Imagem: Karuari

Você pode até não ter escutado falar sobre o Vaporwave, mas com certeza já deu de cara com algumas de suas características, seja ao ouvir uma música ou visualizar uma arte pela internet, já que a tendência nasceu em comunidades on-line como Tumblr, Reddit, SoundCloud e 4chan, no início de 2010.

O Vaporwave é um gênero musical e um movimento artístico que mistura nostalgia, estética retrô do auge dos anos 80 e referências tecnológicas como vídeo-games, renderizações de computador fora de moda, cyberpunk, glitches (falhas), design web dos anos 2000, inspirações dos VHS e fitas cassete, obras de arte da Ásia, além de elementos de publicidade e caracteres japoneses, paisagens tropicais, estátuas neoclássica gregas e ritmos como as músicas de elevador, que tem influência no lounge e no jazz suave.

O que? Não entendeu nada? Calma que a gente explica!

VAPORWAVE – MÚSICA

Quando falamos em música, podemos citar os anos 1980, 1990 e 2000 como referência, tipicamente aquelas músicas sintetizadas de lounge, jazz suave e as músicas tocadas nos elevadores.

Com a facilidade de produzir sons no computador, os entusiastas do Vaporwave passaram a desenvolver seus próprios trabalhos utilizando tonalidades sonoras modificadas e várias camadas de distorção. Os ritmos são alterados dando vida à samples musicais únicos que soam como música ambiente de shopping.

Nada melhor para exemplificar do que ouvir Macintosh Plus, a produtora de música eletrônica Vektroid (lançada sob o pseudônimo alternativo de Macintosh Plus em 2011), um dos primeiros álbuns do gênero experimental a ganhar reconhecimento popular na internet. Desde então, o álbum Floral Shoppe têm sido considerado por muitos essencial no gênero Vaporwave.

Para muitos, o gênero era frequentemente descrito como uma sátira da cultura empresarial, consumista e do capitalismo moderno, especificamente como uma crítica também à música de dança eletrônica tradicional.

VAPORWAVE – ARTE E DESIGN

Quando falamos na estética Vaporwave na arte e no design, as imagens são bem características. E apesar de se concentrarem na nostalgia dos anos 2000 e trazer bastante inspirações em neon sci-fi (cores rosa e azul), colagens vintage, estátuas grego romanas, interferências digitais, símbolos do capitalismo (em geral usados de forma irônica), pode-se dizer que a aparência Vaporwave é hipnótica.

MTV e sua identidade visual

Artistas como Banshee, Vektroid e PZA criaram recortes e colagens de elementos para a capa de seus álbuns apropriando-se de arte, produtos e marcas escolhendo randomicamente os temas dentro dessa estética. Ironicamente, em 2015, a MTV refez sua identidade visual claramente inspirada no Vaporwave.

O Tumblr Tv também se apropriaria da ideia (os seguidores do movimento diriam que morria aqui o movimento real).

A influência da estética no Tumblr 

Na arte contemporânea, podemos ver interferências no trabalho de vários artistas como o argentino Felipe Pantone que faz uso recorrente de elementos como grids, gradientes e elementos digitais em suas obras e murais coloridos. 

Outro mural interessante foi este projeto da Spiral3 para a produtora de vídeos de Youtube, a MPQuatro que claramente mostra a tendência como base no desenho abaixo:

Com tantas referências fantásticas, os designers e artistas estão adaptando esse estilo e introduzindo o Vaporwave cada vez mais para criar interações visuais dessa maneira em seus trabalhos.

Série Vaporwave-96 criada por Aaron Campbell, artista conceitual e ilustrador canadense. 

O Vaporwave está sendo usado agora até como inspiração e ferramenta de design. E não é de hoje que os designers visitam novamente referências icônicas aplicando tratamentos modernos a clássicos retrô.

E COMO VOCÊ PODE UTILIZAR REFERÊNCIAS VAPORWAVE NO DIA A DIA?

-Algo que pode facilitar muito a sua criação é ter acesso a um banco de imagens, vetores e ilustrações que tenham como exemplos essa estética – como é o caso dessas layouts que você pode baixar de graça no Vecteezy.

Fundo com estética sci-fi neon – Baixe grátis aqui

-Fazer um remix das imagens, cores e referências nostálgicas dentro do tema que não são familiares juntas pode trazer um resultado inusitado na sua criação;

-Criar layouts ou produtos inspirados na “aesthetic” do movimento, como esses artistas fizeram para a Colab55;

Experimentação: a regra é se expressar dentro dessa ideia e do contexto e assim criar a sua própria arte Vaporwave.

Ilustração Santuário Mágico – Baixe grátis no Veectezy

A ideia que dominou por um tempo a cultura underground, fez sucesso pra caramba nos EUA e aparentemente foi pouco difundida por aqui, representa bem o que é a estética dos nossos tempos atuais.

Hoje ela chegou ao mainstream, mas tem inspirado muitas pessoas ainda. É fato que o Vaporwave de hoje não é mais o de 2010, muita coisa mudou, assim como a sua mensagem. E apesar de achar em várias pesquisas, sites e lugares que o “Vaporwave está morto”, acredita-se que o movimento ainda viva, reinventado, na cultura, música, arte e moda!

Imagem: Liberty Viral

“Vaporwave is dead, long live Vaporwave!”

Fontes de pesquisa: Aestheticc Wikie, Wikipedia, Know your meme, Revista Capitolina, Elle, Design Culture, Mimimidias

Carol T. Moré é editora do FTC. Internet, café, todo tipo de arte, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:

Comentários