followthecolours-covil-tattoo

Adoramos descobrir novos artistas para o #tattoofriday. Ainda mais quando vemos que no Brasil, há bastante gente interessada em desenvolver um estilo próprio na pele. Essa semana conversamos com o pessoal do COVIL Tattoo, estúdio em Juiz de Fora (MG) formado por André CastanheiraThiago BartelsFrederico Rabelo e José Hansen.

No final de 2012, os amigos se juntaram em uma garagem desativada no prédio de André para desenhar e trocar ideias. Lá, montaram um pequeno ateliê com 1 mesa e algumas cadeiras, até que começaram a divulgar alguns flashes das tattoos que faziam. Soltaram no Facebook, muito dos amigos animaram e a procura pelo seu estilo continuou até que eles tiveram que sair do local para alugar um estúdio para tatuar.

André nos contou um pouco mais sobre a Covil:

followthecolours-covil-tattoo-02

 

FTC: O que te inspira para criar uma tatuagem? Qual o desenho que as pessoas mais pedem para tatuar no estúdio? 

André: Como nosso estúdio não tem portas para a rua, é uma sala, o ambiente é mais privado, então geralmente os clientes vem aqui procurando tattoos de desenhos nossos. O que mais procuram são animais e pontilhismo (dotwork). O que mais nos inspira hoje são desenhos científicos, skate, blasfemidades, arte urbana e geometrias. Eu (André) estou terminando o curso de Arquitetura e Urbanismo e o Fred e o Thiago, terminando o curso de artes e design na UFJF, então as inspirações vem de muitas vertentes diferentes.

followthecolours-covil-tattoo-01

followthecolours-covil-tattoo-01followthecolours-covil-tattoo-07

 

FTC: Como as cores inspiram o seu dia a dia? 

André: Falando em cores, no Covil, o preto (PRETORIUS) domina, porém estamos nos adaptando a lidar com cores!

followthecolours-covil-tattoo-04

 

FTC: Se pudesse dar um recado para quem vai fazer uma tatuagem, qual seria? 

André: Meu recado para quem for tatuar é que procure um tatuador que tenha o traço que você goste e deixe ele livre para criar, tenho certeza que o resultado vai ser melhor do que apresentar um desenho já pronto.

followthecolours-covil-tattoo-03

 

FTC: Vivemos em uma época bem mais liberal. A tatuagem é para marcar algo na pele, mas também é vista como um estilo, tanto pessoal como de vida. Como você vê o futuro? 

André: Acho que as pessoas, cada vez mais, estão se libertando das amarras que o sistema nos impõe, então que venham mais pessoas tatuadas, mais experimentos em tatuagem e liberdade de criação.

followthecolours-covil-tattoo-05

followthecolours-covil-tattoo-06

followthecolours-covil-tattoo-08

followthecolours-covil-tattoo-09

followthecolours-covil-tattoo-10

followthecolours-covil-tattoo-11

followthecolours-covil-tattoo-12

followthecolours-covil-tattoo-13

followthecolours-covil-tattoo-14

followthecolours-covil-tattoo-15

followthecolours-covil-tattoo-16

followthecolours-covil-tattoo-17

followthecolours-covil-tattoo-18

followthecolours-covil-tattoo-19

followthecolours-covil-tattoo-20

followthecolours-covil-tattoo-21

followthecolours-covil-tattoo-22

followthecolours-covil-tattoo-23

Vai lá: Covil Tattoo.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários