Sem ser pelos motivos alucinógenos, os cogumelos estão brotando em nossas vidas e transformando o meio de consumo

Cogumelos. Quando você pensa neles, o que vem a sua cabeça? Ok, o legado dos anos 60 continua, mas progredimos. Eles têm sido a base da Medicina Tradicional Chinesa há milhares de anos, e recentemente as pessoas começaram a apresentar um crescente fascínio pela natureza e tudo o que podemos ganhar com seus ecossistemas. Na moda e varejo, saúde e bem-estar, esses fungos maravilhosamente estranhos significam muito para nós, um mundo cansado e obcecado por imunidade e novas alternativas.

Cerâmicas por Abby Dawson do Divine Pine Studios

COGUMELOS NA MODA E NO DESIGN

Talvez você, como eu, tenha ficado particularmente chocado aos ver, de repente, esses corpinhos carnudos se transformando em inspirações para marcas ao criarem bonés, brincos e até vestidos usando suas estampas. Esse leve aumento nas roupas adornadas com cogumelos foi documentado de perto pela agência de previsão de tendências WGSN. Os cogumelos também viraram material alternativo para um tecido sustentável que usa o micélio como base principal e imita a textura do suede dando vida à luminárias, bancos e outros objetos de design.

Luminária Mycelium & Timber, por Sebastian Cox & Ninela Ivanova. © Petr Krejci Photography

Uma série de empresas tem explorado estes pequenos seres que crescem magnificamente na natureza e mostrado seu fascínio nas coleções, desde marcas de streetwear mais jovens até motivos que exploram as viagens psicodélicas, além de joias ultrafemininas adornadas com encantos inspirados nos fungos. Universalmente entendidos como estranhos e maravilhosos, os cogumelos oferecem temas que podem facilmente transcender as categorias de produtos.

Vestido da marca My Classico

Bolsa Kate Spade 

Camiseta Cogumelos Tropicais, estampa autoral de Chaino para El Cabriton

NA ARTE

Indo na contramão do varejo, é só observar a arte que veremos o tanto que sempre foi referência para artistas. Uma rápida visita à recente exposição no Somerset House, Palácio em Londres, Mushrooms: The Art, Design and the Future of Fungi, é suficiente para convencer-nos de que os cogumelos que brotam de árvores apodrecidas guardam dentro de si  mistérios que perdemos no mundo moderno. Mais de 40 artistas renomados como Takashi Murakami, Cy Twombly, John Cage, entre outros, exploram experiências inovadoras em design, ilustrações, têxteis e arquitetura utilizando os cogumelos de maneiras novas e empolgantes.

Mushroom Motif (Black and Ochre), 2017, por Alex Morrison. Fotografia: cortesia do artista para L’inconnue Gallery, Montreal

Cogumelos por Cody Hudson 

Cochlea Brick Tuft, por Hamish Pearch. Cortesia do artista

SAÚDE E BEM-ESTAR

Seus benefícios para a saúde também tem sido muito estudados. Consumidores preocupados com o bem-estar, que se sentem exaustos com o consumo digital em massa e com as ansiedades esmagadoras destes tempos, tem usado os cogumelos cada vez mais em suas receitas. Embora os fungos tenham propriedades medicinais comprovadas, eles também tendem a algo mais intangível: uma sensação de fascínio e escapismo pelo ambiente externo orgânico, onde não há WiFi à vista e o contato com aquele ser único passa a ser quase mágico. Os fungos desempenham um papel vital na reciclagem orgânica, na matéria produzida pelas plantas, na terra, e assim, seguem o seu caminho.

Todos os cogumelos são fontes de proteínas, contêm um tipo de carboidrato complexo chamado beta-glucanos, fibras solúveis que estimulam os sistemas nervoso, endócrino e imunológico e até ajudam a suprimir crescimentos de tumores. Oferecem benefícios físicos, neurológicos e imunológicos ao longo prazo. Estudos mostram melhora na pressão arterial e nos marcadores inflamatórios em pessoas que consomem cogumelos 3 vezes por semana.

Quando o biólogo e autor Merlin Sheldrake lançou seu livro sobre fungos, ele usou uma ótima estratégia de marketing. Sheldrake anunciou seu lançamento com uma imagem da publicação literalmente explodindo de fungos e escreveu em seu Instagram: “Aqui ele está sendo devorado por Pleurotus, ou o cogumelos ostra. O pleuroto pode digerir muitas coisas, desde óleo cru até pontas de cigarro usadas, e também é delicioso”. 

Uma das novas ondas do mercado também é o café com cogumelos. O extrato de cogumelos medicinais é adicionado ao café para fortificar ou aumentar os benefícios da bebida cafeinada por meio de nutrientes extras. E isso inclui um sono melhor, inflamação reduzida e imunidade aprimorada. O pó, fácil de misturar, adiciona uma poderosa energia para chás, smoothie, iogurtes, pré e pós-treino e até mesmo pratos culinários.

Os novos cultivadores dizem que no momento, a ciência moderna está apenas captando o que as tradições de cura como a Medicina tradicional Chinesa e o Ayurveda já sabem há milhares de anos. Em 2012, o fundador e CEO da Four Sigmatic, Tero Isokauppila, finlandês que cresceu em uma fazenda familiar que existe desde os anos 1600, e passou a maior parte de sua infância na floresta, decidiu criar bebidas enriquecidas com cogumelos. “Por muito tempo, as pessoas ficaram maravilhadas quando eu disse que era nisso que estava trabalhando. Foi uma tarefa realmente difícil fazer as pessoas beberem cogumelos.”

Os cafés com cogumelos da Four Sigmatic

NO BRASIL

O Covid-19 lançou uma crescente fixação das pessoas com os cogumelos e causou uma hipervelocidade nas vendas, com multidões de consumidores desenvolvendo ou aumentando seu interesse pelos produtos, por serem uma fonte rica em potássio, riboflavina, selênio e vitamina D, além de comprovadamente ótimos na construção da imunidade, controle de peso e minimização dos riscos de várias doenças crônicas. Com o veganismo, isso já havia se intensificado antes. Um grande, grande problema, é que realmente as vendas atendem apenas parte da população com uma renda disponível. A maioria dos produtos são caros e a variedade dos cogumelos frescos ficam por conta de São Paulo e Paraná – que produzem Shiitake, Shimeji e o Champignon-de-Paris.

No Brasil já existem kits prontos para qualquer pessoa (e até crianças) cultivarem seus próprios cogumelos como o Cogukit 

É nesse contexto que surgem iniciativas como a da maravilhosa bióloga Noemia Kazue, que, numa parceria do Instituto Ambiental com a Associação Yanomami, trabalha para desenvolver e valorizar espécies da biodiversidade da Amazônia. “Juntamos forças com a tribo para encontrar uma boa fonte de renda para eles e agora estamos confiantes de que é possível aquecer nosso mercado e capacidade de exportação”, comemora. Outros produtores estão surgindo, independentes, e estes vendem localmente pelo Instagram. Para comprar, fique sempre de olho nos selos de inspeção. E nem pense em se aventurar colhendo fungos por aí. Alguns tipos chegam a ser letais.

Em 2019, pesquisadores do Inpa encontraram 17 novas espécies de cogumelos na Amazônia

BELEZA

Na beleza, marcas tem utilizado o ingrediente natural por serem excelentes para ajudar a proteger a pele da poluição e de outros agressores ambientais. A maioria dos cogumelos tem antioxidantes elevados e contém metabólitos que podem ajudar a combater os radicais livres, outros ajudam a iluminar a pele e a atenuar manchas escuras. Muitos funcionam, porém, ainda existem poucos ensaios clínicos robustos que mostram os reais benefícios.

A Peak + Valley é uma empresa de bem-estar consciente que oferece o mesmo cogumelo medicinal respaldado pela neurociência e misturas adaptógenas. Atualmente são três combinações, cada uma delas formulada para proteger a pele, o corpo do stress e a mente. 

FUTURO

O assunto é ainda relativamente novo e o nicho tem muito para crescer. A WGSN prevê dentro do vestuário, um aumento no tema do cogumelo em roupas. Teremos também, inúmeras ilustrações botânicas ou fotos-impressões desses seres circulando no mercado em breve. Os cogumelos poderão até afetar nosso comportamento. Com as viagens fora do nosso futuro previsível, os consumidores estão buscando ativamente uma sensação de escapismo rural. Fazendas e passeios agroecológicos podem impulsionar essa volta para a natureza, estimulando ainda mais o interesse aos cogumelos e essa gastronomia.

A febre do cogumelo não para por aí; as propriedades psicodélicas de algumas espécies são uma área legítima de interesse para cientistas que estão trabalhando para descobrir como tratar uma série de problemas de saúde mental com microdoses. O episódio “Psicodélicos”, da série Explicando a Mente, da Netflix, mostra exatamente parte destes estudos e é bastante fascinante, basta… abrir a mente!

Ilustração vintage retirada da publicação Brasilische Pilzblumen, gratuita para baixar

Compartilhamos até 50% do nosso DNA com os cogumelos. Cogumelos são necessários para todas as plantas coletarem água, estão em até 40% de nossos produtos farmacêuticos e são necessários para fazer qualquer produto fermentado. Há uma grande conexão aí. Eles já fazem parte da nossa vida diária. Simplesmente não nos lembramos disso.

Fontes: Fashionista, Business Wire, Your Tango, Mushroom Council, Bustle, Refinery29Stylist.co.uk.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários