Descobri o livro do Adam J. Kurtz no Instagram da Alanis Morissette em 2017. Não me pergunte a coerência das pessoas que gosto nas redes sociais, mas a Alanis é uma delas. Não sei ao certo o que me chamou a atenção no post dela, já que ela só usou emoticons na legenda, nada de review cheio de inspiração. Talvez porque ela entendeu, não tinha o que dizer, só sentir (haha).

Talvez foi a simplicidade da capa que me chamou: Things are what you make of them. Life advice for creatives. Porque é bem verdade que nos últimos tempos tenho sentido que é por aí mesmo, as coisas são o que você faz delas. Também porque depois de muitos anos eu estou começando a entender que a vida flui melhor se pararmos de fatiá-la em papéis isolados (profissional, esposa, filha), mas entender que tudo está conectado numa coisa só: Life Advices, not Work Advices.

Essa pequena obra-prima traz uma honestidade que há tempos eu não lia num livro para profissionais criativos. Você pode inclusive enxergá-lo como quiser, pois ele te dá essa chance: um guia de como conviver com a sua mente criativa, doses homeopáticas de terapia ou ainda uma conversa com aquele seu amigo de infância que sabe o que se passa em sua mente sem tu dar um pio (beijos Vá).

Uma das coisas que mais gosto é o tom do livro, nada pretensioso ou com aquele tom pedante que muitas vezes os grandes criativos tem, da escola Zé Bonitinho de “vou te dar um tostão do meu conhecimento”. Outra coisa que muito me apetece (sempre quis usar essa palavra num texto) é que eu vejo que esse livro se adequa as mais diferentes experiências e carreiras no meio criativo, por isso que resolvi falar dele aqui, porque dessa vez não vou puxar sardinha para a minha área. O autor é um designer, mas ele falou pertinho do meu coração de ilustradora em todos os momentos.

Você vai encontrar dicas super úteis de como enfrentar seus medos criativos, se organizar para botar seu plano em prática (seja qual for), como recomeçar depois de dar com os burros n’água e como encontrar sua própria voz (e não tentar sufocá-la, porque ah como a gente é empenhado nisso). O livro é dividido em pequenos capítulos e os meus preferidos, sem dúvida são: Usando o seu Poder para o Bem e Como superar Medos Criativos (Talvez). Ele também fala sobre muitas outras coisas reais, mas que nem sempre é bonito de falar, como: lidar com a inveja que você sente dos seus colegas que estão se dando bem melhor do que você ou ainda que odiar o seu trabalho poderá ser algo frequente.

Mmmm, ok. Parece que você já ouviu tudo isso antes né?! Qual é o burburinho então?!

É claro que no fundinho a gente já ouviu algumas dessas coisas, mas esquece toda hora e é por isso que esse livro querido está aí. Mas então ele é autoajuda, confere? Eu gosto de uma coisa que a Martha Medeiros diz: todo livro honesto, é ajuda. E acredite, você terá isso com este livro. Emoldurei uma página que pra mim é muito importante e destaquei outras tantas como lembretes. Sim, porque as páginas são destacáveis, olhe que ideia mais linda para as nossas cabecinhas de vento. 

Ah, eu falei que vem adesivos? Golpe baixo, mas só com o objetivo de te dar um empurrãozinho.

Beijos e queijos,

Clau Souza é ilustradora há 10 anos e está a frente do Estúdio, Lojinha e Cursos Criativos da Borogodó. Durante a sua caminhada pela estrada de tijolos amarelos da ilustração já teve a felicidade de estar em grandes publicações da área, como Lürzer’s Archive, Zupi e Computer Arts. Desconfia seriamente de pessoas que não gostam de cores e tem pavor de palhaços (mas já teve que desenhar alguns).

Clau Souza – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários