A Semana de Moda de NY (NYFW) aconteceu e experts em pesquisa de tendências de comportamento apontam o que chamou atenção nos desfiles dos principais estilistas, no street style e os seus significados para o mercado da moda e do consumo global. A frente da Consultoria Crivorot & Scigliano, conversamos com Silvia Scigliano e Marcia Crivorot, que nos contaram o que foi destaque e o que podemos ficar de olho quando falamos em estilo. As duas organizam o NY Fashion Tour, um programa de experiência de moda que acontece paralelamente à NY Fashion Week, que é uma imersão de uma semana em uma das principais capitais da moda, unindo teoria e prática, além de cursos relacionados ao assunto aqui no Brasil. Confira:

Para elas o que mais fez os olhos brilharem foi a valorização dos designers emergentes e independentes no desfile da multimarcas Flying Solo (a Flying Solo traz uma curadoria global de profissionais independentes e expõe suas coleções ao mundo); a mistura dos papeis de designer x blogueiro x celebridade visto no desfile do Jeremy Scott, e o estilo esportivo nas ruas com o uso do tênis ultra confortável, conhecido como “Ugly Fashion” trazendo a volta da tendência dos anos 2000.

Os famosos Ugly Sneakers, favoritos na temporada

Outro ponto é que o NYFW recebeu o nome de NYFW Sept18, não mais se referindo a coleção que é mostrada como anteriormente (SS19 por exemplo). Isso dá uma maior liberdade às marcas, sendo que algumas ainda optam pelo “see now buy now” e outras preferem não ter estação definida. (Roupa não pode ser descartada a cada estação né, gente?!)

A primeira fila ainda trouxe a presença de personalidades que levantam a bandeira da diversidade e a presença de políticos, como no desfile de Christian Siriano, mostrando que este assunto evidencia o espírito do tempo.

Abaixo as principais tendências destacadas pela dupla e as palavras-chave. Confira:

Imagens: Desfile de Tory Burch mostrando a tendência “Seasonless” e Ralph Lauren/NYFW Sep18 com seu vestido em Patchwork 

SEASONLESS

As pessoas são criativas para usar a mesma roupa em estações diferentes. Um vestido de verão pode e deve ser usado com uma camiseta por baixo na meia estação, por exemplo. Que tal testar essa moda?

PATCHWORK

Com a preocupação crescente com a sustentabilidade pelas novas gerações, o aumento do interesse por brechós e revendas de roupas em NY, levou as marcas a criarem roupas como se estivessem usando pedaços de tecidos antigos. É aí que entra o patchwork, como foi visto no desfile da Ralph Lauren.

CORES INTENSAS

Neon, color blocking e muitos tons vibrantes: essa tendência não é nova, mas traz animação para tempos difíceis. O pink, roxo ultra violet e o amarelo foram as principais cores vistas. Não à toa que a paleta da Pantone para os próximos meses também está baseada nisso.

“Brasileiras adoram cores intensas e têm mais dificuldade em aceitar tons pastel. Acreditamos que essas cores vão atrair quem quer ousar e aproveitar o que tem no armário” afirmam Silvia e Marcia.

Imagens: No desfile de Prabal Gurung vemos bastante essas misturas. Já Marc Jacobs/NYFW Sep18 ficou com a maravilhosa combinação rosa e laranja que não tem como negar, é pura primavera/verão! 

branco também apareceu forte nos desfiles. Para quem achou que iria terminar, ele se destacou um pouco mais do que o usual. “É um contraponto para as cores fortes e também transmite calma em momentos turbulentos”.

amarelo, é uma grande aposta. A cor já está chamando a atenção das consultoras há uns 2 anos e apareceu em várias marcas. Pode ficar de olho nesta nuance ensolarada!

Imagens: Desfile de Brandon Maxwell e Tome/NYFW Sep18. Uma das grandes apostas da Pantone é justamente um tom amarelado assim chamado “Aspen Gold” 

O rosa continua forte e mostra que o feminismo não vai parar de crescer. Apareceu nas passarelas, nas ruas e no FIT (Museum at the Fashion Institute of Technology), que está com uma exposição sobre a história do pink na moda. Belíssima, vale a pena conhecer!

TIE DYE

O tie dye surge com força total em coleções de primavera 2019 em roupas mais elegantes. Nada de associar ao hippie, a estampa vai além disso!

Imagens: Tanya Taylor/Look tecido de cetim

TECIDOS

Em questão de tecidos, o cetim chama a atenção, pois já vinha aparecendo timidamente e agora deixa de ser o tecido de vestidos de festas para roupas esportivas e até terninhos do dia a dia.

FEITO À MÃO

Outra tendência para ficar de olho é o feito à mão, visto no crochê, a procura por roupas que tenham detalhes especiais, o DIY (Do It Yourself) e movimentos contra o fast fashion. Destaque também para a valorização da peca única que pode ser adicionada a uma roupa que você já tenha, como esse vestido branco abaixo da Ulla Johnson.

Imagens: Ulla Johnson e Pyer Moss/NYFW Sep18

SAIAS

Apesar da saia mídi continuar prevalecendo, já pode-se ver neste outono novaiorquino a volta da mini saia com uma pegada anos 60 “Mas note que ainda assim a silhueta segue sendo fluida, com mulheres mais cobertas. A mini saia aparece como uma possibilidade para as mulheres que hoje tem mais liberdade de vestirem o que quiserem” ressaltam Silvia e Marcia.

Imagens: Saia mini/ Tory Burch e o romantismo na NYFW Sep18

ROMANTISMO

Além disso, volume nas mangas, babados e transparências continuam forte evidenciando o romantismo.

Imagens: O desfile de Zimmermann e de Victoria Beckham/NYFW Sep18 fecharam esses conceitos! 

E aí, o que acharam dessas ideias da NYFW? Conta pra gente!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários