Uma imersão completa nos quadros de um dos maiores pintores do mundo: essa é a proposta da exposição Van Gogh, La nuit étoilée, em cartaz no Atelier des Lumières, em Paris, até o fim de 2019.

Ao entrar na área de exibição do museu de arte digital, só temos ideia do tamanho do que costumava ser uma antiga fábrica de fundição dos anos 1800. Depois de fechar, reabrir como empresa de fabricação de ferramentas, e passar 13 anos sem atividades, o prédio foi descoberto em 2013 por Bruno Monnier, presidente do Culturespaces. Após quatro anos de reforma, boa parte de seus 3.126 metros quadrados foi convertida nos telões, projetores e sistemas de som que compõem o Atelier des Lumières.

Esse background faz toda a diferença, porque é preciso um lugar assim para imergir os visitantes nas obras de arte. A exposição é, no mínimo, incrível e uma das experiências mais diferentes que já tivemos. Ali, o escuro é logo substituído pelos traços, cores e formas de Van Gogh, que cobrem o piso e todas as paredes do espaço.

Acompanhadas de músicas combinadas especialmente com os quadros, as projeções animadas exploram diferentes cantos do repertório do pintor – de seus primeiros a seus últimos trabalhos, passando por ‘Os Girassóis’, ‘A Noite Estrelada’, ‘Quarto em Arles’, e ‘Os Comedores de Batata’.

É impossível não se emocionar com a exposição digital e não se sentir como parte das obras. Mas, o que mais gostamos de Van Gogh, La nuit étoilée é que ela te deixa aproveitar como preferir. É possível caminhar pelo espaço, assistir de pé, sentado no chão ou em bancos, ou em um andar superior – e cada forma é diferente da anterior. 

OUTRAS DUAS MOSTRAS NO MESMO ESPAÇO

Outras duas mostras acontecem junto de Van Gogh, La nuit étoilée: “Dreamed Japan, Images of the Floating World” e “Verse” (ambas são mais curtas). A primeira tem foco na arte japonesa e inclui peças da imaginação coletiva do país, como geishas, samurais, cerejeiras e a onda de Hokusai. A inspiração vem das ilustrações japonesas que começaram a circular na Europa no século XIX após o comércio ser aberto entre o oeste e o Japão. Uma curiosidade: Van Gogh era fascinado pelo país e colecionava obras nipônicas. 

“Verse”, idealizada pelo cineasta e compositor Thomas Vanz, explora a poética e a beleza do espaço e o papel do homem no universo. As três mostras são exibidas uma após a outra antes do programa recomeçar.

VAN GOGH, LA NUIT ÉTOILÉE: NOSSAS DICAS

Se você vai à Paris até o fim deste ano, vá ver Van Gogh, La nuit étoilée. Temos algumas dicas:

> Compre os ingressos online e com antecedência. Parece básico, mas há uma onda de super turismo na Europa (especialmente durante o verão) e nós vimos grandes filas nas atrações parisienses (e fomos em abril/maio, fora de temporada!);

> Tente chegar no Atelier des Lumières na hora da abertura. A mostra viralizou no começo do ano e não há horários fixos de exibição. A exposição é contínua e os visitantes podem entrar em qualquer momento. Chegar cedo faz diferença porque você pode ter experiências diferentes se assiste sentado, de pé ou caminhando pelo espaço e só é possível ter essa variedade de experiências se você chegar cedo. Quando fomos embora, todos estavam sentados, então quem chegou depois foi sentando também. Em seu site, o museu recomenda o horário de visitação das 12 às 14h;

> Para uma experiência mais completa, baixe o app “Van Gogh, Starry Night’, desenvolvido especialmente para a mostra. Está disponível na AppStore e Google Play para celulares e tablets.

 

Outra opção para quem vai visitar a exposição ainda neste ano é ir durante o The Klimt’s Nights. O evento vai trazer de volta a exibição Gustav Klimt, que foi inaugural do Atelier des Lumières e ficou em cartaz durante todo o ano de 2018. Serão 29 noites, entre 1 a 24 de agosto e 25 de outubro a 2 de novembro, das 18h30 às 20h30

ONDE FICA?

Onde: 38 rue Saint Maur – 75 011, Paris

Horário: De segunda a quinta, das 10 às 18h. Às sextas e sábados, o museu fecha às 22h e, aos domingos, às 19h.

Bilheteria: O museu recomenda que os ingressos sejam comprados online (não há taxa extra) – a bilheteria somente funciona durante a semana, das 10 às 16h. 

Ingressos: Os ingressos custam €14,5 (inteira). Há descontos para idosos e crianças (5-25 anos). Crianças com menos de cinco anos não pagam e o pacote familiar (dois adultos e duas crianças (7-25 anos) custa €42). Mais informações no site do Atelier des Lumières.

ONDE NOS HOSPEDAMOS EM PARIS: JULES ET JIM E HOTEL LE LITTRÉ

Assim como as maiores cidades do mundo, Paris tem milhares de opções de hospedagemdas mais simples às mais luxuosas. O FTC visitou a capital francesa em abril de 2019 e, como dividimos nossa passagem em dois momentos diferentes (dois dias no começo da viagem e três no final), nos hospedamos em dois hotéis: Jules et Jim e Hotel Le Littré. Confira nossas dicas!

*O FTC viajou para a França com o apoio da Air France. A companhia oferece opções completas de rotas para o país, com voos para as mais diversas cidades e com possibilidade de stopover em Paris na ida ou na volta. São dois voos diários saindo de São Paulo para Paris, e um voo diário do Rio de Janeiro. O FTC tem total controle editorial e opinião própria sobre o conteúdo publicado.

Mariana Bruno é jornalista e escritora especializada em decoração, arquitetura e design. Já trabalhou em diversas plataformas e hoje atua na área de PR. Acredita no poder das experiências, do lifestyle, do entretenimento e das viagens. Instagram: @missbruno

Mariana Bruno – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários