Bruges e Ghent são bem diferentes de Bruxelas. Aliás, já leu nosso roteiro Bruxelas em um dia: o que visitar? As cidades são uma graça e cada uma tem um estilo diferente. Bruges é mais clássica, romântica. Já Ghent é uma cidade universitária que cresceu muito além do centro e tem um pouco de tudo.

Nossa ideia inicial era fazer cada uma em um dia (recomendamos seguir esse plano). Mas, pela proximidade, resolvemos condensar em uma só daytrip. Se você olhar em um mapa a partir de Bruxelas, Ghent e Bruges ficam em uma linha reta no sentido da costa oeste do país. Então, começamos por Bruges, que é a mais afastada. 

BRUGES

De manhã cedo pegamos um trem direto para Bruges. A cidade é muito fofa e uma delícia de passear. Além disso, quando visitamos, estava acontecendo o Brugge Triennial, com instalações de arte espalhadas pelas ruas e canais. Por ali o mais gostoso é andar sem direção, passando pelas casinhas, lojas e canais.

Brugge (ou Bruges) é uma encantadora cidade belga chamada de “Veneza do Norte”, pela grande quantidade de canais que cercam a cidade. O seu centro histórico é Patrimônio Mundial da UNESCO!

A praça Grote Markt é parada obrigatória (comemos frites por lá) e é possível fazer tour guiado gratuito em Bruges. Ficamos com muita vontade de subir até os moinhos Bonne Chieremolen, Sint-Janshuismolen e Koeleweimolen, mas, como ficam mais afastados em um parque na Kruisvest, mais a nordeste do centro, não tivemos tempo.

A “Praça do Mercado” (Grote Markt) está localizada no coração da cidade. As casinhas coloridas trazem cafés, restaurantes e lojas. É uma delícia sentar ali e admirar a vida passar. 

Aproveite cada minuto, afinal, não é todo dia que a gente pode estar num lugar que mais parece ter saído de algum livro de conto de fadas!

Para saber: Em Bruges há muitas lojinhas de renda artesanal, chocolate artesanal, marzipã e doces típicos, waffles, cervejarias artesanais locais, lojas de design. Aproveite! 

 

GHENT

Saindo de Bruges, voltamos para a estação de trem e compramos um bilhete até Ghent. A cidade é universitária e é bem diferente de Bruges: o centro, que é a parte histórica e mais charmosa, fica bem afastada da estação e caminhamos uns 30-40 minutos para chegar (recomendamos pegar trem, táxi ou uber da estação).

Chegando no centro, a ideia é a mesma: caminhar sem destino passeando pelas praças, pelo Castelo Gravensteen e, claro, pelos canais. Por lá, vale caminhar até a catedral Sint-Baafskathedraal e a ponte Sint-Michielsbrug.

Castelo Gravensteen (1180): um dos clássicos pontos turísticos da cidade. O local já foi residência dos Condes, prisão e fábrica de algodão. 

Passear pelos canais e se perder pelas ruelas é uma das melhores maneiras de conhecer Ghent. Pelo caminho, experimente as delícias tradicionais da cidade: os waffles, batata frita, cervejas artesanais, chocolates belgas. 

Lá no fundo, é possível ver a torre da Igreja Sint Niklaaskerk, que segue o estilo gótico, e a torre ‘Belfort’, que é considerada o símbolo da independência da cidade. Ela possui um dragão na ponta que foi colocado lá em 1377 com o objetivo de ser um guardião da cidade e que tinha o papel de regular a vida diária da população. Você pode subir seus 256 degraus e apreciar a vista panorâmica (por 6 euros).

Uma das regiões mais bonitas da cidade com casinhas de belíssima arquitetura fica às margens do Rio Leie. Atualmente, a região de Graslei, um antigo porto medieval, traz uma série de edifícios históricos. Esta área é um ponto de encontro de moradores e turistas, que se reúnem em muitos cafés. 

 

Se der tempo e você curtir, saiba que na cidade medieval há uma rua inteira grafitada! É a Werregarensteeg (Rua dos Grafites). Apesar da cidade ter uma política de tolerância rígida, há exceção em relação a esta ruazinha. As paredes, chão e até mesmo o teto são coloridos com graffiti. Vale dar uma passadinha por ali!

 

EXTRA: ANTUÉRPIA

Apesar de passarmos pouco tempo na Bélgica, ficamos com vontade de conhecer outras cidades, como Antuérpia. Em uma próxima viagem, a ideia é alugar um carro e fazer uma road trip pelo país, que é pequeno, e pela Holanda! 

 

ONDE NOS HOSPEDAMOS NA BÉLGICA

Como comentamos na matéria Bruxelas em 1 dia: o que visitar, resolvemos nos hospedar em Bruxelas e sair e voltar para lá todos os dias.

Na cidade, nos hospedamos no ZOOM HOTEL, com tema de fotografia. O espaço é super charmoso, tem exposição de fotos e fica próximo ao metrô.

Com quartos confortáveis (todos com decoração moderna e industrial, mas seguindo o tema principal) e cheio de cantinhos instagramáveis, o hotel tem um preço acessível (começa em €85/noite) e tem um café da manhã bem gostoso. Recomendamos!

Mariana Bruno é jornalista e escritora especializada em decoração, arquitetura e design. Já trabalhou em diversas plataformas e hoje atua na área de PR. Acredita no poder das experiências, do lifestyle, do entretenimento e das viagens. Instagram: @missbruno

Mariana Bruno – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários