Já estamos pra lá do meio de junho, mês das festas juninas e essa é aquela hora em que percebemos como o tempo passou voando! Alguns dias atrás contávamos as horas para as festas juninas chegarem, hoje só pedimos para que o tempo passe um pouquinho mais devagar. Assim podemos aproveitar tudo de bom que esse mês tem a oferecer em termos de comidas e celebração da cultura popular brasileira.

As festas juninas como conhecemos carregam características bem brasileiras e que têm muita força no Nordeste do país. As festas foram introduzidas no Brasil pelos portugueses,  já que na Europa, desde o período pré gregoriano haviam festas pagãs no mês de junho para celebrar o solstício de verão e as boas colheitas.

A igreja católica passou a comemorar com festejos o dia de São João, no dia 24 de Junho (eram as festas Joaninas) e mais tarde de outros santos (dia 13, Santo Antônio e dia 29, São Pedro), transformando-as nas festas juninas. E desde então o brasileiro celebra como um traço marcante da sua cultura e história.

A banqueta da Ju Amora casou perfeitamente com o cenário inspirado nas xilogravuras;

Esse ano o intuito foi trazer para a decoração junina algo diferente, bem ligado ao Brasil, mas pensando em um aspecto mais moderno e com ar de novidade (ao menos para o sudeste).

Por isso, eu (Zilah) e a Anna Chedid  idealizamos um cenário inspirado na xilogravura, por ser também uma arte tão característica do Nordeste e dos cordéis e por muitas vezes retratar a própria festa junina de forma tão inspiradora.

Piñata de lua feita com caixa de pizza – veja como fazer;

A xilogravura

Como já expliquei em um post por aqui, a xilogravura é uma arte milenar que marca a identidade da cultura do Nordeste do Brasil e retrata o rico imaginário da cultura popular a partir de temáticas religiosas, políticas e até eróticas.

A técnica consiste em talhar um pedaço de madeira usando facas e canivetes bem amolados. A xilogravura começou a popularizar no Brasil e ganhar status de arte entre as décadas de 60 e 70, quando estudiosos e pesquisadores passaram publicar álbuns e trabalhos acadêmicos sobre o tema.

E inspirado nessa arte, surgiu o nosso cenário junino:

Faça você mesmo: Decoração Festas Juninas – Tema Xilogravura

O fundo do cenário foi feito com estrelinhas de papel  – que você pode conferir como fazer aqui bandeirinhas e com cactos feitos com uma caixa de papelão que ia para o lixo.

O DIY é tão simples que nem precisa de passo a passo. Basta desenhar o formato que você quer na caixa, recortar e depois pintar com tinta preta (a melhor tinta é a acrílica aplicada com um pincel largo e macio).

Depois que a tinta secou, os detalhes podem ser feitos com caneta Posca, mas você também pode utilizar tinta branca ou detalhes em papel branco recortados e colados.

Para completar a composição, tivemos os deliciosos doces da Bem Bolado, uma marca mineira feita com muito amor e também a presença do casal Lampião e Maria Bonita e do Bumba meu Boi.

O casal Lampião e Maria Bonita pintado pela Annita Loja. Mesmo com todas as controvérsias, são personagens importantes da história brasileira, principalmente a nordestina;

No chão, usamos forros de crochê que fazem alusão às rendas nordestinas. Como mesa e aparador, usamos banquetas da Ju Amora e a mala encantada da Toda Coisinha!

Outros detalhes que podem compor o cenário: canecas de ferro esmaltadas, talhas de barro, utensílios de madeira, sacos de papel kraft; 

Aí ficam muitas ideias de cenário e de comidinhas para essa época do ano! No meu board de Festa Junina do Pinterest também tem um monte de receitas e ideias de decoração para aproveitar!

Quentão e Pipoca de Paçoca;

Broa de milho com goiabada e o Bumba Meu Boi que modelei e pintei com muito esmero!

Cocada que não pode faltar!

Bombom recheado de pé de moleque;

Eu e a Anna;

Ahhh! E como esse cenário estava tão lindo e apaixonante, achamos que ficaria ótimo também para fotos de pessoas e resolvemos usar para fazer fotos nossas inclusive! Espero que tenham gostado e que se inspirem para criar festas juninas lindas!

As melhores coisas da vida não são coisas, são coisinhas que estão nos pequenos detalhes do dia a dia, naquilo que é feito usando a cabeça, as mãos e o coração. Zilah Rodrigues é artesã, comunicadora, fazedora de coisinhas, mãe de uma adolescente e 1001 funções que vive intensamente suas paixões e pirações.

Zilah Rodrigues – já escreveu posts no Follow the Colours.


Você também poderá gostar de:
Comentários