Projeto #objectsofmyisolation lança um olhar sobre os novos significados que os objetos do dia a dia ganharam

A pandemia que o mundo está enfrentando atualmente obrigou muitas pessoas a mudarem suas rotinas. Ficar em casa se tornou a regra para muita gente e o home office também. Alguns estão tendo um tempo mais solitário em casa, enquanto outros tentam entender o hiperconvívio com suas famílias.  

Seja como for, um fato é que agora, ficando mais em casa, pensamos nas atividades que podíamos fazer ao ar livre e passamos a olhar para o nosso lar com uma nova ótica. Certos hábitos se tornaram rituais com mais peso, como preparar um café da manhã e encontrar o lazer em uma leitura ou série.

Já outras atividades chegaram como novidades na rotina, como ter que improvisar um escritório em casa, pais lidando com trabalho e filhos, entre outras. E muitos objetos ganharam uma importância que talvez não tivessem antes. A maçaneta da porta, por exemplo, se tornou um foco de atenção. Assim como os sapatos, para quem vem da rua e precisa lembrar de tirá-los antes de entrar em casa.

Para registrar como as pessoas estão interagindo com certos objetos neste período, o Observational Practices Lab Parsons New York, um Laboratório de Práticas Observacionais, da Parsons School de Nova York, lançou um projeto chamado ‘Atlas dos Objetos de Todo Dia’ (Atlas of Everyday Objects — In the Age of Global Social Isolation).

Os objetos de Alyssa Grossman, Liverpool

#OBJECTSOFMYISOLATION

A ideia é engajar as pessoas a postarem fotos, com uma montagem de nove imagens, que registrem objetos que ganharam novos significados para elas na quarentena. Usando a #objectsofmyisolation, o projeto colaborativo está sendo feito pelas redes sociais. O professor Pascal Glissmann, um dos idealizadores do projeto, diz que nós não sabemos como a pandemia vai nos afetar, mas que com certeza a nossa vida será diferente.

“Esperamos que essa coleção de objetos do dia a dia vai nos fornecer um registro de como os ambientes rotineiros foram alterados. Será que o nosso isolamento em casa vai moldar um novo tipo de memória coletiva?”, diz Glissmann.

A Parsons School of Design quer documentar os objetos de nosso isolamento coletivo

Todos são convidados a compartilhar uma foto de 9 objetos cujo significado mudou durante a pandemia

Os objetos de @thestan_fotografie, de Freiburg

O Laboratório foi criado em 2016 para pesquisar como objetos são observados e analisados por pessoas de diferentes áreas profissionais. Ele se baseia em objetos do dia a dia como uma maneira de destacar aspectos que passam despercebidos ou que recebem atenção demais pela sociedade contemporânea.

O professor Pascal ressalta que quando colocados lado a lado, esses grids de fotos mostram a recorrência de itens comuns para muitas pessoas. “Pensamos nessas montagens como um grande atlas, que no futuro será ele mesmo um objeto de estudo. O que será que os futuros pesquisadores vão enxergar nele, o que será que irão concluir sobre a nossa situação ao analisá-lo?”, indaga.

Para saber mais, visite o site do projeto Atlas of Everyday Objects (em inglês) aqui. Acompanhe também a hashtag #objectsofmyisolation no Instagram.

Via

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários