É fato que muitas das ideias de decoração tem vindo cada vez mais dos profissionais ao se inspirarem na natureza. Provavelmente, é uma resposta natural da vida moderna: com os centros urbanos cada vez mais corridos, se faz necessária a reaproximação com o verde e a vontade de se distanciar do concreto.

Também temos visto crescer, a valorização de peças artesanais, feitas à mão por pequenos produtores, seja em cerâmica, linho, algodão natural – o que tem impulsionado uma mudança no estilo de vida de muitos, no Brasil e no exterior.

Na decoração, além da volta das plantas dentro de casa, a chamada Urban Jungle e as hortas urbanas, as peças que evidenciam a presença de elementos naturais estão cada vez mais em alta. São acessórios, mobiliários e objetos atemporais que nos conectam organicamente com tudo isso, quebram a rigidez, acrescentam aconchego e trazem mais vida aos ambientes.

Pedras, madeiras, palha, bambu, argila. A sensação que remetem ao lar é de conforto, suavidade e acolhimento, além de intensificarem a vontade de usufruir cada vez mais da nossa própria casa.

Para essas matérias-primas naturais, orgânicas e brutas não brigarem é importante mesclar estilos. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você pensar em usar estes materiais de forma contemporânea na composição da sua casa. A palavra chave para criar um espaço que é puro aconchego é equilíbrio. Confira:

MATERIAIS BRUTOS NA DECORAÇÃO

MADEIRA NATURAL

A beleza bruta da natureza pode ser utilizada sem medo nas áreas de estar e jantar como mostra este projeto do escritório de arquitetura Sesso & Dalanezi para a Madeirado Móveis. A ideia aqui evidencia os mobiliários feitos com troncos e toras de árvores resgatadas da natureza (com certificação do Ibama) – que foram reaproveitadas após enchentes e queimadas e estavam jogados há mais de 50 anos.

A mesa de jantar traz uma atmosfera rústica sofisticada para o projeto. No entanto, o material é super versátil e aparece em harmonia com acabamentos em tons crus, revestimentos e objetos, trazendo um tom quente para a casa.

Além do mobiliário natural, o escritório criou ainda uma parede verde (acima do sofá), de fácil manutenção por serem plantas preservadas, que não necessitam de sol e rega, e aplicou um mix de cores e texturas nas demais paredes com um trabalho feito à mão.

BAMBU

A bancada de madeira bruta deste lavabo compunha o antigo frontão da lareira da casa da designer de interiores Tota Penteado. A peça casou perfeitamente com o tom de verde usado na parede. Veja que o ambiente combina cor, bambu, madeira bruta e cesto entrelaçado de palha, trazendo aconchego ao espaço. (Imagem: Edu Castello/Editora Globo)

Apesar de ser associado a uma decoração mais zen, o bambu ganha status diferente quando aplicado em peças de design como bowls, espelhos e outros objetos. O vaso Lentur, por exemplo, foi criado pelo designer Shahril Faisal, ao se inspirar no gesto dos três dedos que seguram uma haste de flor, além da flexibilidade e a característica oca do bambu.

Uma outra maneira contemporânea de usar o bambu, é a reinvenção das cortininhas artesanais do material, famosas nos anos 80, que transforma o seu espaço em um cenário mais boho, já que ela possui estampas florais coloridas pintadas à mão. Dá para usá-la de muitas maneiras – como um divisor de quarto, atrás da cama, da janela, como um portal de entrada, cortina de armário e mais! Essas são da Urban Outfitters.

FIBRAS NATURAIS E TECIDOS ORGÂNICOS

Tecidos com linho, algodão, sisal, vime, palha, rattan, além de darem um charme extra à casa, completam os ambientes ao trazerem textura aos ambiente. Melhor ainda se a produção dessas fibras naturais e dos produtos artesanais puderem ajudar no comércio sustentável das comunidades no país – como vemos em diversos projetos.

Imagem: Martin Garcia Perez

As cores desses materiais podem ser mais simples, mas nem por isso deixam de serem versáteis e modernas. Elas têm a capacidade de se misturar também com outros acessórios e estilo, e podem ser encontradas em mesas, cadeiras, cortinas, vasos, tapetes, cestos, entre tantas coisas usadas dentro e fora de casa!

Imagem: Casa Vogue

Imagem: daheim.de

LUZ NATURAL E AMBIENTES HARMONIOSOS

Além das grandes janelas e portas que possibilitam a entrada da luz natural que deixam os cômodos super aconchegantes, existem algumas táticas da arquitetura para ajudar nessa empreitada, como instalar luminárias em trilhos ou spots, usar pisos e paredes mais claras que espalham a luz, espelhos para aumentar e iluminar.

Pisos que espelham a luz ajudam a criar um ambiente mais claro. Projeto da arquiteta Carmem DAvila (Imagem: Rafael Renzo)

Outra boa ideia é apostar na marcenaria para aquecer os ambientes e resolver questões, como a divisão das áreas. Sob medida ou planejada, ela apresenta os veios e tons da madeira, enriquecendo a decoração.

Na imagem abaixo, por exemplo, temos a marcenaria desenhada pela arquiteta Ana Yoshida, pensada para separar ou integrar a varanda ao living, permitindo a passagem de luminosidade pelos recortes envidraçados.

Projeto de Ana Yoshida (Imagem: Evelyn Muller)

PEDRAS

Elas são usadas desde os tempos mais antigos: seja os seixos nas paredes, revestimentos, piso e como detalhe em um acabamento. Cada pedra tem sua coloração e particularidades próprias, mas o que todas têm em comum é a capacidade de destacar os ambientes, substituindo um material em si, uma pintura ou um papel de parede com sua textura.

Apesar de ser um elemento bastante rústico, a pedra pode manter o visual moderno ou clássico do seu espaço; basta você saber usá-la a seu favor, combinada com outros itens e acessórios dentro do estilo da sua decoração.

Na chamada ‘Casa do Bosque’, o arquiteto David Bastos usou madeira de reflorestamento, muita transparência para uma maior conexão com a natureza e fez a cozinha em pedras. A ideia pode ser adaptada para diversos climas e paisagens do Brasil. Os puffs no chão nos passam uma sensação de relaxamento, junto com o sofá moderno. (Imagem: DB Arquitetos)

FEITO À MÃO

Os objetos feitos à mão estão cada vez mais presentes na decoração. Pequenos produtores tem se destacado em projetos assinados por arquitetos, pois suas peças são colocadas lado a lado com peças de alto design e trazem um contraste maravilhoso! Afinal, quando você investe em algo de feitio único, ela nunca será 100% igual a outra e isso é absolutamente incrível!

Em todos os cantos, peças de artesanato recordam as viagens do morador Rafael Borges. Sobre a mesa de jantar, colares da tribo dos Banawás, no Peru. (Imagem: Casa e Jardim)

Como exemplo, podemos ter a cerâmica, peças em crochê, madeira, além de trabalhos peculiares em artesanato que possuem variada inspiração. Além disso, o artesanal valoriza o país e sempre nos traz alguma boa memória (já parou para pensar nisso?). 

No living projetado pelo arquiteto Sidney Quintela, as cores e as texturas dos objetos artesanais étnicos, de cerâmica, madeira e tricô quebram a rigidez e acrescentam aconchego à base neutra. Para destacá-los, Sidney criou uma estante branca. (Imagem: Casa e Jardim)

Gostou das ideias? O uso dos materiais brutos, naturais, orgânicos na decoração é uma ótima opção para trazer mais personalidade e aconchego para o seu lar, pode apostar!

*Este post foi criado exclusivamente para o Blog Todeschini. Todo mês você encontra essas e outras matérias incríveis do FTC por lá! Vale a pena acompanhar!

*Hey! Este conteúdo recebeu incentivo da empresa, isso apenas nos permite produzir mais e melhor. Em nossos conteúdos feitos em parceria, só entram marcas e produtos que a gente realmente gosta! ♥︎

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários