Viver perto de espaços verdes como parques públicos pode ajudá-lo a viver mais, sugere um novo estudo

Que a gente ama plantas e verde por aqui não é nenhum segredo. E descobrir mais esse estudo científico publicado recentemente pelo The Lancet Planetary Health veio para confirmar que estar cercado delas é a melhor coisa que podemos fazer hoje pela vida e pela saúde.

De acordo com pesquisadores, pessoas em áreas urbanas de todo o mundo e que vivem perto de um parque, jardim ou outra área natural têm menor risco de morte prematura. Foi usado um “índice de vegetação” para medir a densidade da flora em algumas áreas e sua escala. As florestas tropicais chegariam perto de 1, enquanto rochas ou areia estéreis chegariam perto de 0. Os cientistas descobriram que quanto maior o índice de vegetação, menor a taxa de morte prematura.

MAIS VERDE = VIVER MAIS

O fato de os parques, jardins e áreas naturais serem bons para a saúde, porém, não é nenhuma surpresa. Mas o mais intrigante é o que acontece com a saúde das pessoas quando os espaços verdes mudam. Quando o índice de vegetação de uma área aumenta em apenas 0,1, as pessoas que vivem a menos de um 1,5km dele reduzem sua taxa de mortalidade prematura em cerca de 4%. Em outras palavras, quanto mais vegetação ou verde perto você tiver, melhores serão suas chances de viver uma vida mais longa.

Estados Unidos, Canadá, Espanha, Itália, Austrália, Suíça e China mostraram as mesmas tendências, segundo a metanálise. Juntos, esses estudos incluíram mais de oito milhões de pessoas.

A análise não responde à pergunta de por que a proximidade com as plantas é um benefício para a saúde humana. Mas isso confirma a suposição com um grande volume de dados – estar perto de espaços verdes é realmente bom para você (quanto mais, melhor), e o efeito provavelmente se aplica, não importa onde você esteja no mundo.

AS CIDADES E OS BENEFÍCIOS DOS ESPAÇOS VERDES

Mais da metade da população mundial vive nas cidades, e o número aumenta cada vez mais. Isso significa que os benefícios da gente ter parques, praças e mais verde no urbanismo pode afetar muitas pessoas.

Mas algumas cidades têm melhor acesso ao espaço verde do que outras – então certas pessoas podem estar perdendo esses anos extras. Quem vive em Atlanta, Dallas e Portland, Oregon, estão melhores, com 850 pés quadrados ou mais de área verde por morador, de acordo com a GeoTab. Nova York, Boston e Miami são terras áridas por comparação, com menos de 60 metros quadrados por pessoa, por exemplo.

Os benefícios do espaço verde também não se limitam somente à saúde física. A saúde mental melhora quando as pessoas estão próximas a espaços verdes densos. Em outro estudo publicado no início deste ano, por exemplo, os pesquisadores descobriram que crescer perto da natureza leva uma pessoa a ter uma saúde mental melhor durante toda a sua vida.

O TIPO DE VERDE TAMBÉM INFLUENCIA

O tipo de espaço verde também faz a diferença. Entre grama, arbustos e copa das árvores, a cobertura da copa das árvores tem um maior retorno para a saúde dos seres humanos e está associada a um menor sofrimento psicológico.

Elas também podem melhorar sua qualidade de vida de outras maneiras: os espaços verdes urbanos reduzem a poluição do ar, o ruído e o efeito da ilha de calor urbana.

Juntos, os resultados dessa análise e estudo sugerem que as cidades deveriam intensificar seus programas de ecologia, urbanização, paisagismo e manter com todo o cuidado os parques públicos, jardins e praças. A vida de seus moradores e a sua pode ser muito melhor devido a isso!

 

Via.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários