Art Attack

O trabalho colorido e controverso do coletivo israelense Broken Fingaz

Fundado em 2001, o Broken Fingaz é um fantástico coletivo de Haifa, Israel. Inicialmente, o grupo formado por Deso, Kip, Tant e Unga via na arte uma fuga da região onde moravam, repleta de tensões sociais e políticas. Com o objetivo de trazer reflexões sobre o local, o trabalho dos artistas cresceu e hoje, eles criam animações, instalações, pinturas, murais, graffiti e peças de design para o mundo todo.

A estética do Broken Fingaz começou tendo como base a cultura desenraizada de sua terra natal, oferecendo uma nova identidade e visual para a geração de jovens israelenses. Criados em uma comunidade, os membros da equipe costumavam desenhar, fazer colagens ou apenas graffiti juntos para passar o tempo. “Parecia a melhor coisa do mundo e queríamos fazer isso para sempre, embora nunca tenhamos pensado em uma carreira ou algo assim”, disse Unga em entrevista ao Juxtapox.

Ao sair da bolha e viajar para outros países, viram na absorção de influências culturais do Oriente e do Ocidente suas novas inspirações. “Tínhamos algo construído dentro de nós que precisava ser liberado,“, ele continua. Os murais surgiram então, como uma reação ao local e ao que chamava atenção, como comunicação com aquele novo mundo.

Broken Fingaz: os murais e a tradição do Oriente

Em certo momento, o coletivo passou a se alimentar de uma tradição peculiar do Oriente: utilizar a arte para expressar o lado imperfeito ou primitivo do espírito humano. Com assuntos transgressores, a intenção do Broken Fingaz passou a provocar os espectadores.

Com traços únicos e cores vibrantes, o grupo traz imagens cômicas, controversas, baseadas em outras religiões, inspiradas em ilustrações e quadrinhos dos anos 80, filmes de terror, pôsteres das décadas de 60 e 70, interrogando muitas vezes a dualidade. Para eles, tudo se torna mais significativo na rua, quando os desejos privados invadem o espaço público.

Importante nome para a cultura contemporânea de Israel, o BFC hoje apresenta suas exposições por todo o mundo. Muitos murais podem ser vistos nas ruas de cidades da China, Japão, Camboja, Brasil, Israel, Reino Unido, Alemanha, Holanda, Itália, Áustria, Suíça, França, Espanha.

O coletivo também produz regularmente obras para músicos como Blink 182, Pearl Jam, Primus, Gaslamp Killer, U2, Alchemist, Gonjasufi, entre outros.

Recentemente, o Broken Fingez tem experimentado novas superfícies, materiais e estilos. O grupo tem mostrado um retorno à arte verdadeiramente subversiva – cujo objetivo é romper com os fundamentos da ordem social estabelecida.

Para saber de novidades sobre os artistas, fique de olho em seu site.

X