Versão feminista foi criada por uma campanha coletiva e visa incentivar garotas a serem o que elas quiserem

‘Cara a Cara’ marcou a infância de muita gente. A maioria de nós teve contato com o jogo em algum momento quando criança. Dois tabuleiros, um azul e um vermelho, cheio de figuras peculiares, tinha como objetivo acertar quem era a pessoa de uma carta misteriosa. Desde sua criação, o jogo já foi relançado algumas vezes, mas agora ganhou uma versão exclusiva só com personagens femininas.

A criadora dessa versão feminista do ‘Cara a Cara’, conhecido como Guess Who em inglês, é uma artista polonesa chamada Zuzia Kozerska-Girard. Zuzia é a fundadora da empresa Playeress e apelidou a sua versão do jogo de Who’s She? (Quem é ela? – em tradução livre). A ideia surgiu da constatação de que no jogo original, apenas 6 das 24 figuras eram de mulheres.

Seus tabuleiros são diferentes dos originais de plástico, são feitos de madeira e todas as suas 28 figuras são de mulheres. De acordo com Zuzia, a parte mais difícil foi escolher apenas 28 exemplos de figuras femininas para homenageá-las. Entre elas, estão nomes mais atuais, como Malala Yousafzai e nomes clássicos, como da pintora mexicana Frida Khalo e da aviadora Amelia Earhart.

WHO’S SHE?

A versão feminista do jogo está em andamento, graças a uma campanha online no Kickstarter. Desde que foi criada no final de 2018, com o objetivo de 15 mil euros, a campanha foi encerrada com mais de 500 mil euros arrecadados. Outro ponto legal é que a produção conta com as ilustrações manuais da artista Daria Gołąb, o que dá uma aparência ainda mais exclusiva ao jogo.

Segunda Zuzia, o jogo é uma homenagem a mulheres fortes e admiráveis da história, que merecem ser lembradas e celebradas por suas trajetórias. Assim, uma das mudanças do jogo é também relacionada ao tipo de perguntas que os jogadores devem fazer para descobrir a personagem misteriosa de seu oponente. Ao invés de serem a respeito da aparência física, as perguntas são relacionadas às suas conquistas – já ganhou um Nobel, era espiã, fez algum descoberta?

Cada personagem do jogo tem uma plaquinha de madeira que contém informações divertidas e educativas sobre sua biografia. “No jogo colocamos apenas mulheres, para mostrar às garotas que elas podem fazer qualquer coisa, mesmo que alguém diga ‘isso é coisa de homem’ diz o site da campanha.

E é bom lembrar que o jogo pode e deve ser jogado por homens e mulheres! Todos precisamos aprender mais sobre mulheres inspiradoras. O jogo é uma grande fonte de conteúdo para homens, mulheres, crianças e adultos. A educação para um mundo mais igualitário começa desde cedo, apesar de nunca ser tarde demais para se aprender algo novo e mudar conceitos tidos como verdades absolutas.

Via.

Mariana é jornalista e comunicadora. Adora descobrir novos lugares, explorar a cidade a pé e andar sem pressa. Se interessa por viagem, cultura e tudo o que é novidade.

Mariana – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários