Quem imaginou que as agências de viagens não tinham nenhuma escapatória em relação à situação criada pela pandemia da Covid-19, em que as viagens são praticamente impossíveis, se enganou. Assim como em diversos outros setores, a tecnologia se mostrou uma grande aliada para, se não combater, pelo menos aliviar os efeitos devastadores da crise.

A realidade virtual é o que está por trás dessa renovação. O que os viajantes isolados precisam é apenas um óculos específico para a função. Depois disso, basta escolher uma plataforma e iniciar a partida. Obviamente, isso não substitui a experiência de estar no lugar, mas pode ajudar muito a desestressar e reduzir o sentimento de confinamento causado pelas medidas restritivas.

Muitas pessoas estão apelando para esta ferramenta. O Mago da Tecnologia analisou as buscas por preços e modelos dos óculos de realidade virtual e percebeu um aumento durante a pandemia, atingindo picos de pesquisa até maiores ao de quando o artefato foi lançado. Se você está disposto a enfrentar algumas limitações, há modelos mais básicos por menos de R$50.

As agências de viagens virtuais oferecem os serviços a preços simbólicos ou até mesmo de graça. O lucro vem a partir de publicidade, que acontece às vezes no meio do passeio. Uma das plataformas mais conhecidas é o Google Earth VR, que conta com os pontos turísticos mais conhecidos do planeta em seu catálogo, além de milhares de museus de todo o mundo.

Algumas plataformas oferecem uma experiência completa: o tour começa dentro do avião, passa pelos pontos turísticos, conta com viagens de trem entre localidades e termina em um quarto de hotel. Tudo de acordo com as escolhas do usuário. Há também plataformas mais específicas. Se você é fã de arquitetura, o Archdaily Experience pode te levar para algumas das obras mais consagradas do mundo.

Instituições relacionadas ao turismo real também estão se aproveitando, e quem ganha é o viajante virtual, já que passa a ter mais opções de destinos. A Imagen de Chile, por exemplo, oferece o aplicativo Chile360°, que tem como objetivo disseminar as paisagens chilenas para o mundo. A ideia é que a viagem virtual seja um estímulo para, assim que possível, atrair visitantes reais.

Os hotéis também estão utilizando a ferramenta, oferecendo a experiência virtual imersiva em suas acomodações com a expectativa de que isso traga turistas quando a pandemia passar. E nós, em casa, temos a oportunidade de conhecer os hotéis mais luxuosos do mundo e apreciar as belas paisagens das janelas.

Além do uso no setor turístico, a realidade virtual vem ganhando destaque em outros segmentos. No mundo dos games, já estão sendo lançados grandes jogos exclusivos para a tecnologia. Até as imobiliárias estão se aproveitando da tendência. Considerando a dificuldade de realizar visitas, elas também estão oferecendo tours virtuais para os clientes interessados em alugar ou comprar um imóvel.

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários