Agora que estamos mais em casa, aposto que você tem reparado que o lar pode influenciar o humor e afetar a saúde. Não é apenas uma questão de estética ou algo supérfluo, falamos especificamente do design de interiores – que traz soluções para os espaços e eficiência para o dia a dia, além de facilitar as tarefas domésticas.

Um bom design de interiores deve oferecer benefícios e melhorar a experiência daqueles que utilizarão o local a ser planejado. Também oferece ao morador um local calmo, equilibrado e confortável, um ambiente onde você se sente completamente à vontade, onde suas necessidades são atendidas e também transmite personalidade.

Mas o design de interiores é sempre confundido com decoração. A escolha dos revestimentos, cores e acabamentos é, de fato, uma das partes dos escopos nos projetos. Mas isso não é tudo. O profissional é capaz de organizar fluxos, elementos a serem dispostos no espaço, estudar o comportamento dos moradores – para que tudo seja otimizado, aliando design, conforto e praticidade. Mas como tudo isso influencia na saúde?

UM BOM DESIGN DE INTERIORES EM SUA CASA E OS BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE

O design de interiores traz o que o cliente precisa e espera de cada ambiente. O profissional escolhido deve saber traduzir as suas necessidades em um projeto bonito e que funcione na sua rotina. A ideia não é ficar preso a tendências e modismos, mas entender o estilo dos moradores e imprimi-lo àquela decoração. Além disso, com técnicas aprendidas, ambientes pequenos poderão parecer maiores, a casa poderá ser adaptada para crianças, pessoas com deficiência, pets ou idosos, entre outras funcionalidades.

Segundo a designer de interiores espanhola Ana Utrilla, para termos uma casa que aumente o nosso bem-estar, dependemos de alguns aspectos fundamentais, como:

  • Manter a ordem e a limpeza regularmente;
  • Que seja funcional e prática, atributos importantes nos acessórios e móveis;
  • Tenha ergonomia – de acordo com as medidas dos moradores, e traga conforto;
  • Haja uma estética de todo o conjunto, dentro do estilo do morador, harmonia e equilíbrio em geral;

 

Pode parecer estranho falarmos que a disposição de móveis, a iluminação do ambiente, a decoração, a ordem, limpeza e a quantidade de plantas, por exemplo, possa influenciar diretamente em nossa saúde. Mas, é só fazermos uma análise para desmistificar essa impressão:

1 – MANTER ORDEM E LIMPEZA REGULARMENTE

Manter os espaços organizados e em ordem nos permite sermos até mais produtivos. Móveis e acessórios fáceis de limpar e ambientes que possuem o essencial fornecem mais tempo livre para que você desfrute das pequenas alegrias do dia a dia. Ao termos os móveis certos também, conseguimos planejar os ambientes para melhor utilizar seus espaços. O resultado disso é a otimização das áreas.

2 – FUNCIONALIDADE E PRATICIDADE

Um projeto mal pensado afetará a vida de muitas pessoas e por muito tempo. Em ambientes internos, isso é ainda mais amplificado, uma vez que todos tem passado mais tempo em suas casas, e isso impacta diretamente no bem-estar e saúde.

Para um lar oferecer funcionalidade e praticidade, móveis, acessórios e materiais devem ser úteis, e assim também evitam erros caros de design. Por exemplo: um piso mal escolhido, uma pintura insatisfatória, um lustre que desarmoniza o ambiente; tudo isso pode se tornar problema. O planejamento e o estudo de um bom profissional leva isso em consideração. Nem todo mundo pensa assim, mas é essencial quando botamos os investimentos na ponta do lápis.

3 – ERGONOMIA E CONFORTO

Nem todas as pessoas se movem da mesma maneira em um espaço ou têm as mesmas dimensões do corpo, e nem todos se sentem à vontade na mesma quantidade de luz ou resistem calorosamente às mesmas temperaturas.

A ergonomia é aquela que fornece, entre outras coisas, conforto aos móveis e acessórios que adquirimos. É encarregada de estudar as formas, texturas ou medidas adequadas para que ao usá-las, a gente se sinta confortável. Portanto, aqui, não devemos economizar em um bom colchão, sofá, cadeiras, bancadas, iluminação e armários fáceis de acessar, pois passaremos bastante tempo utilizando estes móveis e, além disso, eles podem alterar o nosso estado de saúde (um bom design evita dores nas costas desnecessárias, uma boa iluminação natural pode trazer mais bem estar e verde aos moradores, por exemplo).

4 – ESTÉTICA DO CONJUNTO, ESTILO, AFETO, EQUILÍBRIO E HARMONIA

75% do design de interiores de sua casa influencia diretamente na saúde e no seu humor

Realmente, 75% é uma percentagem enorme e importante que precisa da sua atenção, certo? Como o espaço é percebido visualmente quando você o habita? A cor, brilho, profundidade e altura determinam se ele é detectado como aconchegante, seguro, estimulante, pacífico, flexível ou exatamente o oposto.

Atenção então entre o que você quer transmitir e sentir em sua casa. Em outras palavras, para não ter frustração, tristeza, apatia e até mau humor, você deve ficar atenta (o) as dicas, mas também pode e deve seguir sua intuição para ajudar a transmitir sua personalidade para o profissional que está te ajudando com a sua casa. Muitas vezes não é preciso um imóvel novo, reforma ou quebra-quebra. Você não precisa renovar completamente os ambientes, pode fazer aos poucos, como por exemplo:

  • Pintar a cor do cômodo que mais te influencia e onde você mais vai passar tempo (a parede da sala em que talvez seja a mais longa, ou a área do escritório, sala de estar);
  • Fazer aquele DIY que você tanto gosta e trazer um toque pessoal para sua casa;
  • Usar fotos grandes da sua família, amigos ou de suas viagens e substituir por algo que escolheu para colocar na parede;
  •  Colocar em sua vista objetos vintage ou itens antigos herdados da família, adquiridos em viagens. Isso o fará sempre lembrar dos bons momentos ou das pessoas queridas – e mais.

 

Sim, a ideia não é somente funcionalidade, minimalismo ou ser algo de revista. Aqui, quando falamos em design de interiores podemos ter objetos que nos trazem alegria, afeto e nos lembram bons momentos que vivemosunindo o útil ao agradável.

Ao utilizar móveis com compartimentos fechados, por exemplo, conseguimos colocar alguns elementos decorativos sem ficar tudo muito poluído. Por serem móveis práticos e funcionais, você evitará mais esforços e economizará tempo na manutenção.

Tudo isso o ajudará, em grande parte, a pensar no que você não gosta ou não; no que se sente à vontade em sua casa, o que te traz equilíbrio. Sua casa é um grande investimento, certamente um dos lugares onde você passa mais tempo ao longo da sua vida. Além disso, é o seu espaço de refúgio, conforto e paz.

NOSSA CASA, NOSSO TEMPLO

Como diz um ótimo texto da The School of LifeNossas casas também são templos – para nós. Não esperamos ser adorados, mas estamos tentando criar um lugar que, como um templo, incorpore adequadamente nossos valores. Criar uma casa é frequentemente um processo muito árduo porque exige que encontremos nosso caminho até objetos que possam transmitir corretamente nossas identidades. … “Lar” significa o lugar onde nossa alma sente que encontrou seu recipiente físico adequado, onde, todos os dias, os objetos em meio aos quais vivemos silenciosamente nos lembram de nossos compromissos e amores mais autênticos.”

Por isso é tão importante a escolha de um profissional que entenda o que você quer, que não crie algo padrão para todos os clientes, que leia e desmistifique a “chave” da sua casa. Tem algo melhor para a saúde do que calma, paz, harmonia e amor? Ainda mais dentro de casa?

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários