protetor, assim ainda dá pra curtir um produto vegano e do bem!

Para conhecer melhor a marca, conversamos com Guilherme Sá Freire, que respondeu a algumas perguntas. Confira entrevista exclusiva:

FTC: Conte um pouquinho sobre a história da Shock, como começou, desde quando existe?

A Shock começou em dezembro de 2016, dentro de uma empresa na qual os sócios trabalhavam e começou como algo bem descontraído o famoso “pra ver no que dava”. Mas logo virou coisa séria, a ideia de lançar uma marca mais consciente, irreverente e que buscasse a sustentabilidade.

FTC: Como surgiu a ideia de fazer um produto do bem, tanto para quem usa quanto para o meio ambiente?

Basicamente da crítica situação do mundo. Mas, pessoalmente, pelo fato dos/as sócios/as da marca já terem filhos e pensarem mais no futuro.

FTC: E por que fazê-los coloridos?

A marca surgiu dentro de um ambiente de irreverência e com muita influência dos anos 80/90 e do começo da internet e o lance das cores, que inicialmente eram todas neons, vêm daí. Isso nos deu um grande diferencial e destaque desde que começamos, mas também atrapalhou pois algumas vezes as pessoas acabam vendo o Color Stick como uma tinta e seus principais claims ficam de lado na percepção dos consumidores.

FTC: O que os Color Sticks da Shock têm de grande diferencial?  

Os grandes diferenciais são:

  • Vegano: Nada de origem ou testado em animais;
  • Filtro Físico: Diferente do químico, usado em 99 entre 100 protetores, não é absorvido pela pele e reflete a radiação solar sem deixá-la penetrar. O químico, no caso, é absorvido pela pele e depois quebra a radiação após a mesma penetrar a pele;
  • Amigo do Oceano: Não possui oxibenzona, também usada em 99 entre 100 protetores, substância que muito prejudicial ao meio ambiente e que assassina corais mesmo em uma quantidade ínfima;
  • Hipoalergênico: Não causa alergias;
  • Resistente à água: Muito resistente à água o que o torna perfeito para práticas esportivas e um diazão na praia!

 

FTC: O produto de vocês é mesmo um protetor solar?

Essa é uma ótima pergunta para elucidar uma questão. Sim, claro que é um protetor solar se partirmos do pressuposto que um protetor solar é um produto que te protege de queimaduras e da radiação solar. Mas, por ser registrado como um produto multifuncional, uma base facial colorida com a funcionalidade de um protetor solar, pelas normas da ANVISA, temos que declarar nas embalagens que o Color Stick não é um protetor solar, apesar de ter todas as funcionalidades de um produto dessa categoria. Pois é, também achamos sem sentido e difícil de entender, rs, mas são as normas…

FTC: Quais são os maiores desafios enfrentados por quem quer empreender no Brasil?

Burocracia e impostos que prejudicam as pequenas empresas e beneficiam as grandes. Isso torna todo o resto muito mais difícil. Além de obviamente prejudicar a operação interna da empresa, é muito difícil arrumar fornecedores que atendam sua demanda. No nosso caso, na indústria de beleza e cosméticos, todos os processos de controle e registro que andam bem devagar também dificultam bastante.

FTC: Vocês fizeram parcerias com algumas marcas, como a Farm. Como foi a resposta do público?

Foi muito boa. Atingimos um público que ainda não nos conhecia, mas que super se identificou conosco e nós com eles, claro.

FTC: Quais são as substâncias maléficas tanto para nós humanos quanto para o meio ambiente e que estão presentes na maioria dos protetores convencionais?

São muitas, grande parte também encontramos em produtos de outras categorias. A oxibenzona, por exemplo é ruim tanto para o nosso organismo, causando diversos distúrbios hormonais, quanto à vida marinha.

Os glitters gel da Shock para serem utilizados em festas e no Carnaval! 

FTC: Para este novo ano, o que a Shock está preparando e o que deseja alcançar?

Muitas novidades e lançamentos. Além dos diversos lançamentos que faremos, queremos cobrir uma área cada vez maior do país.

Legal, não? Uma ótima opção para dias de praia e piscina mais coloridos (e com proteção!) Saiba mais sobre a Shock pelo site ou Instagram! 

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade. Escreve um blog sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumo consciente. Também se dedica a cozinhar, como forma de prazer e arrisca novas receitas no tempo livre.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários