Inaugurada em outubro de 2017, a biblioteca de Tianjin Binhai, na China, encanta os frequentadores com suas enormes estantes brancas e onduladas que vão do chão ao teto. Espaço este que, aos fins de semana recebe, em média, 15 mil visitantes. Mas, pasmem! Muitos dos livros são, na verdade, imagens impressas em placas de alumínio – o que não anula a grandiosidade de mais de 200 mil exemplares e a capacidade para armazenar 1.2 milhão de obras.

Projetado pelo famoso escritório holandês MVRDV, o prédio comporta ainda um enorme auditório translúcido e esférico que, visto de fora, assemelha-se a íris de um olho. Não por menos, a biblioteca de Tianjin Binhai chama atenção por suas linhas orgânicas e formas circulares que percorrem, em média, 33.200m². Além de estantes, as estruturas servem também como bancos e corredores de circulação, pelos quais as pessoas transitam e, é claro, tiram inúmeras selfies.

Se você for visitar a biblioteca de Tianjin Binhai, coloque seus sapatos confortáveis e prepare-se para caminhar muito pelo local, tentando alcançar as infinitas estantes! 

São cinco andares no total. Há o auditório, áreas de leitura, salas de estudo, reuniões e de convivência, além de computadores, salas de áudio e cômodos para armazenar… livros! Pública, a biblioteca é conhecida como ‘O Olho de Binhai’ e integra um grande projeto urbano desenvolvido pelo Instituto de Planejamento e Design Urbano de Tianjin (TUPDI), cujo objetivo é criar na região um enorme polo cultural.

Desde a sua abertura, o prédio tem sido um grande sucesso na mídia; os comentários o descrevem como um “Oceano dos Livros” e a “Biblioteca mais bonita da China”. A biblioteca de Tianjin Binhai é a construção mais rápida do MVRDV até o momento. Foram apenas três anos desde o primeiro esboço até a abertura.

O projeto arquitetônico realmente é de tirar o fôlego!

Imagens: Ossip van Duivenbode

Via. 

Jornalista de moda e lifestyle, Selena Escher trabalha com conteúdo. Capricorniana e pesquisadora constante, adora arte, conhecer novas culturas, viajar, comer bem, a década de 1920, música, assistir a filmes e sentir-se livre.

Selena Escher – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários