Design, ilustração e tatuagens. Julio Bandeiras é apaixonado por arte e desenho desde sempre. Quando pequeno, Julio comprava revistas sobre cultura pop, gibis com bons desenhos para copiar em sebos, até descobrir as revistas de tatuagem, que abriram um novo e maravilhoso mundo para o artista.

Em 2007, Julio trabalhava na área da moda como designer gráfico, mas sempre pesquisava e estudava sobre tatuagem. Até que em meados de 2010 comprou seu “Kit de tatuagem” e aos poucos foi adentrando neste mundo, e conhecendo profissionais da área que o ajudaram a tirar dúvidas.

Assim, ele começou a tatuar amigos, amigos de amigos e por muito tempo isso foi seu hobby. “Profissionalmente posso dizer que tatuo desde 2013, intercalando com o jobs de designer até 2017, que foi o ano que passei a focar full time nas tattoos”.

Conversamos um pouco com Julio que nos contou mais sobre suas inspirações, sobre a arte que faz e seu estilo, confira:

FTC ENTREVISTA JULIO BANDEIRAS – #TATTOOFRIDAY

FTC: O que é arte para você e como você define a sua arte hoje? 

Julio Bandeiras: Tenho muito pra mim que tattoo vai muito além da estética. É incrível o efeito que ela tem sobre a autoestima das pessoas, como uma pessoa entra no estúdio e sai uma nova pessoa, se achando incrível.

Nos meu trabalhos muito raramente uso cores, sou da opinião que preto combina com tudo (rs). Gosto muito de trabalhos delicados, detalhados, fineline, pontilhismo.

FTC: Quais as suas influências? 

Tem uma boa lista de tatuadores e artistas que influenciam, no estilo e técnicas como Boni Lucena, Maria Mariana Moraes, Gustavo Abreu, Loz Thomas, Felipe Kross, Rob Borbas, Felix Seele.

Ilustradores nomes como Hugo Silva, Alphonso Dunn, Godmachine.

FTC: Está tocando algum projeto especial atualmente? 

Além das tattoos tenho um projeto de camisetas (Freakill Clothing) que ainda toco com muito carinho. Que é um tipo de ilustra que gosto muito de fazer, uma pegada com mais terror.

FTC: Você faz coleção de algo? 

Não costumo colecionar, me empolgo no começo, mas acabo desencanando por falta de espaço…. Hoje a maior coleção que tenho é de games e Action figures de clássicos do terror.

FTC: Costuma ouvir alguma música quando tatua? Se sim, qual?

Eu basicamente não consigo tatuar sem música, enquanto eu estiver no estúdio está tocando algo. Das mais tocadas são Nação Zumbi, Racionas Mcs, Zé Ramalho, Post Malone, Lil Peep, Deftones, Die Antwoord, NIN, Ghost BC, Rob Zombie, Behemoth, Brujeria… sim meu gosto musical é uma bagunça!

FTC: Uma dica para alguém que quer começar nesse rolê da tattoo.

Minha dica para quem quer começar a tatuar é não ter vergonha de falar com outros profissionais para tirar dúvidas ou pedir dicas. Caso ache um de má vontade, que tente te desmotivar, ignore – experiência própria – contra ponto tem muitos, conte com que apoie e curta trocar ideias!

Julio Bandeiras tatua em São Paulo. Acompanhe seu trabalho no Instagram e Facebook!

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários