Explosão de cores, formas e estampas dos anos 70! 

Os anos 70 foram marcados pela disco music, pela psicodelia, pela cultura hippie e pelo nascimento do punk, do futurismo e da tecnologia. Porém, tivemos também uma grande recessão econômica nos EUA, e as pessoas que tinham investido no sonho da casa própria, sem dinheiro para adquirir produtos novos de decoração, partiram para soluções de baixo custo; onde elas mesmo criavam os seus objetos. Pronto. Nascia assim o método que ainda é tão usado e comentado por nós até hoje: o DIY (faça você mesmo)!

A retomada ao clima da década de setenta, é uma das nossas principais sugestões de decor para você nesse ano. Mas por onde começar? Seguem alguns exemplos para buscar antes de qualquer coisa: painéis de madeira, cores marcantes, estampas psicodélicas, peças de acrílico, objetos kitsch, móveis de madeira com pés palito, almofadas e tapetes com padrões e tons vivos e racks modulares – todos itens super dentro do estilo da época!

E para facilitar ainda mais a sua inspiração, listamos agora 5 dicas e tendências na hora de compor e aplicar o estilo dos anos 70 nos seus ambientes. Confira:

1 – PAPEL DE PAREDE DOS ANOS 70

Não tem como não pensar na década sem lembrar da febre dos papéis de parede dos anos 70 na decoração. As estampas brilhantes típicas traziam ilustrações psicodélicas, listras, ondas, efeitos geométricos e até desenhos que lembravam ilusões de ótica. A mistura de cores fortes era intensa. Hoje, tem quem ache que o diferencial é prezar pelo equilíbrio para que nada fique carregado.

Os papéis de parede são uma boa opção para salas, quartos (inclusive de crianças), escritórios, painéis na cozinha e estúdios, ou para quem gosta de espaços com um toque de personalização. As cores, texturas e desenhos distintos garantem uma ampla variedade para todos os gostos. Para cada espaço, é bom você analisar as estampas e levar em conta a decoração como um todo.

Nada como um papel de parede para transformar um cômodo! As estampas dos anos 70 trazem muita personalidade à casa, combinando direitinho com os móveis, sofá de couro e a ampla janela que traz muita luz natural. 

Em caso dos cômodos menores, a nossa dica é que a estampa também seja pequena para não parecer que o espaço é ainda menor. Uma sugestão que diminui as chances de erros é usar o produto em apenas em uma parede. Se você for mais ousado, pode misturar duas estampas no mesmo ambiente. Claro, tudo com cuidado: use os mesmos tons de cores ou misture padrões como flores e listras.

2 – ARQUITETURA E MÓVEIS INSPIRADOS NOS ANOS 70

Na arquitetura dos anos 70, as casas eram todas com o plano aberto e os espaços como a entrada, sala de estar e cozinha se conectavam. Os arquitetos da década estavam claramente à frente de seu tempo, já que esse tipo de configuração ainda é super popular hoje. Muitas das plantas também incluíam grandes janelas do chão ao teto e portas que se abriam para varandas, garantindo muita luz natural, duas características que continuam atuais.

Os tijolinhos antigos, antes expostos e esquecidos nas paredes das casas, hoje são luxo nos imóveis modernos. Os móveis eram de teca, pinho ou vime. Vidro, vinil, couro (sofás de couro eram o que havia de melhor na década!), metal, cromo, acrílico e plástico eram muito usados.

O mobiliário dos anos 70 priorizava traços definidos e rígidos, com diferentes desenhos para aparadores, estantes, prateleiras e racks modulares. O carrinho de bebidas, móveis de madeira com pés palito, a cadeira pavão, poltronas de veludo, e os eletrodomésticos feitos em cores fortes são peças-chave dessa era, que podemos dizer, voltaram com tudo!

Apartamento-estúdio em São Paulo: espaço aberto, materiais simples, mistura eclética de móveis, plantas penduradas (tem planta mais anos 70 do que a samambaia?) e decor inspirada na década. 

Revestimento da poltrona de couro, papel de parede com estampa dos anos 70, almofada felpuda e madeira no chão. Isso sim é que é estilo retrô moderno! 

Os pisos poderiam ser de linóleo amarelo brilhante ou padrões gráficos. Explica-se aqui até hoje o sucesso dos ladrilhos hidráulicos. Haviam muitos azulejos de cerâmica nos banheiros, painéis de madeira, vidros fumês na decoração, carpetes, tapetes e acessórios felpudos (chamados de ‘shag’), além do conforto que os pufes dos anos 70 trouxeram para todos os ambientes.

3 – FORMAS GEOMÉTRICAS, ESTAMPAS E CORES

Laranja, verde-limão, rosa, marrom, padrões e estampas geométricas, flower-power, círculos, curvas, paisley, cheniles. Você ainda encontra uma série de peças com essas estampas, cores, texturas e padrões, mas muitas, graças aos designers mais modernos, foram suavizadas e estão mais nítidas e limpas, sem perderem as características da época.

Para trazer essas formas, para os dias de hoje, basta um sofá neutro, por exemplo. Ele pode ganhar uma linda almofada com estampas retrô. Você também pode incorporar padrões em um piso também, ou até então, encomendar um lindo tapete para mais textura e conforto em sua casa.

Quanto as cores, use e abuse: luminárias, colchas, paredes e móveis: nada era poupado das explosões de cores, do arco-íris Technicolor dos anos 70, então, se você gosta de tons mais fortes, aposte nessa ideia!

Casa de Marina Jaeger. Construído nos anos 70, o prédio leva a assinatura de Ruy Ohtake e sua estrutura apresenta muitos elementos em concreto aparente. O tapete shag ganha um novo olhar por conta de suas cores. 

4 – PÔSTERES DE BANDA, FILMES E SÉRIES DA ÉPOCA

A banda The Who, o festival de Woodstock, A Fantástica Fábrica de Chocolate, a série de TV As Panteras são alguns dos sucessos da década. Algo fácil e legal para decorar a casa usando essa tendência é utilizar imagens de pôsteres como os de filmes ou propagandas da década de 70.

Por aqui, já disponibilizamos vários arquivos vintage para você baixar de graça! Quadros e porta-retratos com imagens retrôs de viagens e destinos também ajudam a compor a decoração!

5 – ELEMENTOS NATURAIS DENTRO DE CASA

Tapetes de sisal, cadeiras de bambu, lareiras de pedras. Nos anos 70, a natureza e o estilo orgânico já começava a dar as caras e estava em alta, já que era o começo do ecofriend na décor. Os tons terrosos e muitas plantas invadiam os lares.

A moda era as plantas suspensas (os hangers de macramê que vemos por aí no Pinterest não são de hoje), assim como as frutas e animais que invadiram as casas como tema: abacaxis dourados, os flamingos, cogumelos, arco-íris, florais, e até as estampas botânicas.

Red Studio: a casa de concreto construída nos anos 70 por Ruy Ohtake com formas orgânicas traz muitas plantas, cores pontuais que se destacam. 

Na década de 1970, a cultura hippie inspirou inúmeras tendências. Focadas principalmente na natureza, no planeta e em tudo o que ele poderia oferecer, é por isso que muitas casas da década tinham elementos como: muitas plantas, pedras nas construções, jardins de inverno, móveis de vime e figuras de animais, sobretudo as corujas. O LA Times acredita que a popularidade das corujas tenham surgido em 1971, quando o Serviço Florestal dos EUA fez deste animal o seu mascote. Interessante, não?

A samambaia e o hanger de macramê: bem vindo de volta aos anos 70!

A década de 1970 continua sendo uma das mais emblemáticas quando falamos em decoração. Aqui, você aprende a combinar o vintage com o moderno, vendo o que faz sentido para você, definindo o que mais gosta. Lembre-se: feito é melhor que perfeito!

Detalhe da casa de Jonathan Adler e Simon Doonan. Aqui tem móveis de vime, macramê, figuras de diversos animais, plantas, futurismo, cores ousadas, objetos kitsch, móveis da época e tudo mais o que os anos 70 poderiam oferecer da sua estética peculiar! 

Imagens: Decoist, Papel de Parede dos anos 70, Dezeen, Histórias de Casa, Architectural Digest, Livcorday.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários