Flores e folhas guardadas em páginas de livros, quando secas, se transformam em lindas lembranças. A técnica de colocá-las entre o papel e desidratá-las é muito antiga, mas essa artista trouxe um novo olhar para a ideia, utilizando-a dentro da tatuagem.

Dorothy Lyczek tatua desde 2006. Nativa do Brooklyn, na cidade de Nova York, EUA, o estilo de Dorothy surgiu ao observar a arte como um todo e o mundo a sua volta. Seu trabalho sempre foi inspirado por técnicas desenvolvidas na pintura.

A americana antes se concentrava apenas em criar tattoos em grande escala e usar cores saturadas. Em certos desenhos, suas tatuagens lembram até os vibrantes graffitis, em homenagem aos murais da grande cidade que nasceu, que contrastam com muros cinzas da Europa Oriental, já que ela já morou entre os dois mundos.

Mas a artista aprendeu novas técnicas enquanto viajava e sempre colaborou com outros profissionais de tradições diversas. Dorothy Lyczek já trabalhou no Brooklyn, em São Francisco, Filadélfia, Chicago, Hong Kong, Katmandu, Polônia e Holanda. E recentemente, um de seus projetos em específico que tem chamado atenção são as tatuagens botânicas criadas com flores prensadas em vidros.

Isso mesmo! Lyczek as seca entra as lâminas e depois tatua o resultado na pele. Detalhes como folhas que se quebram ou dobram, ramos que faltam, cores em degradê mostram toda a beleza do efêmero.

Eis aqui uma nova maneira de levar aquela lembrança para sempre consigo! Confira:

Você encontra Dorothy Lyczek no estúdio Lantern, localizado no Brooklyn, em Nova Iorque. Vale a pena ver todo o seu trabalho no Instagram!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários